Quem Somos

Somos professores, supervisores, alunos e ex-alunos dos cursos de formação em psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, mas também, convidados de outras instituições e experiências pela relevância de estudos e trabalhos realizados sobre as questões do acolhimento institucional, da adoção de crianças e adolescentes e dos movimentos sociais por moradia.

Proposta

Ao longo de vinte e quatro anos de experiência embasada fundamentalmente no instrumental psicanalítico, sustentamos que vivências de desamparo e violência tendem a se reproduzir e a gerar, paradoxalmente, novos abandonos e violência. Intensos esforços são desperdiçados quando condições subjetivas dos diversos protagonistas desse universo não são levadas em conta.

Considerando a complexidade das tramas atuantes nesse circuito tão nefasto, o Núcleo Acesso construiu um dispositivo clínico-institucional, continuamente redesenhado, em função da singularidade de cada criança, adolescente, família ou instituição atendida.

É a singularidade – expressa nos gestos, nas falas, nos atos e silêncios dos sujeitos envolvidos diante dos acontecimentos inesperados que os afetam – que indica a trilha que será percorrida.

Dependendo da necessidade podem ser acessados serviços da Clínica Psicológica do Instituto Sedes Sapientiae (psiquiatria, serviço social, psicopedagogia); trabalhadores das instituições de acolhimento; das Varas da Infância e da Juventude; dos Conselhos Tutelares; das escolas; dos equipamentos de saúde; supervisores institucionais; equipes de acompanhamento terapêutico e outros.

Este trabalho pensado, portanto, num modelo de clínica extensa, tem se debruçado de forma ativa e criativa sobre os emaranhados tecidos dos cuidados junto a crianças, adolescentes e suas famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade social, desenvolvendo práticas que o colocam diante da ambição de dispor de criteriosas ferramentas a serviço de uma efetiva participação social da Psicanálise, contribuindo para a formulação e realização de políticas públicas que atendam fundamentais necessidades das nossas crianças, adolescentes e suas famílias.

História

Em 1996 a Diretoria do Instituto convocou a comunidade Sedes Sapientiae para a construção coletiva de um projeto ético político para a Clínica do Instituto Sedes Sapientiae, que ultrapasse o modelo clínica escola vigente e alcançasse o modelo de clínica de serviços, verdadeiramente atenta às demandas e necessidades dos pacientes.

Dentre os vários projetos apresentados surge o Grupo Acesso – Estudos, Intervenções e Pesquisa sobre Adoção da Clínica Psicológica do Instituto Sedes Sapientiae, coordenado por três psicanalistas, Marcia Regina Porto Ferreira, Maria Luiza de Assis Moura Ghirardi e Maria Helena Hessel, preocupadas com o universo de crianças e adolescentes que, por questões sócio-político-subjetivas, foram afastadas de suas famílias de origem e que vivem com suas famílias adotivas ou em instituições de acolhimento.

Em 2019 o Grupo Acesso tornou-se Núcleo Acesso, ampliando suas atenções para o universo de famílias que participam dos movimentos sociais de luta por moradia.