PUBLICAÇÕES

PSICANÁLISE NO MUNDO


"Psicanálise no mundo" é uma nova seção no nosso site que constará de links de artigos e informações sobre psicanálise, publicados nas principais revistas e jornais de línguas inglesa e francesa. Os textos mostram uma psicanálise ativa e presente nos mais diversos ramos da cultura, enfrentando os embates com o espírito do tempo.
 
A periodicidade de "Psicanálise no mundo" será mensal.
 
Atualização realizada com a colaboração de Sergio Telles.
 
Articulador da Área de Publicações e Comunicação: Em aberto

Esperamos que essa seja uma leitura agradável, estimulando a curiosidade e a produtividade dos colegas.
 
Links:
1) Visando ampliar seu espaço devido à crescente procura do público, o Museu Freud de Viena, anexou ao consultório o apartamento no qual a família Freud residia, fazendo com que os iniciais 280 metros quadrados do museu passassem a ter agora 550 metros quadrados. Para manter a realidade histórica e como testemunho da violência imposta pelos nazistas, os espaços serão mantidos vazios, dado que tudo foi levado quando a família teve de partir para Londres.
https://www.lapresse.ca/voyage/europe/2020-08-28
https://au.news.yahoo.com/freuds-vienna-private-rooms-open-


2) Um extenso texto da psicanalista francesa Marie Pierre Charitat sobre a Antígona, tal como vista por Lacan no Seminário VII. Merece leitura atenta, na medida em que rebate o comum equívoco de ver Antígona como uma heroína contra a tirania, opinião muito distante daquele proposta por Lacan. Ele enfatiza que o gesto de Antígona não tem fundamentos ideológicos, pois é a manifestação mais pura do desejo, a expressão direta da pulsão de morte, do desejo de morrer derivado da identificação com as figuras paternas. (O texto permite tradução para várias línguas, inclusive o português.).
https://blogs.mediapart.fr/marie-pierrecharitat/blog/270820


3) O autor, psicanalista de Brasília, aborda o sempre oportuno e premente problema da formação do psicanalista, na medida em que a prática dos que chama "falsos analistas" coloca em risco a permanência da própria psicanálise.
https://jornaldebrasilia.com.br/blogs-e-colunas/pisicanalise/cuidados


4) Desde a infância marcada por abusos praticados pelo pai doente mental até a execução pelos soldados alemães, o texto sintetiza dados da difícil vida de Sabina Spielrein, enfatizando sua tempestuosa relação com Jung e suas originais scontribuições para a teoria psicanalítica, como as primeiras especulações sobre a pulsão de morte.
https://womenyoushouldknow.net/science-psychoanalysis-sabina-spielrein/


5) Matérias de jornal hindu e do Le Monde (protegido por paywall) mostram quão universais são as dificuldades da prática psicanalítica nos tempos da pandemia, forçada ao atendimento não presencial, com a falta da linguagem corporal e a ausência de um lugar protegido.
https://www.hindustantimes.com/more-lifestyle/tweaking-the-rules
https://www.lemonde.fr/m-perso/article/2020/08/28/avec-le-covid-19-


6) Os atores Vanessa Redgrave e Ralph Fiennes participarão de eventos para levantar fundos para o Museu de Freud em Londres. A instituição depende de diversas fontes, uma delas o ingresso do público visitante, que caiu drasticamente com as limitações impostas pela pandemia do coronavirus.
https://variety.com/2020/film/global/ralph-fiennes-vanessa-redgrave-freud-museum-fundraiser-1234750717/


7) A chegada de Trump ao poder tem levantado preocupações
com a volta do fascismo e a destruição dos valores democráticos que a tanto custo foram estabelecidos depois da Segunda Guerra. O autor relembra o trabalho de Erik Erkson sobre Hitler, no qual não era enfatizados os conflitos e traumas pessoais de Hitler e sim o especial vínculo que ele mantinha com a massa. Vê o mesmo equívoco nos que enfatizam a patologia pessoal de Trump (que lhe parece inequívoca), ao invés de estudar como - apesar disso - ele continua mantendo o apoio de larga parte da população.
https://www.psychologytoday.com/gb/blog/politics-psychiatry-and-psychoanalysis


8) Maria Rita Kehl discorre sobre o ressentimento, tema de um de seus livros.
https://www.brasil247.com/blog/ressentimento


9) Benoît Peeters, autor da excelente biografia de Jacques Derrida, lança agora um livro sobre Sandor Ferenczi. (texto protegido por paywall)
https://www.lemonde.fr/livres/article/2020/08/30/sandor-ferenczi-


10) A editora Aller lança o livro de Erik Porge "O Arrebatamento de Lacan - Marguerite Duras ao pé da letra", no qual se volta sobre a análise que Lacan fez do livro "O arrebatamento de Lol V. Stein", daquela autora, visando as relações entre psicanálise e literatura.
https://www.jornalopcao.com.br/opcao-cultural/arrebatamento-o/


11) Malvine Zulkberg, psicanalista carioca,
lança simultaneamente na França e no Brasil o livro "De menina a mulher: cenas da elaboração da feminilidade no cinema e na psicanálise", mostrando como essa problemática foi abordada e iluminada em diversos filmes.
https://gcn.net.br/noticias/412328/nossas-letras/2020/08


12) Lançamento do livro "Origens psíquicas da autoridade e do autoritarismo"
(Editora Dialética, 2020),de Marcelo Checchia. Originariamente sua tese de pós-doutoramento, o autor se apoia em conceitos freudianos, lacanianos e de Otto Gross para desenvolver sua argumentação.
https://www.huffpostbrasil.com/entry/o-que-faz-com-que-a-gente-sustente


 
 Atualizado em 31/08/2020

 


 
 
1) Elogiosa resenha do livro "Et si l´effondrement avait dejá eu lieu" ("E se a catástrofe já tiver acontecido"), do psicanalista Roland Gori. Escrito antes da pandemia, o autor critica o catastrofismo à qual a imprensa se dedica, apontando superficialmente para diversos modismos, ignorando a verdadeira crise de nossa cultura ocidental que, a seu ver, vive em permanente reação maníaca contra uma profunda depressão, mergulhada no consumismo, na crença no "progresso" e na "ciência". Há uma negação dos efetivos riscos de extinção, como já ocorreu inúmeras vezes na história. Não foram poucas as civilizações que desapareceram.
https://www.marianne.net/debattons/billets/une-occasion-de-renouer
 

2) Comentarista político analisa afirma que para compreender o novo autoritarismo é apelar para a psicanálise e a economia. Examina a profunda irracionalidade manipulada por líderes políticos como os que conduziram o Brexit, os recentes levantes na Índia contra os muçulmanos, as atuações de Duterte nas Filipinas, de Netanyahu em Israel, de Trump nos Estados Unidos e de Bolsonaro no Brasil.
https://www.redpepper.org.uk/the-nationalist-unconscious/


3) Nosso colega argentino Rodolfo Moguillansky,
reitor do Instituto Universitário de Salud Mental da APdeBA e que nos prestigiou participando dos "Debates Clínicos" da "Percurso", recebeu o importante Sigourney Award, da Fundação Sigourney, prêmio concedido àqueles cujo trabalho faz avançar a psicanálise e o pensamento analítico.
https://www.prweb.com/releases/the_sigourney

 

4) A psicanalista Maria Homem responde a algumas perguntas sobre distração, pontuando sobre aquelas que nos distraem de nós mesmos, nos afastando de nossas verdades.
http://www.comciencia.br/maria-homem-distrair-se-de-tudo-o-que-nos-distrai

 

5) A psicóloga Mary Trump, sobrinha do presidente norte-americano lança seu livro - "Two much and never enough - How my family created the world `s most dangerous man" ("Demais, mas nunca o suficiente - como minha família criou o homem mais perigoso do mundo" ) - no qual analisa a patologia do tio e de sua família. É o 15º. livro que aborda o comportamento aberrante de Trump. Este mostra um quadro mais intimo da estrutura familiar do presidente norte-americano.
https://slate.com/news-and-politics/2020/07/mary-trump-book-psychoanalysis
https://www.haaretz.com/us-news/mary-trump-s-book-offers-scathing-portrayal

 

6) Notícia do lançamento do livro "Sou o monstro que vos fala" de Paul Preciado. O texto foi originariamente uma palestra a ser proferida em novembro do passado num congresso da Escola da Causa Freudiana em Paris, que reunia 3.500 psicanalistas, quando suscitou grande celeuma e não pode apresentá-la até o final. Preciado é uma crítica radical da psicanálise e considera seu processo de transformação (mulher para homem) como uma "descolonização do binarismo imposto pelo patriarcado".
https://www.rtbf.be/info/dossier/les-grenades/detail_deconstruire
https://toutelaculture.com/livres/essais/je-suis-un-monstre-qui

 

7) Psicanalista estimula a escrita criativa como forma de lidar com os estresses trazidos pelo confinamento devido ao Covid-19. Ela mesmo dedica-se a essa atividade e expõe um conto de sua lavra.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis/2020

 

8) Comentário da exposição "We are they - where id was ego shall be", da pintura e escultora Jane McAdam Freud, bisneta de Freud.
https://www.hippocraticpost.com/events/we-are-they-where-id-was-ego

9) Psicanalista dá alguns exemplos do uso da psicanálise em intervenções pontuais na clínica médica hospitalar (pacientes terminais, em diálise, politraumatizados, etc), experiência que lhe parece de grande ajuda para pacientes e equipe de atendimento.
https://www.psychiatryadvisor.com/home/topics/general-psychiatry/

 

10) Live concedida por Christian Dunker para o jornal Valor Econômico, falando sobre os efeitos da pandemia sobre a doença mental.
https://valor.globo.com/live/noticia/2020/07/02/live-do-valor-christian-dunker

 

11) Um pequeno resumo da prática e teoria de Ferenczi, nomeando alguns de aspectos mais relevantes - relaxamento, técnica ativa, análise mútua, neocatarse, bioanálise, talassa.
https://www.techno-science.net/glossaire-definition/Sandor-Ferenczi.html

 
 Atualizado em 29/07/2020

 


 
1) O texto é um editorial da Fundação Europeia de Psicanálise a respeito da pandemia de Covid-19. Procura mostrar as raízes inconscientes da sistemática negação dos líderes políticos (com menção de Boris Johnson, Trump e Bolsonaro) sobre a gravidade da crise sanitária. A prevalência da pulsão de morte na política fica evidente na medida em que, por exemplo, a indústria bélica continua se expandindo sem restrições enquanto os cuidados com a vida - saúde e educação, bem estar da população - são abandonados em nome de supostas necessidades orçamentárias. Há nos que ocupam o poder um "sadismo mal disfarçado", um "desejo de fazer sofrer" as populações como exercício de poder. Os autores lembram que essa análise já fora feita décadas atrás por Adorno e Horkheim, da Escola de Frankfurt.
https://blogs.mediapart.fr/rene-thibaud/blog/060620/sadisme-peine-inconscient
 

2) Excelente artigo abordando a psicanálise em vigência na "Viena Vermelha" - ou seja, no período imediatamente após a Primeira Guerra Mundial, quando políticas de esquerda foram implementadas na Áustria, visando algo como um ‘welfare state". Isso teve forte repercussão na prática analítica, objetivando tornar possível o acesso das massas ao tratamento, a abertura da prática profissional liberal para o atendimento institucional. Tal visão se expandiu para Berlim, onde floresceram as clínicas populares e perdurou durante o período do entre-guerras. Várias correntes teóricas disputavam a primazia, Reich comandando a mais representativa. Os socialistas não contavam muito com Freud, desde que seu ceticismo não encorajava as ideias de mudança social, e preferiam Adler, mais otimista e crente em utopias. A ascensão do fascismo e nazismo anulou tais esforços e no pós-Segunda Guerra, a psicanálise recuou para uma posição mais conservadora.
https://www.jacobinmag.com/2020/05/sigmund-freud-red-vienna-analytic-therapy

 

3) O filósofo trans (mulher para homem) Paul B. Preciado, em novembro de 2019, aceitou fazer uma conferência no encontro da Escola da Causa Freudiana (Paris), para uma plateia de 3.500 pessoas. Sua fala provocou grande tumulto, com gritos, vaias, aplausos. Filmagens diversas do evento foram postadas no YouTube, o que o fez publicar sua fala num texto que denominou "Je suis un monstre qui vous parle" ("sou um monstro que vos fala"). Usou na fala o personagem de Kafka "Pedro, o vermelho" - um macaco que aprendeu a falar e faz uma apresentação numa assembleia de cientistas. Preciado defende a superação "do binarismo sobre o qual repousa o patriarcado", e quer "inventar sua liberdade num mundo livre do capitalismo e descolonizado". (As matérias são pagas, temos acesso apenas ao início).
https://www.lemonde.fr/livres/article/2020/06/12/je-suis-un-
https://www.lesinrocks.com/2020/05/27/actualite/societe/paul-b-

 

4) O economista Eleutério F. S. Prado comenta o livro dos psicanalistas lacanianos Charles Melman e Jean-Pierre Lebrun, "O homem sem gravidade - gozar a qualquer preço" (Editora Companhia de Freud, 2008). Os analistas mostram a mudança social ocorrida entre uma sociedade anterior mais repressiva, na qual os desejos tinham de ser reprimidos, e a atual, onde parece haver uma liberação dos desejos, uma obrigação de gozar. Isso implicaria uma transição da neurose para a perversão como manifestação patológica socio-cultural. O autor procura ligar esse fenômeno com o neoliberalismo e as facilitações para o recrudescimento do fascismo.
https://www.brasil247.com/blog/da-neurose-a-perversao

 

5) Entre as muitas manifestações sintomáticas de Bolsonaro, o psicanalista Luis Meyer escolhe para analisar a bizarra preocupação do presidente com a norma de segurança do trânsito que exige cadeirinha para criança, daí concluindo que não é remota a possibilidade de um golpe.
https://ricardoantunes.com.br/opiniao-por-que-havera-golpe-por-luiz-meyer/


6) Psicanalista carioca fala sobre a negação do racismo na prática psicanalítica,
a dificuldade de um analista branco escutar o paciente negro em seu sofrimento racial.
https://febrapsi.org/publicacoes/observatorio/observatorio-psicanalitico-1742020/

 

7) Psicólogo negro norte-americano especula sobre as motivações inconscientes presentes na manobras corporais realizadas por policiais brancos contra os homens negros, que revelariam sentimentos de inferioridade dos primeiros em relação aos segundos. Diz ele: "Mais ainda, há algo inerentemente sexual no ato de policiamento, como se envolvesse necessariamente o subjugar e/ou o domínio de outro ser humano - na maioria das vezes pela força - que pode ou não envolver o [policial] colocar o próprio corpo sobre o indivíduo [o suspeito], lutar com o indivíduo e/ou prontamente avançar em suas partes íntimas".
https://www.swaay.com/blackness-white-fear-oedipal-complex

 

8) Ao ser indagado por uma leitora, o autor foi pesquisar por onde andam os negros como profissionais na psiquiatria e na psicanálise. E constatou que esse é um tema praticamente não abordado no Brasil.
https://luizsperry.blogosfera.uol.com.br/2020/

 

9) Em 1975/6, Dominique Frischer, psicóloga e socióloga, fez uma pesquisa com centenas de parisienses em análise ou ex-pacientes, mostrando o que pensam da psicanálise. Como está publicado no site de Jacques van Rillaer, um notório oposicionista da psicanálise, previsivelmente mostra uma visão muito negativa e desabonadora. É necessário conhecer as críticas e censuras que nos são feitas, para diferençar as legítimas das caluniosas.
https://blogs.mediapart.fr/jacques-van-rillaer/blog/220620

 

10) Publicação de um site ateísta, o artigo enfatiza o ceticismo e o ateísmo de Freud - dimensão às vezes escamoteada por motivos políticos (?) pela instituição psicanalítica. O texto contém trechos nos quais Freud explicita sua posição frente a religião.
https://www.patheos.com/blogs/daylightatheism/2020/06/2000


11) O psicanalisa Cláudio Laks Eizirik escreve sobre recentes acontecimentos do governo Bolsonaro que evocam assustadoramente o culto à destrutividade praticado pelos regimes fascista e nazista.
https://veja.abril.com.br/blog/noblat/outra-vez-o-ovo-da-serpente/

 

12) Cinco filmes centrados na psicanálise - "Freud, além da alma", de John Huston; "Habemus Papam", de Nanni Moretti; "A outra", de Woody Allen; "Quando fala o coração", de Alfred Hitchcock e "Um conto de natal", de Arnauld Desplechin.
https://www.marianne.net/culture/la-maison-du-

 

13) Christian Dunker fala sobre o confinamento, a quarentena, o negacionismo, o impacto sobre os idosos, o luto nesses tempos de Covid-19.
https://epoca.globo.com/guilherme-amado/negacionistas

 

14) Christian Dunker ganha um programa na televisão aberta.
https://cultura.estadao.com.br/blogs/direto-da-fonte/psicanalista-christian-

 

15) O confinamento imposto pelo Covid-19 tem provocado sonhos vívidos em muitas pessoas, fenômeno que levou o University College London a realizar uma pesquisa com os relatos dessas atividades oníricas, procurando padrões significativos. Os sonhos foram divididos em quatro categorias - de frustração, de ansiedade, de perseguição e sonhos regressivos (de volta ao passado).
https://www.culturewhisper.com/r/lifestyle/why_are_my_dreams_so_

 

16) Resenha do livro "La littérature - peut-elle soigner? La lecture et ses variations therapeutiques" (2018), de Isabelle Blondiaux, escritora e psicanalista, que examina a dimensão terapêutica da leitura literária, a "biblioterapia". Fortemente amparada pela psicanálise, essa autora faz uma distinção entre a leitura informativa, baseada em pressupostos cognitivos, e a leitura terapêutica, baseada na sugestão, na emoção, que leva ao circuito identificação-catarse-insight.
https://www.fabula.org/revue/document12970.php


17) Um interessante artigo no qual a autora inverte a estabelecida prática de usar a psicanálise para a compreensão de filmes,
mostrando que a forma pela qual o cinema mostra a psicanálise é um bom registro da importância e do papel que ela ocupa na cultura. Faz uma discriminação entre "filmes psicanalíticos" - aqueles nos quais pressupostos teóricos (como o inconsciente) jogam papel determinante na estrutura e na narrativa do filme, sem mencionar explicitamente a psicanálise, e "filmes sobre psicanálise", nos quais a psicanalise aparece explicitamente com estereótipos, construções imaginárias, o cenário, os personagens típicos (paciente e analista), podendo o teor do filme ser romântico, policial, político, cômico, satírico etc. Não raro as duas vertentes podem coincidir num mesmo filme. Vários filmes são comentados, a começar por "Secrets of a soul", de Pabst (1926), cujo roteiro foi encomendado ao próprio Freud, que recusou a incumbência depois realizada por Karl Abraham.
https://lareviewofbooks.org/article/freud-a-star-is-born/

 

18) Há 30 anos, em 1990, o ditador Ceausescu, da Romania, foi executado em praça pública, após 24 anos de poder totalitário. Foi quando o mundo tomou conhecimento, com espanto semelhante ao despertado pela descoberta dos campos de concentração nazistas, de um gulag de orfanatos, com dezenas de milhares de crianças abandonadas por seus pais, fruto de uma fracassada campanha do governo para que as famílias tivessem muitos filhos. Esse impressionante artigo conta a história de um dos sobreviventes, adotado por uma família norte-americana e procura responder à questão - pode uma criança criada sem amor aprender a amar?
https://www.theatlantic.com/magazine/archive/2020/07/can-an3/


 
 Atualizado em 29/06/2020

 



1) Édipo - Trump - Bo
 
Previsivelmente esse mês trouxe um grande número de artigos e entrevistas sobre o atendimento à distância e o impacto emocional trazido pela pandemia, a quarentena e confinamento. Lendo esse material fica-se com a impressão de que os psicanalistas, encantados de estarem na mídia, fazem excessivas interpretações, previsões, recomendações. Um tanto apressadamente, elaboram teorias e julgam divisar grandes modificações no andamento das análises de seus pacientes - eles falariam mais, falariam menos, confessariam segredos que presencialmente mantiveram durante anos ou, pelo contrário, simplesmente interrompem o tratamento etc. Não seria precipitado fazer tantas afirmações? Das entrevistas selecionadas, as melhores são as de Darien Leader, Stephen Frosh e Jamieson Webster, que escreveu uma carta para seus colegas nova-iorquinos, criticando a postura de gurus que muitos deles assumiram na pandemia.
 

1) Psicanalista francês fala sobre atendimento on line. Ao contrário da opinião mais difundida de que o confinamento desencadeia mais pedidos de tratamento psicoterápico, diz ele que, em Paris, 70 % dos pacientes em análise recusaram continuar o tratamento à distância, e que - excluindo os casos de violência doméstica - a procura por ajuda terapêutica caiu.
https://www.atlantico.fr/decryptage/3589803/cette-etonnante-et-

 

2) Stephen Frosh, professor do Departamento de Estudos Psicossociais da Birckbeck University de Londres e acadêmico associado da Sociedade Britânica de Psicanálise discorre sobre aspectos psicanalíticos da digitalização das vidas profissionais e pessoais em função do Covid-19. Entre os pontos abordados estão as abundantes instruções da mídia para preencher o tempo dos confinados, estimulando a fuga de sentimentos e pensamentos que deveriam ser enfrentados, como o refletir sobre a própria identidade, que necessita tanto ser reassegurada com a presença continua de pessoas e situações, o que deixa o ficar sózinho uma experiência insuportável. Acredita que o "pânico moral" que os relacionamentos pela internet despertaram inicialmente ficou amenizado e hoje eles são considerados legítimos, embora a fragilidade que mostram em termos de rompimento e novas ligações exija maior atenção. Finaliza apontando para as modificações que a internet tem trazido para a clínica psicanalítica.
https://madamasr.com/en/2020/05/06/feature/society/

 

3) O autor estabelece comparações entre o coronavirus e aqueles conteúdos psíquicos inaceitáveis que evacuamos, projetamos no exterior como forma de manter estável nossa economia psíquica - tal como é formulado em conceitos como "abjeto" de Julia Kristeva, "objeto pequeno a" de Lacan, "a parte maldita" de Bataille, "o sol negro" de Jung. Antes projetávamos essa nossa parte intolerável o mais longe possível, em pessoas como criminosos, leprosos, loucos, imigrantes, minorias étnicas, constituindo assim todos aqueles objeto de racismo e preconceito. Com o vírus, na medida em que representa o perigo, mesmo as pessoas mais próximas adquirem essa conotação, são portadoras do mal e devem ser evitadas. As paranoias, as teorias conspiratórias, as radicalizações políticas, as negações e mesmo a ideia de sacrificar os mais velhos para que o sistema econômico não entre em colapso são formas de o corpo social criar representações para o terror inominável que o ameaça.
https://merionwest.com/2020/05/18/psychoanalytic-darkness-and-reflections

 

4) Denso artigo sobre a fuga do nazismo empreendida pelos analistas judeus. Segundo a autora, essa experiencia traumática e os lutos dela decorrentes foram sistematicamente reprimidos e dissociados, o que impediu sua elaboração e integração. Tais mecanismos também prevaleceram nas vivências do exílio nos países que os acolheram, onde foram muitas vezes objeto de disfarçada rejeição e onde não se sentiam encorajados a abordar as questões especificas ligadas à condição de judeu.
https://ifpe.wordpress.com/2020/05/14/silenced-and-unsilenced-

 

5) A autora lista cinco formas preferencias usadas para enfrentar uma ocorrência com a pandemia - negação, confrontação, deslocamento, distração e criatividade estética. Tendo em vista a quinta modalidade, o Getty Museum de Los Angeles propôs ao público recriar, com recursos domésticos, os grandes pinturas que admiravam. O convite foi aceito por muitos e no link vemos alguns dos criativos resultados.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis/2020/05/

 

6) Elisabeth Roudinesco comenta a publicação da autobiografia de Woody Allen na França, elogiando a coragem do editor, que enfrentou a pressão de grupos que procuravam boicotar o livro. Comenta o momento cultural, o politicamente correto, em que ,na esteira do MeToo Moviment, grupos atuam de forma violenta procurando impor suas convicções.
https://weekend.lesechos.fr/culture/livres/0603270960369-

 

7) Em entrevista, analista julga discernir três fases no comportamento das pessoas durante a pandemia e confinamento. A primeira, a de "repouso forçado" - as pessoas, descansam, dormem, relaxam. A segunda, do "eu livre", as pessoas redescobrem o lazer, as brincadeiras, curtem o espaço e as relações on line, há um recrudescimento da sexualidade, do erotismo. E a terceira, a "pré-liberação", quando volta o princípio da realidade e se instalam as ansiedades, as paranoias, os medos quanto ao futuro, as preocupações com dinheiro e trabalho, aumentam a impaciência e a tendência a desobedecer às restrições impostas.
https://www.marianne.net/societe/le-confinement-peut-se-decomposer

 

8) Boa entrevista sobre coronavirus e psicanálise com Jamieson Webster, analista de Nova York. Ela critica os colegas que ficam dando recomendações para o público na mídia, se arvoram em profetas e orientadores, quando deveria falar sobre o medo da morte, o enfrentar as perdas, a dificuldade de tolerar a incerteza e aguentar a espera ansiosa até a situação ficar mais clara. As pessoas preferem assumir convicções deliriosas do que tolerar a incerteza, o não saber. A seu ver, a separação do outro causada pela pandemia deveria ser uma boa ocasião para pensar que o se discriminar do outro, romper a fusão narcísica, é uma grande aquisição psíquica que não cessamos de refinar no correr da vida. Devemos lembrar que estamos sempre separados do outro, até mesmo de nós mesmos (do nosso inconsciente). O vírus expôs as fraquezas e falhas da sociedade. Termina fazendo uma declaração interessante, que provoca a reflexão. Lembrando que Lacan havia dito que não lhe interessava a liberdade, diz ela que ao analista não interessa tanto a liberdade e sim a verdade.
https://www.artforum.com/slant/jamieson-webster-and-alison-m-gingeras

 

9) Era Freud gay-friendly? - em artigo conciso, o autor sumariza as posições teóricas e politicas de Freud frente a homossexualidade.
https://www.psychologytoday.com/gb/blog/psychoanalysis-unplugged

 

10) Darien Leader entrevistado em jornal hindu sobre a pandemia, levanta pontos importantes. O primeiro é mostrar como os mais pobres são os mais penalizados, suas condições de vida favorecem o contágio e impossibilitam o confinamento na quarentena, muito diferente do que ocorre com os mais privilegiados, que podem viver a mesma como um período relativamente tranquilo e agradável. Aponta como na pandemia as mortes são tratadas como cifras, números, evitando pensar nas vidas humanas e suas histórias. Traz também a questão do morrer sozinho, do não poder se despedir dos parentes e que é de se esperar que as pessoas sintam angústia, depressão e insônia na situação que atravessamos. Seria estranho se fosse o contrário.
https://www.huffingtonpost.in/entry/darian-leader-covid-fear-anxiety-

 

11) O jornal inglês The Economist fala da extraordinária expansão da pornografia on line ocorrida nesses tempos de pandemia e confinamento.
https://www.economist.com/international/2020/05/10/

 

12) A propósito do lançamento (no final do ano) de seu próximo livro "La sublimation - Velasquez et Bacon", J.D. Nasio fala sobre a relação entre arte e psicanálise, e de que forma a arte o ajuda na prática clínica.
https://www.artistikrezo.com/art/juan-david-nasio-lart-maide-a-soigner

 

13) Psicanalistas gaúchos falam das adaptações que tiveram de fazer para manter o atendimento à distância imposto pela pandemia.
https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/noticia/2020/04/coronavirus-onipresente

 

14) Lançada a tradução inglesa da biografia de Sidonie Csillag, pseudônimo de Margarethe Csonga Trautenegg, a paciente estudada por Freud em "A psicogênese de um caso de homossexualidade feminina", falecida em Viena em 1999. Ao contrário das demais pacientes de Freud, sua identidade permaneceu desconhecida por 80 anos.
https://www.publishersweekly.com/pw/by-topic/authors/interviews/

 

15) Como Freud lidaria com a epidemia, alguns poderiam especular. O artigo diz que ela talvez não fosse tão estranha, desde que ele teve de enfrentar a gripe espanhola que em 1929 matou sua querida filha Sophie, aos 27 anos, como comentou em cartas para o pastor Pfister e para seu amigo Binswanger.
https://www.psychologytoday.com/ca/blog/slightly-blighty/202004/

 

16) O confinamento imposto pela pandemia lançou luz sobre um fenômeno que já ocorre há algum tempo em vários países, mas que tem expressão significativa no Japão. Ali , uma parcela significativa da população - cerca de 1 milhão de pessoas - pratica um voluntário isolamento em suas residências, evitando qualquer contato social. São os "hikikomori".
https://www.infobae.com/america/tendencias-america/2020/05/13/

 

17) Psicanalistas nova-iorquinos falam sobre suas experiências no atendimento on-line.
https://www.nytimes.com/2020/05/03/nyregion/coronavirus-therapy

 

18) Aqui encontram-se links para as 10 melhores cenas de sonho no cinema. São dos seguintes filmes: "Quando fala o coração", de A. Hitchcock; "Morangos Silvestres", de I. Bergman; "Belle de Jour", de L, Buñuel; "Pele de Asno", de Jacques Demy; "O espelho", de A. Tarkoviski; "Eraserhead", de D. Lynch; "O grande Lebowski", de Joel Coen; "Fale com ela", de P. Almodovar; "Brilho eterno de uma mente sem lembranças", de Michel Gondry e "O abrigo", de Jeff Nichols.
https://www.lesinrocks.com/2020/05/15/cinema/actualite-cinema/

 
 Atualizado em 29/05/2020

 



1) Édipo - Trump - Bolsonaro. - A atual pandemia tem exigido dos governantes atitudes firmes no combate às ameaças e perigos dela decorrente. Esse não é um problema novo. No correr dos séculos, pragas dizimaram os povos e seus líderes tiveram de tomar as medidas apropriadas para protegê-los. Trump afastou-se do consenso de seus pares, todos empenhados em zelar pelo bem comum, e aferrou-se a interesses pessoais mesquinhos, tal como tem feito entre nós seu acólito Bolsonaro. Criticando Trump, o articulista norte-americano compara a postura menor de Trump com a abnegação de Édipo, que, para enfrentar e vencer a peste de dizimava Tebas, não hesitou em pagar um preço muito alto. Nesse sentido, a tragédia de Sófocles exporia não tanto a dimensão incestuosa de Édipo e sim sua grandeza enquanto líder que se imola por seu povo.
https://www.latimes.com/entertainment-arts/story/2020-03-26/coronavirus-trump


2) "Psicanálise em tempos de praga" é um interessante artigo escrito por uma analista de Nova York que discorre sobre a nova rotina imposta pela pandemia: o atendimento de pacientes on line e o ser ela mesma assim atendida por sua analista. Critica os colegas que ficam dizendo banalidades e platitudes triviais na mídia, agindo como se fossem gurus que aconselham como as pessoas devem se conduzir nas circunstâncias inéditas de hoje, esquecidos de que esse não é o papel do psicanalista. Não lhe cabe ocupar o lugar idealizado do pai que sabe e protege, o analista deveria mostrar às pessoas o que elas não querem ver delas em si mesmas - o medo da morte, o reconhecer e enfrentar suas ambiguidades e incertezas, o ter de descobrir seus próprios recursos internos e aquilo que as impede de usá-los, o criar condições para que saibam resolver com autonomia os problemas inerentes da vida.
https://www.nybooks.com/daily/2020/04/01/psychoanalysis-in-time-of-plague/


3) Terapeuta londrino fala das complicações que a pandemia trouxe para sua clínica
, a começar pelas estranhezas provocadas pelo atendimento on line e especialmente por compartilhar da mesma experiência traumática com o paciente - a angústia de morte, o medo, a raiva, a impotência.
https://www.theguardian.com/society/2020/apr/23/therapy-during-coronavirus-pandemic


4) Covid-19 e "co-vide" - Uma pequena vinheta clínica na qual uma psicanalista francesa fala de uma situação com uma paciente contaminada com o coronavirus que faz um revelador lapsus linguae ("covid-19" e "co-vide", sendo que "vide" significa "vazio" em francês). A analista foi até sua casa para lhe dar uma sessão, atitude que julga ter sido decisiva na forma como a paciente reagiu à doença e evitou a internação hospitalar. (Vê-se que a analista se tem em alta conta).
https://laregledujeu.org/2020/04/11/35938/le-transfert-au-temps-du-coronavirus/


5) Tripulação de submarino e "neurose de domingo"
- Baseando-se em normas usadas pelas tripulações de submarino, psicólogos e psicanalistas russos dão indicações básicas de como manter o equilíbrio psíquico - fundamental para manter em bom estado o sistema imunológico - durante a quarentena do covid-19: importância das rotinas, exercício físico, evitação de abuso de álcool e outras drogas. Ao abordar a angústia com o confinamento, um deles lembra Viktor Frankl, psicólogo austríaco e prisioneiro de campos nazistas, que estudou o que chamou de "neurose de domingo", assim descrita: "uma espécie de depressão que aflige as pessoas que se apercebem da falta de sentido de suas vidas quando cessam a agitação e ocupações da semana e o vazio interno se evidencia". A quarentena daria oportunidade para refletir sobre os verdadeiros valores da vida.
https://sputniknews.com/world/202004111078920754-submariners-rules-russian


6) Pornografia e papel higiênico - Desde a instalação da pandemia e das medidas protetoras de quarentena e confinamento, aumentou significativamente a procura de sites pornográficos nos países do primeiro mundo. Nesta semana autoridades de alguns países sugeriram explicitamente tal prática bem como o uso do sexo virtual via aplicativos como forma de descarregar a ansiedade e obter prazer sexual por aqueles que estão confinados. Também foi chamativa a procura insana por papel higiênico ocorrida nos primeiros momentos da pandemia, o que pode ser entendido como indício de reatualização de arcaicas pulsões anais ligadas à perda de controle provocada pela situação.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/sex-is-language/202004/porn-and-toilet-paper


7) Psicanalistas portugueses organizam rede de atendimento telefônico para o público acometido de ansiedades decorrentes da pandemia. As queixas predominantes são de medo da morte, da contaminação, claustrofobia, isolamento, brigas de casais e pais assoberbados com o home office e filhos pequenos. Os analistas visam um atendimento pontual. Para tanto, ficam anônimos - os que ligam não sabem com quem falam - e, se quiserem, também não se identificam.
https://www.jn.pt/nacional/da-claustrofobia-aos-conflitos-de-casais-64-psicanalistas

 

8) Matéria sobre como, em função da pandemia e decorrente quarentena, os argentinos estão mantendo suas psicanálises à distância, on line.
https://www.nytimes.com/reuters/2020/04/15/world/americas/


9) Um bem sucedido e premiado escritor de livros infantis norte-americano
publica uma história em quadrinhos de cunho autobiográfico, onde relata sua luta para superar as dificuldades com seus pais drogaditos e como a criatividade artística lhe foi essencial para não sucumbir.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis/2020/04/artwork-and-psychoanalysis


10) Freud foi acusado muitas vezes de adotar posturas misóginas e patriarcais frente as mulheres, especialmente ao escrever seu texto de 1931, "Sexualidade Feminina". É necessário contextualizar aquele escrito para entendê-lo melhor, como já fez antes Elisabeth Roudinesco e agora Jean-François Marmion em artigo "Freud feminista ou sexista?", publicado no jornal "The Psy Cercle". Diz ele: "Embora um terço dos psicanalistas na época fossem mulheres, como Karen Horney e Helen Deutsch, aparecia então Melanie Klein, que ousava desafiar as concepções do mestre, a ponto de alimentar uma dissidência em Londres em face a ‘ortodoxia de Viena'. Estaria Freud querendo impor sua "autoridade? Talvez, mas, de qualquer forma, era o mesmo Freud que em 1926, comparou a sexualidade feminina ao ‘continente negro' e confidenciou em carta para Marie Bonaparte: "A grande questão que permanece não respondida depois de trinta anos de estudo sobre a alma feminina é: o que quer uma mulher?".
https://soirmag.lesoir.be/296424/article/2020-04-24/la-femme-un-etre-castre-et-inferieur-lhomme


11) Lançamento na França do documentário "Freud - un juif sans Dieu"
, estruturado em torno de sua abundante correspondência, lida por grandes nomes do cinema francês como Mathieu Amalric (Freud), Catherine Deneuve (Princesa Bonaparte), Isabelle Huppert (Anna Freud) e outros.
http://www.lezappingdupaf.com/2020/04/sigmund-freud-un-juif-sans-dieu-portrait-intime-
https://diacritik.com/2020/04/06/images-dun-inconnu-sigmund-freud-un-juif

 

12) Laura Marling, uma cantora pop de grande prestígio na Inglaterra e Estados Unidos, lança novo disco muito bem recebido pela crítica e fala de seu interesse pela psicanálise, a ponto de estar fazendo um mestrado nessa matéria.
https://inews.co.uk/culture/laura-marling-album-song-for-our-daughter-i-feel


13) Em 1945 criou-se uma expressão em árabe que correspondesse ao conceito freudiano de inconsciente e em 1950 foi traduzido no Egito "A Interpretação dos Sonhos". No livro "The Arabic Freud" ("O Freud Árabe"), de Omnia El Shakry, a autora mostra como desde a Segunda Guerra Mundial, pensadores egípcios têm trabalhado os conceitos psicanalíticos procurando aproximá-los de clássicos da cultura islamita, procurando ultrapassar o fosso que supostamente existiria entre essas aparentemente tão distantes produções culturais.
https://www.arabnews.com/node/1653831/books


14) Vários psicanalistas interpretam atitudes sintomáticas do presidente Bolsonaro, antes das demissões de Mandetta e Moro.
https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/04/psicanalistas-veem-bolsonaro-com-atitude


15) Christian Dunker comenta em entrevista vários aspectos psicológicos do confinamento.
https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/coronavirus-alguns-sentem-tanto-medo-


16) Nota de falecimento da nossa colega Melany Schvartz

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2020/04/mortes-psicanalista-foi-intensa-

 
 Atualizado em 29/04/2020

 



1) Bolsonaro - Trump - Agamben
Enquanto reconhecidas autoridades sanitárias mundiais preconizam o confinamento e a quarentena das populações como forma de evitar a propagação do coronavirus, dois políticos - Trump e Bolsonaro - se colocam na posição oposta, denunciando o que consideram ser uma "histeria" alimentada por uma imprensa movida por interesses escusos e teorias conspiratórias.
Tal posicionamento, criticado e repudiado ferozmente por todos, tem um inesperado reforço fornecido pelo importante filósofo italiano Giorgio Agamben. Em fevereiro último, quando o vírus não tinha produzido na Itália todo o estrago hoje conhecido, o filósofo, usando seu conhecido aparato teórico, denunciava o confinamento e quarentena como o estabelecimento de um "estado de exceção", com o qual o poder estatal, visando interesses próprios, restringe liberdades essenciais da população, manipulando-a e provocando o pânico. Agamben acredita que, assustada, a população aceita tal situação, reduzindo sua existência à mera sobrevivência física, despojada de toda riqueza ética, simbólica e cultural da vida em sociedade, condição que denomina de "vida nua".
É interessante contrapor a análise de Agamben com a realidade, que mostra a grande maioria das populações acatando de forma consciente e colaborativa tais medidas, não por motivos egoístas e mesquinhos, que se atenham à mera "vida nua", à simples sobrevivência física, e sim por respeito ético à própria vida e à do Outro, especialmente a dos mais vulneráveis, no caso, os idosos.
É verdade que - como diz Agamben - que as deliberações sobre o confinamento e quarentena estabelecem um "estado de exceção" e que esse poderia expressar desejos totalitários do poder, como já ocorreu tantas vezes na história, mas essa tese não pode ser aplicada sem que sejam examinadas as situações específicas em jogo.
No caso em questão, a atitude de Trump e Bolsonaro a invalidam, pois ao invés de defenderem o "estado de exceção", aqueles governantes propugnam o contrário, ou seja, seu encerramento. É claro que não pelos motivos éticos defendidos pelo filósofo - o respeito aos direitos de ir e vir, de se reunir e congregar, o respeito ético pela vida - e sim para "salvar a economia", que estaria ameaçada justamente pelas medidas do "estado de exceção". Essa atitude é vista por muitos como a expressão mais crua da ganância do capitalismo, que, como sempre, coloca o lucro acima de qualquer consideração humanística.
Mais ainda, Trump e Bolsonaro são contra o "estado de exceção" porque ele interfere diretamente em seus objetivos políticos imediatos e a curto prazo, ele ameaça seus planos para se manterem no poder.
Essa discrepância entre a realidade fática e as considerações teóricas de Agamben nos faz pensar que se em outros momentos (os grandes totalitarismos do século XX) as manipulações físicas das massas através de confinamento, proibições de encontros sociais, etc, eram a expressão máxima do poder do estado, hoje em dia - como mostra a postura de Trump e Bolsonaro - esse controle passa por outras vias, especialmente pela manipulação e controle social através das redes da internet, dos "gabinetes de ódio" (Bolsonaro), das "Cambridge Analytica" (Trump).
Situações inesperadas e emergenciais como a que vivemos com a disseminação do coronavirus geram necessariamente angústia e incertezas, é só a duras penas que nossa natureza humana - da qual não podemos escapar - nos permite domar a irracionalidade que domina nosso primeiro impulso à ação.
Frente ao desconhecimento com a situação nova, é necessário coibir a negação da realidade, as soluções onipotentes e mágicas derivadas de visões delirantes ideológicas, a ação dos delinquentes que procuram tirar proveito na confusão que então se instala. Precisamos confiar que no meio do tumulto, persistem aqueles que procuram manter a lucidez e que, agindo de boa-fé, continuam trabalhando para encontrar as soluções possíveis. Tem sido assim na sofrida história da humanidade.
https://itself.blog/2020/03/17/giorgio-agamben-clarifications/
https://ilmanifesto.it/lo-stato-deccezione-provocato-da-unemergenza
 

2) Notícia da morte, aos 88 anos, de Marguerite Derrida - psicanalista, tradutora (especialmente da obra de Melanie Klein) e mulher de Jacques Derrida, com quem teve dois filhos.
https://www.actualitte.com/article/monde-edition/mort-de-marguerite-derrida
https://www.liberation.fr/direct/element/mort-de-la-psychanalyste-et-traductrice

 

3) Resenha do documentário "Dosed", de Tyler Chandler, que acompanha o tratamento realizado com drogas psicodélicas de uma toxicômana crônica. O uso terapêutico de drogas psicodélicas não está legalizado nos Estados Unidos e é praticado de forma clandestina.
https://variety.com/2020/film/reviews/dosed-review-1203541242/

 

4) A plataforma de streaming Netflix lança a série "Freud", no qual o pai da psicanálise aparece como um jovem e ambicioso médico, que, junto com uma médium que lhe pede tratamento, ajuda a polícia a caçar um serial killer à solta em Viena. O enredo mistura livremente a ficção com alguns aspectos da vida de Freud, como na criação da personagem Fleur Salome, vagamente inspirada em Lou Andreas Salome.
http://www.adorocinema.com/noticias/series/noticia-153653/
https://cryptodictation.com/2020/03/24/criticizes-freud-1st-season
https://www.explica.co/netflix-premieres-the-freud-series-inspired-by-the-
https://www.nbc-2.com/story/41927841/sigmund-freud-hunts-down
https://www.thecinemaholic.com/fleur-salome-lou-andreas-salome/
http://www.allocine.fr/article/fichearticle_gen_carticle=18688706.html
https://tv.avclub.com/netflix-s-young-freud-doesn-t-fuck-or

 

5) É bastante difundida a ideia de que a arte provém da mente torturada e tumultuada do artista, como se o sofrimento psíquico fosse um requisito indispensável em sua criatividade. O autor rebate tal concepção e cita os trabalhos de Abraham sobre o pintor Segantini e a obra de Karen Horney, hoje pouco lida. Horney abordou o tema e afirmava que o artista produz não porque sofre, e sim apesar do sofrimento.
https://frieze.com/article/why-do-we-believe-psychological-turmoil

 

6) Um novo documentário sobre Freud será lançado na França em abril próximo. Trata-se de "Sigmund Freud - um juif sans Dieu", de David Teboul.
https://www.psychologies.com/Culture/Medias/Articles-et-Dossiers

 

7) Resenha do livro de Alicia Christoff que estuda as relações entre o romance vitoriano - especialmente as obras de George Eliot e Thomas Hardy - e a psicanálise inglesa.
https://www.timeshighereducation.com/books/novel-relations

 

8) Entrevista do site "Mad in America" com Ian Parker, psicólogo e psicanalista inglês militante radical de esquerda, que expõe suas críticas às práticas psiquiátricas e psicoterapêuticas por vê-las como agentes das estruturas de poder, tendo como objetivo patologizar a emergência de qualquer crítica ou resistência ao status quo que possa surgir em seus usuários.
https://www.madinamerica.com/2020/03/psychology-not-think-interview

 

9) Resenha do livro de Camilo Ramirez - "Haine et pulsion de mort au XXI siècle - ce que la psychanalyse en dit". Centrado em Freud e Lacan, o autor analisa as explosões de violência e destrutividade nas práticas e no discurso social de hoje, especialmente na cultura do ódio corrente nas redes da internet.
https://www.lalibre.be/debats/opinions/comment-canaliser-os-pulsions-de-haine

 

10) Resenha do livro "Freud as a Social and Cultural Theorist: On Human Nature and the Civilizing Process", de Howard L. Kaye. O autor da resenha diz que nesses 80 anos após a morte de Freud, ele foi idealizado nos primeiros 40 e depreciado nos outros 40, basicamente porque suas ideias não se coadunam com o padrão "científico" - o conhecido problema epistemológico que continua a assombrar a psicanálise. O autor do livro vê Freud não como um "cientista" e sim como um grande pensador da cultura, cujo legado enriquece o campo da crítica e da filosofia social.
https://hedgehogreview.com/issues/monsters/articles/what-freud-got-right

 
 Atualizado em 27/03/2020

 


     
 
1) "Le Consentement" é o livro de Vanessa Springora, no qual ela narra sua ligação amorosa com o conhecido escritor francês Gabriel Matzneff. Na ocasião ela tinha 14 anos e ele 50. Matzneff era praticante e defensor de uma sexualidade pedófila, no que era apoiado pela maioria da intelectualidade francesa. A publicação do livro mudou a tolerância social da qual Matzneff se beneficiou e reabriu antigas questões sobre sexualidade infantil, dando munição para os inimigos da psicanálise, que voltaram a acusar Freud - como já o tinha feito Jeffrey Moussaieff Masson - de abandonar a "teoria da sedução" pelo "complexo de édipo" com o intuito de encobrir a realidade excessivamente explosiva do real abuso sexual que havia descoberto. A atual polêmica atinge Françoise Dolto, acusada de tomar o partido dos pais abusadores ao invés de proteger as crianças abusadas.
https://www.marianne.net/debattons/billets/le-consentement-un
https://www.letemps.ch/societe/psychanalyse-porte-une-lourde-responsabilite
https://www.liberation.fr/debats/2020/02/07/elisabeth-roudinesco
https://www.causeur.fr/pedophilie-inceste-francoise-dolto-172822
https://www.lepoint.fr/postillon/dolto-dit-vrai-sur-le-


2) Netflix está lançando seriado austríaco que tem Freud como personagem, auxiliando a caça de um serial killer.
https://pipocamoderna.com.br/2020/02/freud-pai-da-psicanalise-
https://sunriseread.com/netflix-to-launch-sigmund-freud

 

3) Christian Dunker comenta a fala do Ministro Guedes sobre as empregadas domésticas que viajam para Disney. Temos visto com relativa frequência a interpretação analítica de atos e discursos de políticos em suas abundantes produção de atos falhos, lapsus linguae, etc. Um bom exemplo é a permanente elaboração de hipóteses sobre a conduta de Trump. O discurso dos políticos não está primariamente comprometido com a verdade, procura seduzir e convencer para impor seus objetivos . Quando nesse discurso emerge a verdade inconsciente e inconveniente num lapso, o que na maioria das vezes lhe é prejudicial, não poderíamos pensar que isso é a evidência de uma autossabotagem, uma autopunição?
https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/02/

 

4) A autora tem um filho autista e ela mesma sofre de uma forma leve de autismo. Nesse artigo ela discute o conceito de "disparentalidade" ou "parentalidade disfuncional", defendida por uma instituição de formação de profissionais psi na França, que sustenta que pais que sofrem distúrbios psíquicos não estão habilitados a cuidar de seus filhos. Sua argumentação termina se voltando contra a psicanálise, cujos autores, a seu ver, têm visões discrepantes sobre a maternidade e paternidade.
https://blogs.lexpress.fr/the-autist/2020/02/13/parentalite


5) Após um período de ostracismo na psiquiatria norte-americana, aos poucos a psicanálise retoma o reconhecimento como fundamental elemento na formação de jovens psiquiatras.
https://www.psychiatrictimes.com/article/rescuing-essential-componen


6) Publicado em francês agora "Correspondance, Zurich - Tel Aviv, 1933-1959"
, as cartas trocadas nesse período entre Jung e Erich Neumann, seu discípulo judeu.
https://www.jforum.fr/freud-a-jerusalem-jung-a-tel-aviv


7) Faleceu aos 94 anos o psicanalista Leonard Shengold, autor de dois livros conhecidos - um deles o excelente "Haunted by parents - sobre o efeito devastador que traumas e abandonos provocam em crianças, além do que chama "soul murder" ("assassinato de alma") - o deliberado empenho de pais e cuidadores em destruir a mente de crianças indefesas em sua vulnerabilidade.
https://www.nytimes.com/2020/02/04/health/leonard-shengold

 

8) No próximo mês de maio, acontecerá o oitavo Simpósio Trienal de Psicanálise e Arte, patrocinado pela IPA e APA, em Florença (Itália). O tema central será a relação entre a psicologia do espectador e a do artista, a forma como interagem e se retroalimentam. Entre os muitos artistas que estarão presentes, encontra-se Jane MacAdam Freud, bisneta do criador da psicanálise e filha do pintor Lucian.
https://www.theflorentine.net/2020/01/29/psychoanalysis-and-the-arts/


9) O diagnóstico tardio de autismo pode ser muito bem aceito por aqueles que o recebem, pois lhes fornece uma nova forma compreensão de si mesmos, uma explicação sobre as dificuldades sociais e pragmáticas que de longa data os acompanham. As duas autoras do artigo falam com conhecimento de causa, pois tal experiência aconteceu com elas.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/insights-about-autism


Atualizado em 28/02/2020

 


     
1) Dois psicanalistas falam sobre as recentes manifestações políticas ocorridas na França em torno da psicanálise, nomeadamente as que dizem respeito às questões coloniais e pós-coloniais. Consideram que tais questões, embora negadas até muito recentemente, estão presentes no movimento psicanalítico, que tomaria o homem ocidental como modelo universal da humanidade. Seria a psicanálise um exemplo da excelência da cultura "ocidental" que se difunde numa "periferia" estrangeira? Haveria possibilidade de ser pensada uma psicanálise não ocidental? Os autores se detêm sobre a psicanálise na Índia, que teve seu momento mais pujante quando associada à resistência ao pensamento oficial colonial britânico, que desprezava valores culturais hindus por considerá-los feminis, pouco másculos. Citam ainda Frantz Fanon, um psicanalista negro oriundo da "periferia", muito cônscio dessas questões.
https://laviedesidees.fr/L-inconscient-post-colonial.html
 

2) A problemática acima recebe um outro tratamento nos Estados Unidos, onde um psicanalista de Nova York, Donald Moss, ele mesmo caucasiano, propõe que o simples fato de ser branco implica numa "patologia contagiosa, do tipo parasitário, que induz a uma conduta predatória e destrutiva com seres com o tom de pele diferente". Ele divulga suas ideias em conferência denominada "On having whitess" (algo como "padecendo de branquitude" - essa última palavra um neologismo, o equivalente de "negritude"). Parece ser o retorno do reprimido dentro do movimento psicanalítico, que por muito tempo não abordou diretamente o tema do racismo e agora o faz de forma sintomática.
https://www.thenewamerican.com/culture/item/34675-
https://www.thecollegefix.com/psychoanalyst-whiteness-is-

 

3) Uma evidência da mudança da moral sexual é a polêmica que ocorre agora na França, desencadeada pelo lançamento do livro "Le Consentment", escrito por Vanessa Springora, uma prestigiada editora, no qual relata como, aos 14 anos, foi seduzida pelo famoso escritor Gabriel Mazneff, que tinha então 50 anos. O agravante é que Mazneff, atualmente com 83 anos, de longa data assume publicamente sua condição de pedófilo e defende tal forma de sexualidade, postura que, no correr dos anos, foi apoiada por vários importantes escritores e intelectuais, entre ele Sartre. A obra mais conhecida de Mazneff é "Les Moins de Seize Ans" ("Os menores de dezesseis anos"), onde discorre sobre suas atividades eróticas com meninos e meninas dessa idade. Pressionado pela opinião pública, o governo francês se dispõe a retirar pensões que lhe haviam sido dadas. Sophie Robert, inimiga militante da psicanálise, aproveitou a oportunidade e está denunciando Françoise Dolto como defensora de pedófilos, mostrando textos e depoimentos nos quais a reverenciada psicanalista diz não ver gravidade em casos de incesto e outros abusos sexuais de crianças realizados por adultos, além de colocar em dúvida a veracidade dos depoimentos prestados pelas vítimas.
https://www.france24.com/en/20200106-france-may-strip-pension
https://blog.francetvinfo.fr/lesbaobabs/2020/01/16/1412.html

 

4) Um artigo especialmente oportuno, quando há uma preocupação generalizada com a emergência de líderes populistas e demagogos, cujas características psíquicas apontam para um desmedido narcisismo e consequente onipotência, facilitadores de condutas impulsivas e destrutivas. O autor relembra o perfil psicológico de Adolf Hitler encomendado pelo Departamento de Estado norte-americano durante a II Guerra Mundial e realizado pelo psicanalista Walter C. Langer. A conduta de Hitler era ditada pelos seguintes princípios, que prontamente reconhecemos nas afirmações de muitos políticos atuais: "Nunca admitir uma falta ou um erro; nunca admitir que pode haver algo de bom no seu inimigo; nunca deixar margem para alternativas; nunca aceitar a culpa; concentrar num inimigo por vez e culpá-lo por tudo que acontece de errado; as pessoas acreditarão numa grande mentira mais rapidamente do que numa mentira pequena; se você a repetir o bastante, as pessoas, mais cedo ou mais tarde, irão acreditar nela".
No texto há um link que remete diretamente para o texto original de Langer.
https://www.the-american-interest.com/2020/01/16//

 

5) Psicanalista francês Rodolphe Oppenheimer traça um pequeno esboço psicanalítico de Carlos Ghosn, e CEO da Nissan-Renaulta ("falta de empatia", "narcisismo exasperado") ao comentar sua espetacular fuga do Japão para o Líbano, pela qual teria pago a modesta quantia de 20 milhões de euros.
https://www.caradisiac.com/carlos-ghosn-portrait-psychanalytique-

 

6) Dois psicanalistas, um homem e uma mulher, falam sobre seu livro "A comédia dos sexos". Embora muito condensado, em seu depoimento os autores aparentemente reafirmam a importância freudiana da castração e dos efeitos estruturantes que ela provoca nos dois sexos e na constituição do patriarcado. Mostram a diferença entre a posição feminina (amor) e a masculina (desejo), assim como apontam para a gênese do patriarcado e a "misoginia que existe na base do desejo masculino".
https://www.breakingnews.fr/international/la-comedie-des-sexes

 

7) Última moda em Paris: tirar foto do seu saco de lixo e postar no Instagram, provando como você produz poucos dejetos e dessa forma merece os elogios de todos por não contribuir para poluir o planeta, matando os oceanos com o excesso de plástico. A autora ironiza, perguntando-se se isso não seria um subproduto da fase anal, quando a criança oferece orgulhosa para a mãe sua produção fecal e espera a recompensa em amor.
https://www.femina.ch/societe/actu-societe/ledito-de-sonia-arnal


8) Artigo irônico e bem-humorado que dá uma nova interpretação para o famoso filme "Spellbound" (1945), de Hitchcock (no Brasil, "Quando fala o coração"),
no qual Ingrid Bergman faz o papel de uma psicanalista que trata um complicado paciente (Gregory Peck). A autora mostra que o filme trata menos dos traumas e neuroses de Gregory Peck do que as agruras de Ingrid Bergman num mundo machista e patriarcal, onde os homens não toleram vê-la como uma profissional competente.
https://www.nytimes.com/2019/12/26/opinion/spellbound-movie-hitchcock.html

 

9) No livro recém-lançado "Prédire l´enfant", o psicanalista francês François Ansermet critica a tendência disseminada de usar tanto a psicanálise como a genética para fazer previsões ou profecias sobre o futuro de uma criança, sem que seja levada em conta a grande importância do acaso no devir de qualquer sujeito.
https://next.liberation.fr/livres/2019/12/25/predire-l-enfant-les-spirales


Atualizado em 28/01/2020

 


     
1) Nos quatro links abaixo vemos a continuação da disputa dos psicanalistas franceses contra um grupo de ativistas que os difamam e querem impedi-los de participar das perícias judiciais e demais funções frente ao estado. Uma das líderes no ataque é Sophie Robert, documentarista autora de "Le Mur" e "Le Phalus et le Neant", nos quais entrevistou psicanalistas que se saíram muito mal ao abordar suas práticas e a própria teoria. É interessante ler o que ela escreve para se ter conhecimento da argumentação que estes nossos opositores usam atualmente na França.
https://blogs.mediapart.fr/sophie-robert-realisatrice/blog
https://blogs.mediapart.fr/edition/contes-de-la-folie-ordinaire/
https://blogs.mediapart.fr/roland-gori/blog/131219/lr
https://blogs.mediapart.fr/gerard-pommier-75010/blog/0


2) Recentemente o Papa Francisco declarou que anos atrás procurou um psicanalista judeu na Argentina, com quem fez um período de análise. É uma declaração corajosa e surpreendente, que põe fim - de certa maneira - as desconfianças e hostilidades que persistiram durante algum tempo entre o catolicismo e a ciência criada por Freud. Esse artigo, publicado numa revista jesuíta norte-americana, faz um breve histórico da relação de respeito e aceitação dessa ordem com a psicanálise, nomeando quatro padres jesuítas que exerceram a prática da psicanálise.
https://www.americamagazine.org/faith/2019/12/13/shrink-and-spiritual-


3) Curto artigo de Zizek lembrando que a sexualidade humana é "intrinsecamente perversa",
desde que nela os jogos de poder e a dimensão sadomasoquista jogam importante papel, sendo difícil falar em "sexualidade saudável". Uma evidência disso é presença da pornografia na internet, negada (no sentido psicanalítico) apesar (ou por isso mesmo) de ser largamente procurada.
https://life.spectator.co.uk/articles/human-sexuality-is-innately-perverse/


4) Notícia do livro "Mort de Honte - Autobiographie d´um psychiatre", de Serge Tisseron. Nele o autor relata a dimensão transgeracional da neurose familiar, os traumas que seus pais sofreram com seus próprios pais e que, inconscientemente, transmitiram para os filhos. Tisseron é um aficionado de histórias em quadrinho e também autor nessa forma de expressão. Admirador da obra de Hergé, descobriu um segredo da família dele através da análise dos livros de Tintin.
https://www.atlantico.fr/decryptage/3583854/-mort-de-honte--autobiographie-d-un-psychiatre


5) Dentre tantas opções, que tipo de terapia escolher? Artigo simples para o grande público ensina porque a psicanálise é a escolha mais confiável.
https://www.refinery29.com/en-us/what-is-psychoanalytic-therapy-psychoanalysis

 

6) O livro "As clínicas públicas de Freud" de Elizabeth Ann Danto ganhou o Prêmio Goethe. Aborda as clínicas implantadas na Europa no período do entre guerras, que quebram a ideia de que psicanálise é voltada exclusivamente para a elite e inoperante quando se trata da saúde pública.
https://www.publishnews.com.br/materias/2019/12/18/psicanalise-e-justica-social

 

7) Obituário de Margareth Lawrence, a primeira psicanalista negra norte-americana, falecida aos 105 anos. Pioneira na luta contra o racismo, formou-se em medicina e foi uma respeitada pediatra e psicanalista de crianças.
https://face2faceafrica.com/article/margaret-lawrence-the-first-african
https://tntribune.com/women/lawrence-pioneering-black-femal

 

8) Pequenos trechos de um artigo de 10 anos atrás, no qual o autor escreve sobre um fenômeno então novo - a adição à internet, a criação de um mundo dissociado onde aspectos cindidos da personalidade poderiam se manifestar.
https://blogs.psychcentral.com/see-saw-parenting/2019/12/ti

 

9) Psicanalista marroquino analisa o fenômeno dos "Youtubers", considerando-o um novo modelo de publicidade visando a venda de produtos mostrados ou usados por eles, com quem os espectadores se identificam. É citada ainda a entrevista no qual ele fala da obsessão dos homens do Marrocos com as nádegas femininas (veja "Psicanalise no Mundo - novembro 2019).
https://fr.hespress.com/111734-la-routini-alyaoumi-attitude-analysee

 

10) Svetlana Replina é uma artista russa multi-media residente em Moscou, que é também praticante da logoterapia, criada por Viktor Frankl. No momento está em formação psicanalítica e diz usar dessa experiencia na produção de sua arte.
https://www.prunderground.com/russian-artist-svetlana-

 

11) Autora fala sobre as semelhanças e diferenças entre a psicanálise de crianças e a de adultos.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis/2019/1


12) A violência doméstica do homem contra a mulher e crimes como o feminicídio decorrem da tríade patriarcado, falocentrismo e machismo. A sociedade precisa combater essa secular visão equivocada que sustenta o poder masculino.
https://www.huffingtonpost.fr/entry/la-foi-dans-la-domination-masculine-


13) Interessante blog centrado no ensino de Freud a universitários em geral (não apenas estudantes de psicologia).
http://www.psycheoncampus.org/


Atualizado em 19/12/2019

 


     
1) A psicanálise sofre mais um ataque organizado na França, em 30 de outubro último, jornais como "Le Nouvel Observateur" e "Figaro" publicaram manifestos assinados por 60 psiquiatras e psicólogos, solicitando que a psicanálise e os psicanalistas sejam excluídos das perícias judiciais. Na verdade, o pedido é mais abrangente. Eles solicitam que a psicanálise seja excluída da psiquiatria, da psicologia, da universidade, dos tribunais, das instituições estatais. Os ataques vêm de algum tempo, organizados por partidários das neurociências e terapias comportamentais behavioristas, que lutam para excluir a psicanálise do tratamento de autistas. "Uma pseudociência, dogma nefasto, ensino que viola a medicina", dizem eles. Um dos pilares do movimento é Sophie Robert, militante anti-psicanalise e autora dos documentários "Le Mur" (2011) e o recente "Le phalus et le neant".
https://blogs.mediapart.fr/edition/contes-de-la-folie-ordinaire/articl
https://www.jim.fr/en_direct/pro_societe/e-docs/
http://sante.lefigaro.fr/article/des-psychiatres-et-des-psychologues-
https://blogs.mediapart.fr/edition/contes-de-la-folie-ordinaire/article/
https://www.nouvelobs.com/justice/20191101.OBS20581/la-psychanalyse


2) Artigo escrito por dois psicanalistas e publicado no jornal on line da poderosa APA (American Psychiatric Association) faz um breve e acurado histórico das relações entre a psiquiatria e a psicanálise nos Estados Unidos, mostrando como a psicanálise está superando o ostracismo ao qual foi ali relegada nos últimos anos.
https://psychnews.psychiatryonline.org/doi/10.1176/appi.


3) Resenha de três livros sobre autistas enquanto leitores e escritores,
nos quais é refutada a ideia corrente de que existe uma antinomia entre autistas e retórica, discurso e literatura. Os autores fazem um claro esforço de retirar o aspecto negativo, de falta e defeito, habitualmente ligado à noção de autismo, e de positivar tal condição, considerando-a não como uma patologia e sim como uma decorrência da neurodiversidade, uma variação da condição humana, com características próprias a serem respeitadas e valorizadas. Rodas, uma das autoras, acredita que existe uma "estética autista", presente em inúmeras obras primas da literatura. Diz ela : "O separar personagem da narrativa (...) encoraja os leitores a considerarem o autismo como uma classificação puramente clínica, um rótulo diagnóstico atribuído a uma pessoa. Tal conduta obscurece a possibilidade de ver o autismo como uma categoria estética, cultural, literária, linguística ou retórica, uma forma de ser e expressão que poderia emergir não apenas como atributo pessoal, mas também como modalidade de arte e moda, música e literatura, design e poesia literária".
https://sydneyreviewofbooks.com/autism-aesthetics-rodas-yergeau


4) Donald Kuspit, um dos mais respeitados e famosos críticos de arte dos Estados Unidos faz uma extensa observação sobre a arte e psicanálise, retomando textos freudianos e pós-freudianos que se debruçaram sobre a criatividade dos artistas
https://whitehotmagazine.com/articles/on-artist-as-ideal-patient/4423


5) A autora desse artigo, Susannah Cahalan, escreveu "Brain on fire", livro em que relata sua experiência de ter sofrido um erro médico, quando diagnosticaram como quadro psiquiátrico a grave doença autoimune da qual sofria. Dando continuidade a seu trabalho sobre o assunto, Cahalan descobriu que David Rosenhan, psicólogo da prestigiada Stanford University, havia falsificado praticamente todos os dados de sua importante pesquisa, publicada 1972 com o título "On being sane in insane places". Na ocasião, tal pesquisa recebeu extraordinária atenção da academia e da mídia e provocou uma grande comoção no establishment psiquiátrico norte-americano, fazendo com que inúmeros asilos fossem fechados. O artigo nos faz pensar sobre os argumentos de autoridade e de como mesmo as instituições mais sérias e conceituadas não estão imunes a fraudes.
https://nypost.com/2019/11/02/stanford-professor-who-changed-


6) Segredos de família, devem eles ser expostos ou zelosamente mantidos?
Ao contrário do espírito do tempo, que estimula o exibicionismo e as confissões públicas, especialmente nas redes sociais, a autora Karen Vallgarda, professora de história da Universidade de Copenhagen, mostra como os segredos de família fazem parte de uma complexa teia de relacionamentos e compromissos afetivos e que seu rompimento e exposição podem ter consequências graves e imprevisíveis. Em tempos passados, diz a autora, "segredo" e "privacidade" eram praticamente sinônimos, o que não ocorre em atualmente, quando se é muito sensível em questões ligadas à "privacidade", ao mesmo tempo que se insiste na abertura de "segredos" em confissões pessoais e familiares.
https://aeon.co/essays/why-family-secrets-should-sometimes-stay-


7) Artigo de uma psicóloga de Utah,
estado norte-americano onde a religião mórmon exerce grande influência. Levando em conta que a lei daquele estado considera uma ilegalidade qualquer procedimento médico ou psicoterapêutico que vise modificar a crença religiosa de alguém, argumenta que o mesmo princípio deveria ser aplicado nas chamadas "terapias de conversão", que visam modificar as preferências sexuais especialmente de crianças e adolescentes.
https://www.sltrib.com/opinion/commentary/2019/11/10/sara-scholes-it-is/

 

8) Na França, grupos defendem o direito de morrer "se eu quiser e quando quiser". Roudinesco, em curto e instigante artigo, desconstrói as premissas dessas reivindicações, mostrando seus equívocos e desfazendo confusões. Para ela, a lei deve ser modificada para permitir que doentes terminais cessem de sofrer inutilmente. Argumenta que é uma contradição em termos falar-se em "suicídio assistido" e que o termo "eutanásia", dada sua forte conotação negativa, deve ser substituído por outro mais condizente com a realidade sociocultural do momento.
https://www.liberation.fr/debats/2019/11/07/mourir-si-je-veux-quand-je-veux_1762182

 

9) O escritor Yann Moix continua provocando polêmicas após o lançamento de seu último livro "Orleans", uma autoficção onde relata graves abusos que seus pais lhe teriam infligido na infância. Além disso, tenta justificar como pecados da juventude (tinha 20 anos então) a publicação de quatro revistas em quadrinhos de sua autoria, com material hoje inaceitável, por ofender o politicamente correto - racismo (contra negros e judeus), sexismo, ataques aos pobres.
https://www.lalibre.be/culture/medias-tele/yann-moix-sort-du-silence-


10) Resenha da biografia do pintor Lucien Freud,
neto do pai da psicanálise. Escrita por William Feaver, esse primeiro volume aborda o período de sua juventude, onde se fixa sua personalidade voltada para a provocação e o desafio das convenções sociais.
https://www.drb.ie/essays/born-to-provoke


11) Leiloada em Jerusalém uma carta amistosa e afetiva de Freud para uma ex-paciente, cujo marido se suicidara. Ela era um membro da poderosa família Wittgenstein, filha do magnata e irmã do famoso filósofo.
http://www.startribune.com/intimate-freud-letter-up-for-sale-reveals-his-softer-


12) Psicanalista e escritor Frank Tallis lança novo livro "The incurable romantic", onde mostra que apesar da tecnologia ter proporcionado grandes aberturas no trato da sexualidade (com a pornografia on line e aplicativos de encontros amorosos, por exemplo), a verdade é que ela não conseguiu banalizar as relações amorosas, que continuam tendo a mesma importância na vida afetiva das pessoas. Mais ainda, a tecnologia não conseguiu criar um amor sem inibição ou impedimentos internos, pois, diz ele, "nosso hardware continua produzindo culpas". Tallis lembra-nos que o amor não correspondido é causa de inúmeras perturbações psíquicas e não raro leva ao suicídio, os ciúmes amorosos são a causa imediata de 10% dos assassinatos nas estatísticas europeias. Para ele, tirando a pedofilia e as situações que coloquem em risco a integridade física dos praticantes, não existe anormalidade no sexo.
https://www.timesofisrael.com/the-tech-age-offers-easy-free-love-but-


13) Elizabeth Roudinesco
escreve um livro explicando a noção de inconsciente freudiano para as crianças.
https://www.terra.com.br/noticias/dino/psicanalista-francesa-desmistifica-


14) Judith Butler participa da psicanálise a céu aberto de Donald Trump,
ao comentar a ameaça de impeachment que lhe é movida, enfatizando sua habitual onipotência, que o faz julgar-se acima e fora da lei. O comportamento inadequado de Trump gera perplexidade e medo em observadores qualificados, e muitos equacionam suas iniciativas na política como coisa de "gênio" ou de "suicida".
https://www.lrb.co.uk/v41/n20/judith-butler/genius-or-suicide


15) O autor mostra como as postagens no Twitter
fornecem material revelador do estado mental do missivista, permitindo manipulações da mais variada ordem e amplitude. Cita pesquisas realizadas nesse sentido.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/social-instincts/201911/how-psychoanalyze-twitter-feed


16) Psicanalista de Argel explica a obsessão dos homens do Marrocos pelo derrière feminino, as nádegas das mulheres.
http://article19.ma/accueil/archives/120378

 

17) Apenas mulheres e homens gays se preocupam com a imagem corporal ou têm problemas alimentares (anorexia, bulimia etc)? A autora mostra que esses estereótipos não correspondem à verdade. É grande a parcela da população masculina que sofre com esses distúrbios, que passam desapercebidos inclusive de médicos. No segundo link, noticia sobre dois livros que abordam problemas alimentares.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/psychoanalysis-unplugged/2-
https://finance.yahoo.com/news/2020-iaedp-symposium-presents


Atualizado em 04/12/2019

 


     
1) Olga Tokarczuk, a polonesa vencedora do Prêmio Nobel de Literatura, diz que a leitura de "Além do princípio do prazer", de Freud, realizada quando era adolescente, foi o primeiro passo para se transformar numa escritora. Ali descobriu que "a interpretação é a chave da realidade". Apesar de disso, diz que sua literatura, como a de toda Europa Central, é mais meândrica, não segue uma estrutura linear, por não ser tão influenciada pela psicanálise. Tokarczuk foi estudante de psicologia, trabalhou com drogaditos e é considerada uma "arqueóloga da psique coletiva" de seu país. Talvez por isso mesmo é atacada pela direita polonesa, na medida em que desafia a história oficial e expõe aquilo que, para muitos, deveria continuar secreto.
https://www.theguardian.com/books/2018/aug/24/olga-tokarczuk
https://frieze.com/article/nobel-laureate-olga-tokarczuk


2) Artigo fala sobre a pouco conhecida tentativa realizada pelo México para salvar Freud dos nazistas. Na ocasião, o presidente Lázaro Cárdenas havia aberto as portas do México para intelectuais, socialistas e comunistas fugidos da Guerra Civil Espanhola. Sindicatos e movimentos de esquerda o pressionaram para dar asilo a Freud e seus familiares.
https://thereader.mitpress.mit.edu/mexico-attempt-save


3) Resenha escrita pelo premiado escritor irlandês Colm Tóibín sobre o livro "The Lives of Lucian Freud: Youth, 1922-68" de William Feaver. Neto do criador da psicanálise, Lucian foi desde a infância uma pessoa rebelde, não se adaptando aos padrões sociais. Teve uma vida muito acidentada, exercendo sua sexualidade com homens e mulheres, com várias das quais teve 14 filhos e foi um pai completamente ausente. Terminou por se firmar como um grande pintor, seguindo uma trilha muito pessoal, sem se filiar a escolas e modismos.
https://www.lrb.co.uk/v41/n19/colm-toibin/falling-in-love


4) Universidade americana promove debate com Slavoj Zizek, no qual os super-heróis são colocados no divã. Um dos palestrantes faz uma comparação entre Superman e Batman, mostrando que os dois representam aspectos cindidos de uma mesma personalidade. Batman, com sua incapacidade de superar o assassinato dos pais, expõe o lado negro do Superman. Zizek estuda a relação de Batman com Coringa, apontando a semelhança entre eles, salientando que Coringa é o que não nega e aceita sua própria maldade. O debate provocou reações fortes na plateia e teve de ser abruptamente interrompido.
http://www.dailyprincetonian.com/article/2019/10/professors


5) Nova polêmica polariza os psicanalistas franceses. Recentemente 80 deles assinaram um manifesto expressando preocupação com o que julgam ser uma hegemonia do pensamento descolonial, que supervaloriza as reivindicações identitárias e comunitaristas. Isso lhes parece inadequado, desde que alegam ser próprio do trabalho psicanalítico analisar e desconstruir formações identitárias. Em seguida, 150 outros analistas e intelectuais respondem com outro manifesto, apontando para o crescente preconceito e ataques contra raça, cor e religião (como o que ocorre com o islã), o que os leva a entender o recrudescimento das formações identitárias como uma forma necessária de resistência política.
https://www.liberation.fr/debats/2019/10/03/panique-decoloniale-chez-les
https://www.marianne.net/debattons/billets/ce-que-la-psychanalyse
https://blogs.mediapart.fr/blaz/blog/270919/fraternite


6) Interessante artigo que mostra como se tenta patologizar os partidários do vegetarianismo e do veganismo, com falsas informações e estatísticas. Na opinião da autora, tais preferências decorrem de escolhas morais, realizadas por pessoas realmente mais sensíveis do que a maioria, que padecem mais intensamente com a agressiva oposição que lhes é dirigida, num mundo onde o uso e abuso dos animais é uma prática universal, naturalizada e inquestionada. Os vegetarianos ou veganos, em sua opinião, não são doentes mentais. São pessoas saudáveis e responsáveis, perdidas num mundo perturbado e mau.
https://blogs.psychcentral.com/veganism/2019/10/is-veganism-a-mental-disorder/


7) Densa entrevista do Los Angeles Review of Books com Alenka Zupancic - psicanalista e marxista - sobre politica feminina e diferença sexual, onde defende que as questões referentes à sexualidade não devem ser pautadas pela problemática da identidade.
https://lareviewofbooks.org/article/sex-without-identity


8) A analista e filósofa francesa Sabine Prokhoris reflete sobre o atual movimento de busca da identidade do pai por parte de filhos de doadores anônimos de sêmen, que promovem manifestações para mudar a atual lei que não reconhece seu direito de conhecer o pai. A autora comenta o cartaz usado pelos manifestantes, que trocaram o famoso lema da Revolução Francesa, ‘Igualdade, Liberdade, Fraternidade", por "Igualdade, Liberdade, Paternidade", desatentos às incongruências e implicações teóricas advindas dessa mudança. Prokhoris aborda ainda questões ligadas ao colonialismo e descolonização, que envolvem o explosivo tema da "raça" (veja item 5).
https://www.liberation.fr/debats/2019/10/17/de-l-usag


9) As polêmicas sobre a relação entre psicanálise e literatura
são retomadas no livro de Michel Crouzet, "Psychanalyse et culture literaire", examinado nessa resenha feita por Gregoire Tavernier.
https://www.fabula.org/revue/document12420.php


10) Em estrevista, Elisabeth Roudinesco fala sobre vários assuntos, como a eleição de Trump e Bolsonaro, o populismo na política, o efeito das redes sociais na sociedade, seu novo livro "Vocabulário Amoroso da Psicanálise" e outras questões atuais.
http://www.vermelho.org.br/noticia/324034-1

 

11) Lançado agora o filme com a história de Judy Garland, com Renée Zellweger. Segundo o texto, o roteiro traça um "perfil psicanalítico" da cantora, enfatizando sua difícil infância e a perda da custódia dos filhos em função do abuso de álcool e drogas, perda que não conseguiu superar.
https://www.henleystandard.co.uk/news/cinema/144813


12) Titular do departamento de filosofia da Pensylvania State University discorre no Foley Institute sobre como a teoria psicanalítica pode ser útil para a compreensão do populismo de direita e a polarização politica em andamento em vários países, como nos Estados Unidos. Usando o referencial kleiniano, a professora analisa como líderes autoritários manipulam, em função de seus próprios interesses, a persecutoriedade e a paranoia da população.
https://dailyevergreen.com/63452/news/guest-explains


13) O artigo comenta e recomenda seis filmes centrados em dramas que envolvem personagens em tratamento psicoterápico ou necessitados de internação psiquiátrica. São eles: "The Mountain" (2018), de Rick Alverson; "Spellbound" ou "Quando fala o coração" (1945); "The Cobweb" ou "Paixões sem freio" (1955), de Vincent Minelli; "Monster in the box" (1992), de Nick Bloomfield; "O quarto do filho", de Nanni Moretti e "Rois et Reine" ("Reis e Rainha", 2004), de Arnauld Desplechin.
https://www.chicagoreader.com/chicago/movie-tuesday


Atualizado em 29/10/2019

 


     
1) Há 80 anos, em 23 de setembro de 1939, morria Freud. A guerra de 16 anos com o câncer estava perdida e, com anuência da filha Anna, ele pede a seu médico Max Schur que o liberte definitivamente. Sua obra provocou um imenso impacto na cultura e continua viva e despertando, como sempre, fortes reações.
https://www.infobae.com/america/cultura-america/
https://www.huffingtonpost.fr/entry/freud-80-ans-ap
https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/deutschewelle
 

2) A renomada Janet Malcolm resenha a biografia de Susan Sontag escrita por Ben Moser, também biógrafo de Clarice Lispector. Malcolm faz interessantes incursões sobre a biografia enquanto gênero literário, ressaltando a relação de amor e ódio entre biógrafo e biografado; o papel dos amigos do biografado, que se autorizam a quebrar o sigilo de antigas confidências, e dos inimigos, que usam seus depoimentos como forma de exteriorizarem vinganças e ataques longamente guardados. No caso em questão, Malcolm aponta para a falta de empatia entre Moser e Sontag, que o faz compor uma imagem de Sontag mais soturna e desagradável do que ela merecia.
https://www.newyorker.com/magazine/2019/09/23/susan

 

3) "Orléans", último livro do escritor francês Yann Moix era um forte candidato ao Prêmio Goncourt, um dos mais importantes da França, até surgirem evidências de um passado antissemita, o que o eliminou da disputa. Também não ajudou o fato de seu pai ter negado peremptoriamente os abusos físicos e morais que teria infligido ao filho, descritos no livro. Retoma-se assim as interessantes questões em torno das fronteiras entre ficção e realidade presentes na chamada autoficção. Jacques van Rillaer, um dos autores do "Livro negro da Psicanálise", aproveita a oportunidade para afirmar que o livro de Moix é produto de 15 anos de psicanálise, esse perigoso instrumento que visa destruir as famílias e os bons costumes.
https://www.larep.fr/orleans-45000/loisirs/sortie-
https://blogs.mediapart.fr/jacques-van-rillaer/blog

 

4) Em "Passeando de carro com Lacan", o autor discorre sobre a paixão que Lacan tinha por carros (possuía um Citroën DS, na época um ícone de estilo e velocidade) e sua maneira peculiar de dirigir, sem respeitar os semáforos. Essa paixão transparece no uso que fez do carro para ilustrar aspectos da clínica e da teoria.
https://www.nybooks.com/daily/2019/08/21/riding-in-cars-with-jacques-lacan/

 

5) Frente à perplexidade e medo desencadeados pelos assassinatos em massa nos Estados Unidos, a sociedade procura entender suas causas e estabelecer medidas preventivas. Nesse contexto, a mídia costuma atribui tais acontecimentos à "doença mental" dos perpetradores, o que aumenta o preconceito já existente em torno dessa condição. Dois professores de psiquiatria tentam explicar que comportamentos cruéis e imorais não são necessariamente expressão do que leigamente se chama de "doença mental".
https://www.psychiatrictimes.com/couch-crisis/cruel-immoral-behavior-not-mental-illness

 

6) Artigo publicado na revista "Science" afirma que a orientação sexual não é definida por um único gene e sim por múltiplas regiões do genoma e pelo meio ambiente. Desta forma fica esvaziada a hipótese do ‘gene gay" de Dean Hamer, que circula desde 1993.
https://www.theguardian.com/science/2019/aug/29/scientists
https://www.lemonde.fr/sciences/article/2019/08/30

 

7) "Entre Édipo e a esfinge" é a exposição em curso no Freud Museum de Londres, explorando o grande interesse de Freud pela civilização egípcia, presente em vários momentos de sua obra, culminando com a última, "Moisés e o monoteísmo".
https://www.spectator.co.uk/2019/08/why-was-sigmund-freud
https://www.timesofisrael.com/freuds-fetish

 

8) Um jovem terapeuta fala da discrepância entre o modo como o processo terapêutico é descrito em textos didáticos ou em trabalhos científicos - quando interpretações e intervenções funcionam harmonicamente e a contento - e o que efetivamente ocorre no encontro com o paciente, situação na qual o terapeuta luta para se orientar em meio a denso nevoeiro.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/

 

9) O autor procura falar para aqueles que perderam um ente querido por suicídio. Como anos antes ele mesmo tentou tirar sua própria vida, sente-se autorizado a opinar sobre o assunto. Elencando cinco itens, procura basicamente aliviar a culpa que costuma se instalar nos familiares, afirmando que o suicida não deseja agredi-los e que os motivos que o levaram ao gesto final são complexos demais para que alguém se sinta diretamente responsável.
https://www.healthline.com/health/mental-health/losing-someone-to-suicide

 

10) "Psychosia", filme da estreante dinamarquesa Marie Grahto, apoia-se fortemente na psicanálise e tem como modelo inspirador o clássico "Persona", de Ingmar Bergman.
https://www.cineuropa.org/en/interview/377150/

 

11) Seleção de filmes e vídeos no YouTube sobre psicanálise.
https://www.youtube.com/playlist?list=

 

12) Reportagem sobre a criança transgênero mais nova da Inglaterra. Luna (nome escolhido depois da "passagem") é filha de mãe solteira, que alega ter o filho expressado o desejo de ser menina desde os 3 anos.
https://www.mirror.co.uk/news/uk-news/my-girl-became-youngest-trans-20138358

 

13) Mark Gerald, fotógrafo e psicanalista, lança o livro "In the shadow of Freud´s couch: Portraits of Psychoanalysts in their offices". Como o título explicita, são fotos de psicanalistas em seus consultórios. Gerald viajou por 27 cidades em 10 países, coletando o material para seu livro.
https://cheese.konbini.com/photographes/rencontre

 

14) Pequeno artigo retirado do livro "On the couch: A repressed history of the analytic couch from Plato to Freud", de Nathan Kravis. Mostra que o uso do divã na psicanálise é uma apropriação, por parte de Freud, de um mobiliário comum em sua época, usado nos tratamentos para tuberculose e para as doenças mentais.
https://thereader.mitpress.mit.edu/freud-19th-century-therapeutics/

 

15) A psicanalista carioca Malvine Zalcberg, lança o livro "De menina a mulher: cenas da elaboração da feminilidade no cinema e na psicanálise". Nele a autora analisa filmes como "Mommy", "Cisne Negro", "Cidade dos sonhos", "Juno", "Como nossos pais".
https://alias.estadao.com.br/noticias/geral,livro-analisa

 

16) Curta resenha do livro "The Playstation Dreamworld", de Alfie Bown. Este autor diz inspirar-se na psicanálise lacaniana para falar dos videogames, centrando sua atenção não no conteúdo dos jogos e sim em como eles atuam sobre o jogador. Para ele, há uma "desnaturalização do desejo", pois o jogador se submete ao desejo dos criadores do jogo, obedecendo a seus ditames arbitrários e habitando um espaço estruturado e criado por eles. Nesse processo, para Bown, os jogos são como sonhos nos quais desejos estranhos ao próprio jogador e "ideologias corporativas" lhe são implantados, o que produziria alterações em sua subjetividade.
https://mancunion.com/2019/09/19/review-the-playstation-dreamworld-%E2%80%8Bby-alfie-bown/

 

17) Qual seria mesmo o lugar que Freud ocupa no panteão dos grandes pensadores? Seria um cientista, um intelectual, um grande escritor, um filósofo? O autor o vê no centro das guerras culturais ("culture wars") que há décadas grassam especialmente na academia dos países anglófonos. Embora nessas guerras Derrida seja o alvo preferido daqueles que lutam para a restauração dos valores convencionais que - pensam eles - estabilizariam a sociedade, Freud também está na mira, pois, como diz o próprio Derrida, a desconstrução é outra face da psicanálise.
https://www.abc.net.au/news/2019-09-17/was-freud-a-philosopher/11504918

 

18) Resenha do livro "Mind Fixers: Psychiatry´s Troubled Search for the Biology of Mental Illness", pela historiadora de Harvard Anne Harrington. O livro conta o fracasso da psiquiatria em achar as causas biológicas da doença mental, empreendimento fortemente sustentado pela indústria farmacêutica e que se impôs nas últimas décadas, afirmando que as psicoterapias eram ineficazes como forma de tratamento.
https://thestute.com/2019/09/13/can-psychiatry-heal

 
Atualizado em 30/09/2019

 


     
1) Artigo do "Paris Review" que trata da experiência com drogas realizada por grandes autores, como Artaud, Sartre, Husserl e Benjamin. Sartre tomou mescalina aplicada por Lagache e teve uma "bad trip", que o fez procurar o jovem Lacan como terapeuta, perseguido que estava por alucinações com "chatos" (piolhos pubianos). Por sua vez, Benjamin, inspirado pela obra "Paraísos Artificiais" de Baudelaire, usou mescalina e haxixe (às vezes supervisionado pelo psiquiatra Fritz Fränkel) e, de modo geral, não lhe foi muito útil ou prazerosa tal experiência.
https://www.theparisreview.org/blog/2019/08/21/sartres-bad-trip
 

2) O reconhecimento do patriarcado e suas profundas consequências nas relações sociais e na política é tema cada vez mais presente em debates em torno do mundo. Nesse sintético artigo, usando exemplos clínicos, a autora mostra como suas evidências passam habitualmente desapercebidas por serem naturalizadas em nossa cultura.
https://www.ipa.world/IPA/en/News/Patriarchy_.aspx

 

3) Curta resenha de "Those who come after", último livro do sempre interessante psicanalista inglês Stephen Frosh, que trata dos traumas transgeracionais, a forma como são transmitidos e os efeitos nos descendentes daqueles que sofreram diretamente a violência. Uma curiosidade, a autora além de baronesa e conhecida política de Londres, é também rabina naquela cidade.
http://thejc.newspaperdirect.com/epaper/viewer.aspx

 

4) Os estereótipos sobre psicoterapia e psicoterapeutas, veiculados especialmente pelo cinema, são contrapostos - de foma clara e sucinta - com a imagem não distorcida dessa atividade e desses profissionais.
http://www.ny-psychotherapy.com/psychotherapy-movies

 

5) Pequena iconografia que mostra como os meios de comunicação reforçam o estereótipo de que "homens não choram", não podem expressar suas angústias, devendo manter um silêncio estoico frente a seu sofrimento psíquico.
https://wellcomecollection.org/articles

 

6) Vinheta clínica na qual a analista grávida fala dos ataques regressivos transferenciais realizados por uma paciente e sua resposta contratransferencial veiculada num sonho.
https://blogs.psychcentral.com/see-saw-parenting/2019

 

7) Notícia do lançamento de "Sim, a psicanálise cura!" (Zahar editora), novo livro de J.-D. Nasio, estruturado em torno de casos clínicos.
https://www.publishnews.com.br/materias

 

8) As pessoas que postam muito "selfies" são tidas como narcisistas. Pesquisas publicadas pelo "Journal of Research in Personality by Washington State University" mostram que tal ideia não corresponde à realidade. Mas constaram que as fotos tiradas por terceiros são mais valorizadas que os "selfies" pelos que seguem a mídia social (Instagram, Facebook, etc). Ou seja, aqueles que publicam "selfies" pensando reforçar seu prestígio e popularidade incorrem em erro, pois são vistos de forma negativa por aqueles que gostaria de impressionar nas redes sociais.
https://www.union-bulletin.com/opinion/editorials/social

 

9) Notícia sobre o livro "Freud - Filosofia e Psicanálise", publicado pela Editora da Universidade Federal de São Carlos (EdUFSCar) . Organizado por Luis Roberto Manzoni e Ana Carolina Soliva Soria, a obra é fruto de um encontro que ocorreu no Departamento de Filosofia (DFil) da UFSCar, em 2015, em que se discutiram as relações entre Filosofia e Psicanálise nos escritos de metapsicologia de Sigmund Freud.
http://jornaldiadia.com.br/2019/2019/08

 

10) Quando está na hora de parar a terapia? Embora esse seja um tópico sobre o qual terapeuta e paciente devem trabalhar em conjunto, nesse artigo o autor se dirige ao paciente, dando-lhe alguns critérios para avaliar o andamento do trabalho terapêutico.
http://www.consultinghealth.com/when-is

 

11) "Psychomagic, an art that heals", filme documentário de Alejandro Jodorowsky, polêmico poeta, escritor, dramaturgo e mimico chileno, será lançado no final desse mês na França. Nessa obra o autor mostra a prática de uma "psicanálise" muito particular, na qual funde formas teatrais, surrealistas e oníricas com ensinamentos do oriente e do ocidente, afirmando ter com ela curado alguns "pacientes".
https://screenanarchy.com/2019/08/psychomagic

 

12) O candidato à presidência da "American Psychoanalytic Association" fala de como o fato de ter começado a escrever um blog sobre psicanálise dirigido ao grande público provocou grandes mudanças em sua vida e o motivou a exercer sua cidadania de forma mais ativa, fazendo-o aceitar o convite para participar da eleição da mais importante associação analítica dos Estados Unidos.
http://www.chicagonow.com/a-deeper-look/2019/07

 

 

13) O interesse de Freud pelo Egito decorre de episódios da história dos judeus e de sua própria, bem como do momento em que vivia, ocasião de grandes descobertas arqueológicas revelando o mundo dos faraós. O Museu Freud de Londres abre agora uma exposição com a coleção de antiguidades egípcias colecionadas pelo pai da psicanálise.
https://www.infobae.com/america/cultura-america

 

 

14) Através de pequenos exemplos clínicos, o autor explica a analidade e suas características, enfatizando o uso coloquial do conceito como expressão do enraizamento na cultura das descobertas freudianas.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/


Atualizado em 27/08/2019

 


    
1) Teóricos LGBT+ continuam questionando o que julgam ser o viés normatizante da psicanálise. Didier Eribon, filósofo e sociólogo, é um dos pioneiros dos estudos sobre gays e lésbicas na França, autor de uma vintena de livros sobre política, movimentos de esquerda e relações entre o sujeito e a sociedade. Foi professor em Berkeley (Califórnia) e atualmente ensina na Universidade de Amiens. Seu último livro - "Ecrits sur la psychanalyse" (Editons Fayard) - enfatiza o que a feminista americana Eve Kosofsky Sedgwick chama de "privilégio epistemológico da heterossexualidade", privilégio discursivo que "confunde heterossexualidade e neutralidade". Eribon rejeita "reduzir o sujeito a sua história familiar e, assim, despolitizar e desistorizar seus pensamentos, desejos e comportamentos".
http://www.heteroclite.org/2019/07/devons-nous-jeter-la-


2) Neste link, podcast com uma longa entrevista em dois episódios com Didier Eribon, falando sobre a relação da psicanálise com a questão do gênero, homossexualidade, etc.
https://www.agoravox.tv/actualites/societe/article/didier


3) O artigo e entrevista de Eribon apontado acima e o pequeno texto deste link fazem um bom contraponto
, na medida em que mostram como a psicanálise pode ser vista de forma bem diferente em função dos viéses ideológicos. Eribon, pensador de esquerda, censura a psicanálise pelo que julga ser seu conservadorismo normatizante; o site de direita Panam Post ataca a psicanálise por acreditar que ela se alia ao marxismo, visando destruir os valores da civilização ocidental, trabalho que teria se iniciado com a Escola de Frankfurt.
https://panampost.com/vanesa-vallejo/2019/07/02/frankfurt-


4) A canção "Je ne regrette rien"
("Não me arrependo de nada"), marca registrada de Edith Piaf, embora emocionante, está longe de corresponder à realidade emocional da vida psíquica. Um dos analistas entrevistados nessa matéria do "The Guardian" afirma que quem diz não ter remorso é "santo ou idiota". Remorso e arrependimento são sentimentos importantes que precisam ser reconhecidos e trabalhados numa análise ou psicoterapia. É importante não negá-los nem deixar que eles destruam a possibilidade de continuar a vida e a busca da felicidade.
http://opiniaoenoticia.com.br/vida/saude/arrependimento-impaca-
https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2019/jun/27/regret-ca
http://www.slate.fr/story/179013/se-debarrasser-regrets-sante-e


5) "Carta a um jovem poeta", de Rainer Maria Rilke, é um clássico da literatura alemã e expressa o mito do mestre estabelecido e reconhecido ensinando o ofício a um discípulo postulante. A partir do título, podemos supor que foi nesse simpático diapasão que Contardo Calligaris escreveu seu livro "Cartas a um jovem terapeuta", muito bem recebido pelo público. Lançado inicialmente em 2017, o livro recebe nova edição acrescida de alguns capítulos. O texto original foi escrito quando Callligaris contava com 30 anos de prática, os mais recentes incluem a experiência dos últimos dez anos.
https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2019/07/cura-gay-nao-


6) Adam Phillips é um famoso psicanalista e crítico literário inglês
. Escreveu mais de vinte livros sobre psicanálise, literatura e cultura; é editor da nova tradução de Freud publicada pela Penguin e é professor visitante da Universidade de York. Phillip acaba de lançar seu novo livro "Attention Seeking", onde aborda importantes questões ligadas ao manejo da atenção, desde os tempos da infância, quando é monitorada e dirigida pelos pais, até na vida adulta, quando desejamos ver e ser vistos pelo Outro, o que fica potencializado pela internet e redes sociais.
https://www.theguardian.com/books/2019/jul/06/adam-phillips-


7) No link abaixo, vídeo do YouTube com entrevista de Adam Phillips
realizada na London Review Bookshop, sobre seu livro "Attention Seeking" (veja nota acima)
https://www.youtube.com/watch?v=hymXObsn30w


8) Como abordar as dificuldades financeiras com as crianças? Essa importante questão é tratada pela psicanalista francesa Marie-Claude François-Laugier em seu livro "L´argent dans le couple et la famille", da Editora Payot. Em sua opinião, os filhos devem ser educados desde cedo em relação ao dinheiro e devem ser informados quando ocorrerem problemas maiores, pois de nada adianta lhes negar a verdade, desde que terminam por captá-la assim mesmo. Mas é importante que sejam poupados da expressão direta da angústia dos pais, o que lhes seria excessivo e traumatizante.
http://www.doctissimo.fr/famille/education/soucis-financiers-faut-il-


9) O "Contemporary Jewish Museum", de San Francisco (Califórnia)
, abre a exposição co-comissionada com a Barbican de Londres "Daria Martin - Tonight the World", que consta de instalação e filme. Usando computação gráfica e filmes, a artista explora as memórias e o inconsciente de sua avó, a artista Susi Stiassni. Quando adolescente, Susi Stiassni e sua abastada família tiveram de fugir da Checoslováquia frente à ocupação nazista, estabelecendo-se na Califórnia, onde Daria Martin nasceu e se criou. O cerne da exposição deriva dos sonhos e pesadelos em torno da experiência traumática do exílio, que a avó da artista diligente e initerruptamente anotou durante 37 anos.
https://www.ebar.com/arts_&_culture/art//278399

 


10) Jornal de Moscou homenageia Alexander Luria, que juntamente com Vygotsky, compõe a dupla mais conhecida de psicólogos que produziram na União Soviética nos meados do século passado. Inicialmente muito interessado pela psicanálise, Luria fez inúmeras pesquisas baseadas em associações livres, mas, constrangido pelas limitações ideológicas impostas por Stalin e pelo Partido, terminou por se enquadrar nos referenciais pavlovianos, os únicos aceitos pelo aparato do poder.
https://www.themoscowtimes.com/2019/07/16/on-this-day-i

 

11) A Companhia das Letras lança nova edição de "A Interpretação dos Sonhos", vertida diretamente do alemão para o português por Paulo César de Sousa, dando continuidade ao projeto editorial que abrange a obra completa do pai da psicanálise.
https://alias.estadao.com.br/noticias/geral,a-interpretacao-
https://www.publishnews.com.br/materias/2019/07/03


12) Antonio Quinet, psicanalista e escritor, em longo artigo (um tanto prejudicado pelo lacanês) fala do estado "paranóico" ou "panóptico" (baseado no modelo de Bentham, discutido por Foucault) decorrente da implantação das redes sociais e da internet, que possibilitam concretamente o controle social pelo estado, como já estaria ocorrendo em vários lugares do mundo de forma maciça (China) ou parcial (manipulações dos megadados pelo governo norte-americano denunciadas por Snowden).
https://www.brasil247.com/cultura/paranoia-de-massas-da-era-digital


13) Afirmando que a psicanálise foi fundamental para sua vida,
o autor se alegra ao constatar que a voga das terapias comportamentais estaria em baixa e que o prestígio da terapia criada por Freud aos poucos recupera o terreno perdido
https://oglobo.globo.com/cultura/academicos-de-sigmund


14) Universidade de Melbourne fez pesquisa usando livros e revistas para avaliar o uso de termos provindos da psicanálise, no intuito de comprovar o declínio do pensamento freudiano e se surpreende ao constatar que se isso parece ocorrer no mundo anglófono, o mesmo não se dá no universo francófono.
https://pursuit.unimelb.edu.au/articles/is-freud-s-legacy-fading

 

15) Psicanalista discorre sobre a influência das redes sociais em promover empobrecimento do contato social e incrementar pressões narcísicas.
https://epoca.globo.com/entrevista-selfies-redes-sociais


16) Artigo retrata de forma apaixonada Susan Sontag, intelectual de larga envergadura e corajosa participante dos debates públicos de seu tempo, ousando sempre ir contra o pensamento majoritário. Um bom exemplo é sua afirmação de que o atentado de setembro de 2011 no World Trade Center não foi um ataque à liberdade e à democracia, como a imprensa e o governo apregoavam, e, sim, uma resposta a determinadas práticas políticas norte-americanas, declaração que lhe custou forte rejeição do público e até mesmo algumas ameaças de morte.
https://jewishjournal.com/newsroom/books/the-enduring-importance-of-susan-sontag/


Atualizado em 25/07/2019

 


    
1) Finalmente uma rajada de bom senso no ensandecido debate sobre a questão trans, trazida por ninguém menos que Slavoj Zizek. Diz ele: "Apesar dos militantes do LGBT+ gostarem de depreciar a Psicanálise como algo fora de moda, muitos deles participam integralmente da repressão em curso de princípios freudianos básicos. Se a Psicanálise nos ensinou algo, é que a sexualidade é intrinsecamente perversa, transpassada por inversões sado-masoquistas e jogos de poder, que, nela, o prazer está inextricavelmente ligado à dor. O que ouvimos de muitos ideólogos LGBTQ+ é o oposto dessa concepção, a visão ingênua de que se a sexualidade não fosse distorcida pelo patriarcalismo e pela pressão binária, ela seria um espaço feliz de expressão autêntica de nossos verdadeiros selves" (ênfase minha). Nesse curto ensaio, Zizek analisa duas produções culturais - o filme "The Girl" (Lucas Dhont, 2018), baseado num livro autobiográfico de um trans que relata o processo de realinhamento sexual como algo doloroso e traumático e que por isso foi intensamente atacado pela militância LGBTQ+ como preconceituoso; e um recente anúncio comercial da Gilette, onde uma menina adolescente trans se barbeia orientada pelo pai. Com lucidez, Zizek faz discriminações fundamentais ignoradas pelo radicalismo ideológico.
https://life.spectator.co.uk/articles/transgender-dogma-is-naive

 

2) Resenha publicada no London Review of Books do livro "A father - puzzle", de Sybille Lacan, filha de Jacques Lacan. Publicado inicialmente em francês no ano de 1994, quando a autora tinha 53 anos, o livro consta de 36 pequenos textos, chamados por ela de "erupções" ou "explosões", montados de forma aleatória, não linear ou cronológica. Neles, Sybille conta episódios de sua vida familiar, revelando aspectos muito pouco abonadores da personalidade de seu famoso pai, favorecendo a necessária desidealização de sua pessoa. Casado com Malou Blondin, com quem tinha um casal de filhos (Thibauld e Caroline), Lacan em 1938 conhece Sylvia Bataille, ex-mulher do escritor George Bataille, com ela iniciando um relacionamento amoroso. Em 1940, Sybille é concebida quando o casal Lacan e Malou está nos estertores finais, um "fruto do desespero", como ela mesmo diz. Logo em seguida, em 1941, nascia Judith, filha de Lacan com Sylvia Bataille, fazendo com que Malou pedisse o divórcio. A conduta de Lacan com sua primeira mulher e os filhos não poderia ser mais criticável. A família vivia na mais estrita economia, enquanto ele enriquecia. Sybille a partir dos 20 anos passa a ter uma doença nunca plenamente diagnosticada, que a impedia de trabalhar e se afastar de casa, que seu pai atribuía à sua ligação excessiva e exclusiva com a mãe. Por esse motivo, encaminhou-a para análise por duas vezes. A primeira não foi bem-sucedida e a segunda durou muitos anos, até Sybille descobrir que sua analista era amante de seu pai, fato conhecido por todos. Em 1973, sua irmã mais velha, Caroline, morre atropelada por um motorista bêbado. Desde seu nascimento, Sybille tinha Judith como sua nêmesis, acreditando que ela em tudo lhe era superior, especialmente no amor do pai. Desde a morte de Lacan em 1981, os Blondin-Lacan (Malou, Thibaud, Sybille e os filhos de Caroline) entraram em guerra aberta com os Bataille-Lacan (Sylvia, Judith e Jacques Alain Miller) pelo espólio do morto. No enterro de Lacan, Sybille e o irmão foram impedidos de comparecer - fato publicado juntamente com outros detalhes por Elisabeth Roudinesco, motivo de um processo movido por Judith, que se arrastou por anos. No livro, Sybille não faz menção aos muitos amantes que a teriam ajudado em seu trabalho como tradutora e a superar os recorrentes episódios depressivos que a acometiam. Em Novembro de 2013, aos 72 anos, Sybille se matou.

https://www.lrb.co.uk/v41/n12/lili-owenrowlands/something


3) Artigo da revista Elle aborda a questão do assédio sexual entre professores e alunas nas universidades francesas, fazendo menção ao caso do psicanalista franco-tunisiano Fethi Benslama, da Paris-VII, acusado por várias mulheres.
http://www.elle.fr/Societe/News/Harcelement-a-l-universite


4) A American Psychoanalytic Association pediu desculpas publicas por ter tratado a homossexualidade como doença mental, afirmando que seus erros passados contribuíram para traumatizar e discriminar a população LGBTQ. O pedido de desculpas coincide com as festividades dos 50 anos da Revolta de Stonewall, quando, num bar de Nova York, pela primeira vez, homossexuais se rebelaram ativamente contra os maus tratos dos quais eram objeto.
https://www.cbc.ca/news/health/homosexuality-psychoanalysts
https://www.psychologytoday.com/us/blog/psychoanalysis-unplugged/
https://www.reuters.com/video/2019/06/24/psychoanalysts-sorry-for-past


5) Bracha Lichtenberg-Ettinger é uma psicanalista de dupla nacionalidade, judia e britânica, que vive entre Paris e Israel, dividindo-se entre a clínica e as artes da pintura e da fotografia. Essa curta noticia dá conta de sua produção visual, que ela entende como expressão do mais arcaico do psiquismo, do tempo anterior às palavras onde reinavam as imagens, expressando eros e tanatos.
http://www1.alliancefr.com/actualites/artiste-juive-bracha-lichtenberg


6) Artigo para médicos que lidam com pacientes terminais e tratamentos paliativos enfatiza o uso de conceitos advindos da psiquiatria e psicoterapia (psicanálise), tais como o reconhecimento da contratransferência, a escuta atenta e cuidadosa, a importância do silêncio e da atitude neutra, o nomear as emoções em jogo e pouco reconhecidas pelos envolvidos.
https://www.ama-assn.org/delivering-care/ethics/4-skills-psychiatry-can

 

7) Em resposta ao artigo "Why are we still fighting over Freud?" de John Horgan, publicado no Scientific American e cujo link foi recentemente selecionado no "Psicanálise no mundo", Frederick Crews, famoso arqui-inimigo da psicanálise, rebate os argumentos de Horgan e com redobrado vigor volta à carga, mais uma vez acusando Freud de fraude e a psicanálise de ser uma falsa ciência. É interessante conhecer a argumentação dele e o zelo com que a defende.
https://blogs.scientificamerican.com/cross-check/why-freud-should

 

8) A legalização do aborto tem sido tema muito presente na mídia norte-americana. A partir desse gancho, a autora, psicanalista canadense, reflete sobre a série da HBO, "Big Little Lies", na qual os personagens estão às voltas com estupro e violência doméstica, que se refletem na patologia de seus filhos.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis/2019/


9) Psicanalista brasileira, Marilia Arreguy coordena seminários em Paris sobre angústia e distúrbios no aprendizado.
http://br.rfi.fr/brasil/20190611-rfi-convida-marilia-arreguy


10) Psicanalista em Dublin fala de sua experiência em atender pacientes à distância via on line, Skype, etc.
https://pro.psychcentral.com/kickstart/2019/06/starting-an-online

 

11) Comentários analíticos sobre a caracterização (maquiagem, corte de cabelo, etc) escolhida por Stanley Kubrick para os personagens de seus filmes.
https://www.dazeddigital.com/beauty/head/article/

 

12) Notícia do falecimento do escritor belgo-francês François Weyergans, membro da Academia Francesa e tido como o "Woody Allen da literatura francesa", cujo primeiro livro, "Le Pitre" (1973), é um relato sarcástico de sua psicanálise com Lacan.
https://www.franceculture.fr/emissions/le-billet-culturel/

 
Atualizado em 02/07/2019

 


    
1) Malvine Zalkberg, psicanalista residente no Brasil, escreve em revista francesa sobre a relação entre mães e filhas, enfatizando a importância da questão "o que é ser uma mulher" que circulará entre elas.
https://www.huffingtonpost.fr/entry/pourquoi-il-est-si-difficile-pour-
 

2) Contra a corrente habitual, um analista norte-americano escreve elogiando as características pessoais (especialmente sobre seu tão falado "narcisismo") e a política de Trump.
https://www.americanthinker.com/articles/2019/05


3) Vincent Aubelle, psicanalista e advogado, autor de "La loi sur le divan", responde a três perguntas sobre temas abordados em seu livro, como o que chama de "bulimia legislativa" ou "inflação legislativa" - o excesso de leis em vigor na França (no momento, estão vigendo 100.000 leis naquele país), bem como o hábito de serem prescritas novas leis frente a qualquer acontecimento social novo.
http://www.jss.fr/Trois_questions_a_Vincent_Aubelle_auteur_de


4) Psicanalista bisneto de um primo de Sigmund Freud
nascido na Argentina e residente na Espanha fala sobre as dificuldades atuais existentes na educação de crianças, salientando a omissão dos pais e sua incapacidade de exercer suas funções de orientação e interdição.
https://www.worldcrunch.com/culture-society/what-freud39s-shrink-nephew-thinks-of-your-parenting-skills

 

5) Por que continuamos brigando a respeito de Freud? - pergunta o autor, veterano colaborador da revista Scientific American. Em sua opinião, isso ocorre porque ainda hoje nenhuma teoria conseguiu suplantar aquela criada por Freud. Mesmo a psicofarmacologia, apesar do imenso sucesso que enriquece laboratórios e psiquiatras, não eliminou os impasses da vida humana, que Freud e os escritores entendem tão bem.
https://blogs.scientificamerican.com/cross-check/why-were-still-fighting


6) A revista Slate, em sua versão francesa, convida Emmanuelle Laurent a ver e comentar o documentário "Le phalus et le neant" onde Sophie Robert, sua diretora, ridiculariza e deprecia a psicanálise.
http://www.slate.fr/story/177135/mon-phallus-et-mon-neant


7) Tendo como modelo o clássico livro de Bruno Betelheim, "Psicanálise dos contos de fadas", a psicoterapeuta francesa Virginie Lemaire de Bressy escreveu "La Cinématherapie par les dessins animés" - onde discorre sobre o uso de desenhos animados como auxiliares na psicoterapia de crianças.
https://france3-regions.francetvinfo.fr/provence-alpes-cote-d-azur

 

8) Extensa transcrição de uma entrevista com Howard Stern, famoso homem de rádio e televisão nos Estados Unidos, onde ele fala sobre sua psicanálise e de como ela tem exercido imensa influência sobre sua pessoa e seu trabalho.
https://www.cbsnews.com/news/extended-transcript-howard


9) O romance "The Tobacconist",
best-seller europeu de 2012 de Robert Seethaler, deu origem a filme homônimo, tratando da fictícia amizade entre Freud e o jovem balconista da tabacaria onde comprava seus charutos. Freud é interpretado pelo ator alemão Bruno Ganz recentemente falecido e o filme é dirigido pelo austríaco Nikolaus Leytner.
https://jewishjournal.com/culture/la-jewish-film-festival/297957/


10) Analista mexicano fala sobre "O processo artístico e a tarefa analítica", tendo como referência o musical de Stephen Sondheim "Sunday in the park with George".
https://spm.mx/el-proceso-artistico-y-la-tarea-analitica/

 

11) Psicanalista norte-americano explica para público leigo o que o analista faz e em que sua prática difere das demais práticas psicoterapêuticas.
https://www.psychologytoday.com/intl/blog/psychoanalysis-unplugged


12) Psicanalista mexicano exemplifica com três casos situações clínicas nas quais o material do paciente afeta diretamente o psicanalista, gerando situações contratransferenciais complicadas, induzindo-o a cometer atuações.
https://spm.mx/cuando-el-material-del-paciente-afecta-al-analista/


13) Na inauguração da nova sede do Anna Freud National Centre for Children and Families em Londres
, seu atual diretor, o renomado psicanalista Peter Fonagy, fala de sua história pessoal ao relatar ter sido atendido ali quando adolescente confuso e mergulhado na depressão.
https://www.theguardian.com/society/2019/apr/27/peter-fonagy-refugee-child

 

14) A ser lançada em breve, nova biografia de Susan Sontag - escrita por Benjamin Moser, autor da renomada biografia de Clarisse Lispector - mostra ser ela a verdadeira autora de "Freud, the mind of the moralista", importante livro de Philip Rieff, que, ao ser lançado em 1959, foi recebido com grande entusiasmo e ajudou fortemente a alavancar sua carreira acadêmica. Consta que Rieff fizera extensas pesquisas e anotações para o livro, mas quem o redigiu foi Susan Sontag, que deveria ser reconhecida como sua coautora. Na ocasião, ela tinha apenas 20 e poucos anos e estava casada com Rieff.
https://www.theguardian.com/books/2019/may/13/susan-sontag-her-life-benjamin-moser-freud-the-mind-of-the-moralist-philip-rieff

 

15) Podcast com entrevista realizada com Nicola Redhouse, escritora norte-americana que, após dois partos e quadros ansiosos e depressivos no puerpério, escreve um livro sobre sua experiência, na qual a psicanálise teve papel importante.
https://radio.abc.net.au/programitem/pe9QygrgaD?play=true


Atualizado em 05/06/2019

 


           
 
1) A importante obra "Gramatologia", de Jacques Derrida, completa agora 40 anos e uma nova edição está sendo preparada nos Estados Unidos. O Los Angeles Review of Books publicou uma longa e interessante entrevista com a hindu Gayatri Chakravorty Spivak, atualmente uma superstar no mundo acadêmico de língua inglesa e conferencista mundialmente requisitada, que era então apenas uma jovem e ambiciosa estudante ao traduzir do francês para o inglês o também pouco conhecido Derrida.
https://lareviewofbooks.org/article/critical-intimacy-interview-gayatr
 

2) "Le Nouvel Observateur" publica artigo de Slavoj Zizek sobre as razões da prisão de Julian Assange, que encerrou seu exílio na embaixada do Equador em Londres. Vincula tal fato ao escândalo da Cambridge Analytica, que deixou exposto o conluio entre as empresas que lidam com megadados, como Google e Facebook, e as agências governamentais de alguns países. Tal conluio possibilita um controle social impensável até o momento, fazendo com que as práticas totalitárias ocorridas no século XX (nazismo, stalinismo, maoísmo, etc) se reduzam a tentativas toscas e malsucedidas. O assustador é que essa nova modalidade de controle social é vivida pelas populações como uma ampliação de sua liberdade. Por exemplo, nada parece mais livre do que a livre expressão de opinião proporcionada pelas redes sociais. No entanto, sem que os usuários se apercebam, é justamente essa "liberdade de expressão" que possibilita as empresas e agências governamentais colherem, armazenarem e processarem dados para manipulá-los e controlá-los. Não é outra coisa o que Julian Assange tem dito, inclusive em seu livro "Google contra Wikileaks". Assange e a Wikileaks são espiões que vigiam o poder econômico e estatal e revelam seus segredos às populações. As megaempresas e agências governamentais fazem o contrário - espionam as populações e usam seus segredos para controlá-las. Nesse contexto, entende-se por que Assange tem de ser impedido de realizar seus objetivos. Zizek termina o artigo enfatizando o desamparo no qual se encontra o criador do Wikileaks, acuado por forças descomunais e que conta apenas com o apoio das populações para não sucumbir.
https://www.nouvelobs.com/debat/20190412.OBS11458/tribune-il-n-y-a-qu


3) Eli Zaretsky, chefe do Departamento de Psiquiatria e vice-presidente do Sunnybrook Health Sciences Centre do Canadá, autor do excelente "Political Freud - a history", escreve breve artigo sobre a polêmica questão das psicoterapias em saúde pública, as restrições do número de sessões, as comparações entre psicanálise e terapia cognitivo-comportamental. Ele cita dados que mostram não haver diferença estatística quanto aos resultados dessas duas modalidades de terapia, que não há evidência de que um maior número de sessões seja mais eficaz que uma frequência menor, e que os psiquiatras não deveriam ter o monopólio sobre as psicoterapias, dado que elas podem ser realizadas por assistentes sociais e psicólogas (o que é corrente aqui no Brasil, mas aparentemente não no Canadá).
https://www.theglobeandmail.com/opinion/article-psychiatrists


4) Em seu novo livro "Le Narcisse ont pris le pouvoir", a psicanalista Marie-France Hirigoyen escreve sobre os dirigentes políticos ultranarcisistas. A autora faz uma lista de governantes com tal patologia, que é encabeçada por Donald Trump e inclui Jair Bolsonaro.
https://www.lexpress.fr/actualite/societe/les-dirigeants

 

5) Pietro Bianchi, crítico de cinema italiano atualmente trabalhando na Duke University, fala sobre psicanálise e cinema, ressaltando a contribuição da corrente lacaniana e o trabalho de Zizek.
https://www.dukechronicle.com/article/2019/04/q-a-film-critic-p


6) Uma útil lista de 49 vídeos sobre psicanálise disponíveis no YouTube.
https://www.youtube.com/playlist?list=PL0lK9


7) Oportuna abordagem sobre uma questão candente na academia nos Estados Unidos - o desprezo pelas chamadas "ciências humanas" e a ênfase absoluta nas chamadas "STEM-disciplines - Science, technology, engeneering and mathematics". O autor mostra os perigos dessa tendência, que pode levar às mistificações do cientificismo e a perda da capacidade crítica, baluarte das ciências humanas.
https://thoughtleader.co.za/bertolivier/2019/04/08/a-question-of-balance/


8) Crianças inglesas de nove anos revelam ideias suicidas para seus professores. Pesquisas realizadas nas escolas da Inglaterra mostram o surgimento cada vez mais precoce de queixas emocionais e psicológicas em seus pequenos alunos.
https://www.telegraph.co.uk/education/2019/04/16/children-young


9) Michael Reichert, psicólogo da Universidade da Pensilvânia lançou agora o livro "How to raise a boy", no qual discorre sobre as complicações para criar um menino nesses tempos em que os padrões de gênero estão em transição, ocupando um largo espectro que vai da "masculinidade tóxica" às indefinições da linha trans.
https://www.theatlantic.com/family/archive/2019/04/how-raise-boys/587107/


10) Importante artigo que mostra o envolvimento da American Psychological Association (APA) com os objetivos bélicos do Pentágono, sua ativa participação em planejamentos e projetos ligados à segurança e a luta contra terrorismo, no que incorre em graves infrações do código ético da profissão. Tal engajamento político-militar contrasta com o silêncio da Associação em relação a outros graves problemas do país, como o racismo, o uso de armas, o preconceito.
https://www.counterpunch.org/2019/04/19/is-the-american-psychological


11) O presidente da American Psychoanalytic Association escreve sobre o trauma decorrente da prática de separar crianças de seus pais, adotada pelo governo dos Estados Unidos em sua política de contenção da imigração clandestina.
https://www.psychologytoday.com/intl/blog/psychoanalysis-unplugged/


12) O pânico de falar ou atuar em público aflige a muitas pessoas.
Talvez console saber que figuras conhecidas (atores, cantores, jogadores, políticos, etc) como Barbra Streisand, Beyonce, Adele, Emma Stone, David Beckham, Whoopi Goldberg, Oprah Winfrey, Thomas Jefferson, Warren Buffett e Mahatma Gandhi padecem ou padeceram desse mesmo mal e o enfrentaram. A autora explica para o grande público as motivações secretas de tais medos e fobias.
https://www.psychologytoday.com/intl/blog/psychoanalysis-unplugged/


Atualizado em 02/05/2019

 


           
 
1) A misoginia é hoje um tema capital. Em detalhada resenha do livro "Down Girl: The Logic of Misogyny", de Kate Manne, o conhecido psicanalista inglês Adam Phillips faz uma sintética apresentação de como a psicanálise entende a misoginia, o que é apropriado para ressaltar o enfoque diverso de Manne. Diz ela: "Procuro entender a misoginia de dentro, a partir dela mesmo, sem vê-la como algo psicológico e, sim, como um fenômeno sócio-político com manifestações psicológicas, estruturais e institucionais. Mostro a misoginia como um sistema de forças hostis que em geral decorre da ideologia patriarcal, desde que vigia e reforça a ordem patriarcal".

https://www.lrb.co.uk/v41/n05/adam-phillips/unforgiven

 

2) Excelente artigo de psicanalista norte-americano, mostrando as mudanças na prática clínica (como o abandono do silêncio imperioso do analista, que adota uma atitude mais próxima e calorosa com os analisandos) e nas ênfases teóricas (tal como a diminuição da importância do pulsional em nome das relações interpessoais, "terceira tópica") ocorridas na psicanálise de hoje. Além disso, há uma abertura para a  importância do sociocultural, do transgeracional, do político, com o abandono da misoginia e homofobia, o reconhecimento do peso determinante dos fatores ligados à classe social, etnia, colonialismo. Dessa forma, a psicanálise procura retomar o lugar de proeminência que perdeu nas últimas décadas, quando muitas vezes esteve alinhada com as forças mais conservadores da sociedade, em detrimento de seus valores intrinsecamente libertários.   

https://www.dissentmagazine.org/article/the-return-of-psychoanalysis

 

3) Densa resenha do livro "Ce que le nazisme a fait à la psychanalyse", de Laurence Kahn. A autora mostra o grande impacto que o nazismo provocou não só na instituição psicanalítica como na prática e na teoria da psicanálise. Por exemplo, a "Ego Psychology", de Heinz Hartmann, tão atacada por Lacan por desviar-se do conceito de inconsciente e centrar nas dimensões conscientes e adaptativas do Ego, não seria um desvio teórico visando torná-la palatável para as novas plateias americanas e sim uma deliberada mudança com o intuito de resguardar formulações teóricas freudianas que estavam sendo distorcidas pelos nazistas, como o conceito de "pulsão vital" propalado por Hitler, que se aproximava de "pulsão de vida", além das propostas relacionadas ao fascínio das massas pelo líder descrita por Freud, também manipuladas pelos nazistas. Do ponto de vista clinico, os sobreviventes do Shoah impuseram mudanças técnicas na terapia. Constatou-se que sua impossibilidade de recordar, devido à dimensão do trauma, estava ligada às violentas distorções impostas pelos nazistas à linguagem, como mostrou o livro de Klamperer, sendo sido necessário o concurso de escritores como Imre Kertész para restaurar um fluxo simbólico que fora interrompido.

https://www.nonfiction.fr/article-9775-penser-apres-auschwitz-

 

4) Austin Ratner, psicanalista e escritor norte-americano reflete como conceitos freudianos são regularmente usados por todos aqueles que se referem ao errático comportamento de Trump.

https://www.usatoday.com/story/opinion/2019/03/22/donald-trump

 

5) Anúncio de simpósio "Antipsiquiatria - ontem, hoje e amanhã? " a se realizar no Freud Museum de Londres. Boa hora para avaliar a importância e o legado desse movimento que produziu forte impacto nos anos 60 e 70 com sua radical contestação das práticas psiquiátricas então vigentes.  

https://www.freud.org.uk/event/antipsychiatry-yesterday-today

 

6) Abrão Slavutzky fala sobre o "dever da memória" que nos cabe para impedir que caiam no esquecimento acontecimentos sociais dolorosos e traumáticos. Cita de passagem o número 52 de nossa revista Percurso, que aborda os crimes da ditadura militar.

https://jornalggn.com.br/artigos/o-dever-da-memoria-por-abrao-

 

7) Baseado em impressões ao pesquisar sites pornôs ligados a incesto, ou seja, sem dados formalmente estabelecidos, o psicanalista autor do artigo diz ter percebido um crescimento do incesto fraterno (entre irmão e irmã). Acredita que tal se deve à popularidade da série "Game of Thrones", na qual os personagens principais (um casal de gêmeos), e não apenas eles, praticam o incesto.

https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2019/03/the-rise

 

8) Entrevista com Sophie Robert, que realizou os documentários "Le Mur" e "Le Phalus et le Néant". Ambos expressam críticas acerbas à psicanalise e se organizam em torno de entrevistas com psicanalistas falando sobre o autismo ("Le Mur") e sobre a sexualidade, especialmente a feminina ("Le  Phalus et le Néant").  

https://www.whatsupdoc-lemag.fr/article/la-psychanalyse-lheure-de-metoo

 

9)  A autora comenta trechos do livro "A womb of her own", de Helena Vissing, que retoma aspectos da sexualidade feminina pouco explorados por Freud, especialmente a gravidez e o parto, a menarca e a monopausa e as fantasias especificas que lhes são próprias.

https://blogs.psychcentral.com/see-saw-parenting/2019/03/childbirth

 

10) Em importante pronunciamento recente, Trump fez 104 afirmações falsas, sem que seus admiradores se incomodassem. Henry J. Friedman, psicanalista professor em Harvard e um dos autores do livro "The Dangerous Case of Donald Trump: 27 Psychiatrists and Mental Health Experts Assess a President", cuja versão ampliada será lançada logo mais, fala sobre como o caráter megalomaníaco paranoide de Trump exerce especial atração para seus eleitores.

https://www.thenewcivilrightsmovement.com/2019/03/

 

11) Artigo publicado pelo British Medical Journal abordando a exposição de sentimentos  do médico em sua clinica, como, por exemplo,  o emocionar-se a ponto de chorar ao ouvir os relatos ou presenciar o sofrimento de seus pacientes. Ao invés de defender a postura habitual de se manter distância e contenção, o artigo mostra compreensão e aceitação com as situações de identificação e estresse que podem mobilizar o médico,

https://www.bmj.com/content/364/bmj.l690

 

12) O jornal Varsity, de Cambridge, traz artigo sobre o livro "Not working: why we have to stop", do psicanalista Josh Cohen. O autor admoesta contra o trabalho compulsivo, impulsionado internamente pelo superego e pelo ideal do ego, que refletem, por sua vez, as pressões sociais em torno da busca do sucesso. Ele mostra a diferença entre esse tipo de trabalho e aquele realizado por artistas, no qual a importância do ócio criativo é fundamental.   

https://www.varsity.co.uk/arts/17110

 

13) Em artigo simples, a autora explica para o público leigo a importância estruturante do pai e do exercício da função paterna na constituição do sujeito e na organização familiar.

https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis

 

14) O presidente do México enviou mensagem ao rei da Espanha, solicitando que este pedisse desculpa pela conquista do México 500 anos atrás, pedido que foi imediatamente repudiado pela Espanha. Trata-se de uma questão importante nestes tempos onde os estudos pós-colonialistas estão em alta. Seria possível julgar o passado à luz do pensamento contemporâneo?

https://www.telegraph.co.uk/news/2019/03/26/spa

 

15) Por suas peculiaridades extravagantes, o Forrest Lawn Memorial Park, o imenso e luxuoso cemitério localizado em Los Angeles onde estão os restos mortais de grandes artistas e celebridades do cinema é chamado de "disneylandia da morte". É um cemitério criado para negar a morte, o parâmetro de um tipo especial de negócio e forma de ganhar dinheiro e em suas dependências se fala um vocabulário especifico que procura evitar qualquer menção a perda, tristeza, infelicidade. A autora relata uma visita a esse monumental lugar, considerando-o como um sintoma de nossa sociedade.

https://hazlitt.net/longreads/disneyland-death


Atualizado em 29/03/2019

 


           
1) Com o título "Os Psicanalistas têm contribuído para seu próprio declínio", publicado no European Journal of Psychoanalisis, Elisabeth Roudinesco descreve o preocupante ostracismo e debilitamento da psicanálise na França, um dos poucos países da Europa onde mantinha prestigio e influência. Entre outras coisas, Roudinesco aponta como fatores responsáveis por isso o conservadorismo dos analistas, que se posicionam contra o casamento de pessoas do mesmo sexo, disputas em relação ao autismo e o afastamento do grande publico pelo uso de uma linguagem incompreensível.
https://www.academia.edu/38407501/Roudinesco_-
 

 

2) Da mesma forma que Roudinesco, Austin Ratner, médico psicanalista e premiado escritor norte-americano, também lamenta o declínio da psicanálise na sociedade americana e acusa os psicanalistas de pouco fazerem para defender o grande legado freudiano, intimidados que estão com a enxurrada de ataques que lhes são desferidos nos últimos tempos. Em seu livro recentemente lançado, "The psychoanalyst´s aversion to proof", diz que a psicanálise, sem abrir mão da especificidade de seu campo de pesquisa, precisa se aproximar dos procedimentos de validação científica para recuperar o prestigio que já teve um dia.

https://www.timesofisrael.com/new-book-puts-freud-and-psychoanalysis

 

3) Enquanto Roudinesco e Ratner advertem contra o declínio da psicanálise (links acima), este psicanalista norte-americano parece mais otimista com o futuro de nossa profissão, apontando, nesse pequeno artigo voltado para o grande público, o que foi modificado e o que permanece na prática da psicanálise.

https://www.psychologytoday.com/intl/blog/psychoanalysis

 

 

4) Psicanalista norte-americana fala da necessidade de a psicanálise focar sua atenção não apenas no mundo interno e seus conflitos, mas também na forma como a sociedade lida com os grandes desafios que se lhe apresentam, como a questão do aquecimento global, objeto de grande negação por parte dos poderes políticos.
https://qz.com/1554808/fighting-climate-change-with-psychoanalysis/


5) Analista se pergunta porque nos países ricos é grande o número de crianças com depressão e ansiedade. Atribui ele ao fato de que nesses países as pessoas são muito cônscias de seus direitos e não tanto de suas responsabilidades. Entre essas está a de gerar e criar filhos. Numa época em que o politicamente correto afirma que não se pode "culpar os pais", o autor corajosamente mostra como mães e pais estão mais interessados em seus projetos pessoais e não cuidam adequadamente de seus rebentos.
https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2019/02


6) Muitas pessoas se queixam de que seus parceiros amorosos
não expressam o amor que lhes devotam da forma como elas gostariam. O autor denuncia a raiz infantil dessa queixa, mostrando que é um ato de amor abdicar dos modelos infantis plasmados nos pais e aceitar a forma única e singular com que o/a parceiro/a pode demonstrar seu afeto.

https://www.psychologytoday.com/gb/blog/contemporary-psychoanalysis

 

 

7) Michel Jonasz interpreta Albert Einstein na peça "Le Cas de Eduard Einstein", que trata de um episódio pouco conhecido da vida do grande cientista. Seu filho Eduard, diagnosticado como esquizofrênico aos 20 anos, não pode fazer psicanálise pois o pai não permitiu.

https://culturebox.francetvinfo.fr/theatre/rencontre-avec-michel-

 

 

8) Com as redes sociais e a necessidade de se expressar rapidamente, foram criados os emojis, pequenas figuras que representam afetos, comportamentos, situações. Recentemente foram criados dois emojis que suscitaram alguma polêmica. Um deles simboliza a menstruação, o que é louvável, dado permanecer ainda hoje cercado de muitos tabus esse acontecimento fisiológico próprio das mulheres. O outro representa um pênis pequeno, o que, alegam alguns, deveria ser proibido, pois poderia se transformar em mais uma forma de constranger e intimidar os homens que possuem tal característica, facilitando o bullying contra eles.

https://www.theguardian.com/technology/2019/feb/09/period-emoji-menstruation

https://www.telegraph.co.uk/health-fitness/body/men-like-small-


9) O autor reflete sobre a reforma constitucional a ser realizada na França, apoiando-se no livro recém lançado de Vincent Aubelle - "La loi sur le divan", um estudo sobre direito e psicanálise. Se a lei que subjaz a teoria psicanalítica o nome-do-pai, com todo seu poder estruturante, é interessante cotejá-la com as leis dos códigos vigentes na sociedade. Auberge diz que na França existe hoje mais de 100.000 leis. A mais longa comporta 509 artigos, a mais volumosa ocupa 200 páginas do diário oficial. Serão tais leis exequíveis, realistas, práticas, objetivas? Expressariam a suposta racionalidade que deveria nelas reinar, visando a regulação do funcionamento da sociedade? Ou elas são "sintomas, expressão de nossas neuroses, perversões e psicoses coletivas"?

https://www.acteurspublics.com/2019/02/08/psychanalyse-de-la-production-legislative

 

 

10) Matéria do jornal "Liberation" abordando a questão do suicídio na França. Naquele país a taxa de suicídio é uma das mais elevadas na Europa. Estudos mostram que cada suicídio deixa 7 pessoas próximas em luto, atinge ainda mais 20 e que o risco de suicídio entre elas aumenta significativamente. O artigo mostra ainda os fatores facilitadores, os segmentos da sociedade mais vulneráveis e analisa o suporte oferecido pelo governo em termos de prevenção.
https://www.liberation.fr/france/2019/02/05/en-france-le-suicide-se-porte-

 

 

11) Em artigo voltado para o grande público, a autora lista os motivos mais comuns pelos quais as pessoas resistem em procurar uma psicoterapia.

https://www.psychologytoday.com/ca/blog/psychoanalysis-unplugged/

 

12) 84 psicanalistas assinam manifesto em solidariedade ao movimento "gilet jaune", que tem feito manifestações em cidades francesas.

https://www.humanite.fr/manifestation-de-psychanalystes-gilets-jaunes-667484

 

 

13) O documentário "Three Identical Strangers" trata de trigêmeos que foram separados no nascimento e adotados por famílias diferentes, que ignoravam o fato. O autor defende o Dr. Peter Neubauer, ali apresentado como "vilão", interessado em pesquisa sobre gêmeos. Para tanto traz uma série de dados não apresentados no filme, mostrando como a questão da adoção, o manejo com gêmeos e a ética que regia tudo isso modificou-se significativamente nas últimas décadas.

https://www.psychologytoday.com/us/blog/psychoanalysis-unplugged/


14) Uma psicanalista mineira fala sobre a tragédia de Brumadinho
, apoiando-se nos conceitos de desamparo (Hilflosichkeit) e estranho inquietante (Unheimlich), enfatizando a importância da escuta analítica para as populações em situação de trauma.

https://www.febrapsi.org/publicacoes/observatorio/observatorio-psicanalitico-892019/

 

 

15) Frédéric Martel, jornalista e escritor francês lançou agora na França e com grande repercussão o livro "Sodoma - Poder e Escândalo no Vaticano", a ser traduzido e publicado em vários países. Fruto de anos de pesquisa e entrevistas, Martel mostra o Vaticano como uma grande comunidade gay, expressão da onipresença da homossexualismo em todos os níveis da hierarquia da Igreja Católica, o que, a seu ver, é o motivo da incontrolável crise que atravessa.

https://elpais.com/sociedad/2019/02/17/actualidad/1550408582_186108.html

 

16) As crianças são mestres na arte de manipular os pais, visando impor suas vontades contra as restrições que são colocadas. Usando técnicas comportamentais, o autor mostra aos pais formas de lidar com tais comportamentos.

https://www.empoweringparents.com/article/masters-of-manipulation

 

Atualizado em 28/02/2019

 


           
 
1) Alain de Mijolla, psiquiatra e psicanalista, membro da Societé de Psychanalyse de Paris, morreu no último 24/01. Autor de vários trabalhos e interessado pela história da psicanálise, fundou a Association Internationale d´Histoire de la Psychanalyse.


2) Virginia Ungar, psicanalista argentina, primeira mulher a ocupar o posto de presidente da International Psychoanalytic Association (IPA), dá um entrevista a um jornal português. Fala entre outras coisas sobre o próximo congresso, que tem como tema as diferenças entre homens e mulheres.

https://www.publico.pt/2019/01/29/culto/entrevista/psicanalise


3) Elisabeth Roudinesco dá entrevista a jornal espanhol sobre seu ultimo livro "Dicionário Amoroso da Psicanálise" e fala sobre as questões que cercam hoje a prática psicanalítica.

https://elpais.com/cultura/2019/01/21/actualidad/1548088336_168252.html


4) Interessante artigo que mostra como é preconceituosa a ideia de que filhos únicos são problemáticos. Estudos com crianças norte-americanas, alemãs e chinesas ilustram as ideias do autor.

https://www.scientificamerican.com/article/is-only-child-syndrome-real

 

5) Nos primórdios da psicanálise, havia um grande interesse por fenômenos ocultos, como a telepatia. De fato, os fenômenos da transferência e da contratransferência se aproximavam bastante da "transmissão de pensamento" defendida pelo ocultistas. Freud se empenhou em conter o entusiasmo de Jung e Ferenczi pelo assunto e em estabelecer os limites entre tais campos. O artigo de Júlia Gyimesi explora o assunto.

https://daily.jstor.org/when-psychoanalysts-believed-in-magic/

 

6) Um analista argentino fala de sua experiência clínica, discorrendo sobre os meandros da relação analítica, da proximidade e intimidade especiais que nela se desenvolvem.

https://www.clarin.com/sociedad/mundos-intimos-memorias


7) Jornal australiano comenta documento recentemente lançado pela American Psychological Association (APA), descrevendo padrões disfuncionais da masculinidade, como comportamento agressivo, brutalidade, dominância, impossibilidade de expressar emoções, estoicismo - modelos socioculturais incutidos nos homens, com grande custo psíquico. Os homens praticam mais o assassinato e se suicidam mais do que as mulheres, por exemplo.

https://www.news.com.au/lifestyle/health/mind/traditional-masculinity

 

8) A psicanalista Marina Bilenky (SBPSP) opina sobre a nova ministra Damares Alves e suas posições controvertidas, que se afastam daquelas em torno das quais a contemporaneidade tem criado um certo consenso.

https://www.febrapsi.org/publicacoes/observatorio/observatorio-psicanalitico-852019/


9) Em podcast da "Ilustríssima", do jornal "Folha de São Paulo", Maria Rita Kehl conversa sobre seu livro lançado recentemente "Bovarismo Brasileiro", no qual aborda essa tendência à autoilusão a partir de temas como a televisão, o samba, a obra de Machado de Assis. Vivemos num impasse, diz Kehl: "O Brasil sonha ser um outro, mas sem mudar nada".

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2019/01/brasil-sonha


10) A psicanalista Silvana Rea (SBPSP)
reflete sobre a proposta da última bienal, que tinha como tema "Afinidades Afetivas", título que condensa ideias de Goethe ("Afinidades Eletivas" - 1809) e do crítico brasileiro Mário Pedrosa ("Da natureza afetiva da forma" - 1949). O objetivo do curador era proporcionar um encontro direto do espectador com a obra de arte, valorizando a percepção como forma de conhecimento, independente do saber discursivo.

https://www.febrapsi.org/publicacoes/observatorio/observatorio-psicanalitico-842019/


11) Entrevista de Joel Birman ao jornal "A Tarde", de Salvador, onde discorre sobre as patologias narcísicas predominantes no momento atual.

http://atarde.uol.com.br/muito/noticias/2020238-joel-birman-o-mundo

 

12) A partir do filme "Boy erased", que gira em torno de um rapaz submetido a um cruel e violento "tratamento" para "curar" sua homossexualidade, a autora - uma psicanalista norte-americana - fala de sua experiência na abordagem de casos onde predominam conflitos de identidade de gênero e de sexo.

https://www.psychologytoday.com/us/blog/psychoanalysis-unplugged/201811/can-one-s-sexuality-be-cured


13) Pequena resenha do livro "Psychanalyse de l´aeroport international", de Stephane Degoutin e Gwenola Wagon. As autoras falam desse "não-lugar" que é o aeroporto internacional, com sua logística perfeitamente racionalizada e padronizada para o encaminhamento das multidões que por ali passam incessantemente e que se submetem masoquistamente a procedimentos muitas vezes penosos.

https://esprit.presse.fr/actualite-des-livres/esprit/

 

14) A psicanalista Maria Eliana Barbosa Mello (SPRJ) fala sobre a posição do psicanalista frente aos problemas políticos, tendo em vista a recente eleição para presidente.

https://www.febrapsi.org/publicacoes/observatorio/observatorio-psicanalitico-762018/

 
Atualizado em 31/01/2019

 


            
1) Em 26/11 morreu, aos 77 anos, Bernardo Bertolucci, o grande diretor de cinema italiano. Sexo, política e psicanálise foram eixos centrais em sua obra. Filmes como "O último tango em Paris", "O céu que nos protege", "O último imperador", "O conformista", "O Pequeno Buda" e "1900" marcaram profundamente a cultura nas últimas décadas.

https://www.uai.com.br/app/noticia/cinema/2018/11/27
https://www.wsbradio.com/entertainment/oscar-winning-director


2) Bruce Springsteen está encerrando uma temporada de grande sucesso na Broadway, que deu origem a um documentário da Netflix a ser lançado na primeira quinzena de dezembro. Está na capa do último número da revista "Esquire", onde é objeto de uma longa entrevista. Atualmente com 69 anos, Springsteen fala de sua vida, da longa carreira de 50 anos que o transformou num ícone da música norte-americana e de sua incessante luta para manter a estabilidade mental. Sua infância foi traumatizada pela rejeição do pai, um homem doente psiquicamente, que morreu aos 73 anos num hospício, diagnosticado de esquizofrenia paranoide. Springsteen faz analise há 30 anos e diz que ela o salvou.

https://www.esquire.com/entertainment/a25133821/bruce-springsteen-interview-netflix

 

3) A propósito do Centenário da Primeira Grande Guerra, o sociólogo e psicanalista Jean-Yves Broudic lança livro onde defende a tese de que as altas taxas de suicídio e alcoolismo característicos da região francesa da Bretanha se explicam pelo trauma coletivo causado pela morte de 130.000 homens da região trauma ainda em elaboração. Lembra ele a Bíblia, que diz serem necessárias 7 gerações para que se instale o esquecimento.

https://www.francebleu.fr/infos/societe/centenaire-de-la-

 

4) Pierre Bayard é professor de literatura e autor de inúmeros livros, um deles -"Como falar de livros que não lemos" - foi grande sucesso de público em vários países. Seu último livro, "L´Enigme Tolstoievski", resenhado nesse artigo, é um bom exemplo da releitura crítica criativa e pouco convencional que faz dos grandes clássicos. Bayard dispõe-se a falar sobre "personalidades múltiplas" e as vicissitudes que tal condição traz em termos de estabilidade interna e inserção social. Apesar de ser um diagnóstico um tanto esquecido ultimamente, ele o usa como mote para criticar o que chama de obsessão da psicanálise pelo Um (tido como apanágio da saúde) em detrimento do múltiplo (sempre equiparado à doença, à psicose). Afirma que a literatura, ao contrário da psicanálise, pode lidar bem com as "personalidades múltiplas", com suas complexidades e contradições, pois ela se constitui um espaço descritivo e não normativo, onde não são feitos julgamentos. Como aplicação desse seu enfoque, propõe a existência de um autor com "personalidade múltipla", "Tolstoievski" - uma evidente fusão dos dois gigantes da literatura russa, Tolstoi e Dostoievski, com tudo o que os contrasta e une. Com isso, Bayard também propõe repensar uma questão antiga, a relação do autor com a obra. O resenhista lembra o que dizia Flaubert a respeito: "o autor deve ser como Deus no universo, presente em todo lugar e visível em nenhum". George Sand defendia posição oposta ao dizer - é loucura querer enquanto autor, ser aquele que deve desaparecer, aquele que se aniquila, aquele que não é". Nisso ela se opunha, muitos anos antes, ao que Proust diria depois: "um livro é o produto de um outro eu, diferente daquele pelo qual nos manifestamos em nossos hábitos, na sociedade, na prática de nossos vícios". Saint-Beuve, por sua vez, dizia: "tal árvore, tal fruto".

http://www.fabula.org/revue/document11628.php


5) Resumo do livro "Why we dream", escrito pela própria autora da obra, Alice Robb, consegue a proeza de falar sobre os sonhos sem mencionar uma única vez Freud ou a psicanálise, apoiando-se inteiramente nas neurociências. O mais surpreendente é que o resumo é comentado na seção de cartas do "New York Times" por um psicanalista, que tampouco reivindica a fundamental descoberta freudiana, documentada no magistral "A Interpretação dos sonhos", um dos pilares da teoria psicanalítica. Que podemos concluir disso?

https://www.nytimes.com/2018/11/25/opinion/letters/dreams-psychoanalysis.html


6) Em função da reedição dos primeiros livros de Foucault, o filósofo francês Yvon Quiniou fala sobre a "atitude inaceitável, ambígua senão falsa" de Foucault frente à psicanálise, o que poucos ousam denunciar tal a aura mistificadora que envolve o autor de "História da Loucura na Era Clássica".

https://blogs.mediapart.fr/yvon-quiniou/blog/241118/lattitude

 

7) Os canais do YouTube são a nova febre nas comunicações, atingindo especialmente as camadas mais jovens. Na França, um deles - chamado "Psycho-quoique" - tem a psicanálise como tema e faz sucesso divulgando para o grande público, de forma descontraída e "cool", o legado freudiano. No link, temos dois vídeos sobre o transgeracional.

https://www.telerama.fr/television/les-tubes-de-youtube-harcelement-a-lecole,-psychanalyse-cool,-bucarest-autrement...,n5895332.php

 

8) Instigante artigo sobre o "consentimento", conceito que estabelece limites entre o que é aceitável ou não nos relacionamentos humanos, especialmente no que diz respeito a sexualidade. Tendo em vista a complexidade do que ocorre na dupla paciente-analista, a autora discorre sobre os abusos que nela podem acontecer, sugerindo que os institutos de psicanálise poderiam se beneficiar com as políticas vigentes nos campi universitários, que tendem a enfatizar a prevenção dos abusos sexuais e não a punição ou reparação legal. Para tanto, é muito importante a figura do "bystander", o circunstante, o espectador, alguém que está presente no momento do ataque e que pode agir ativamente para evitá-lo ou que pode testemunhar a agressão.

https://blogs.psychcentral.com/see-saw-parenting/2018/11/community-based-accountability-in-rape-prevention/

 

9) O Museu de Arte e História Judaicas, de Paris, abre uma grande exposição - "Sigmund Freud - do olhar ao escutar", homenageando o pai da psicanálise e ressaltando suas origens judaicas.

https://ca.blouinartinfo.com/news/story/3361386/in-paris-where-freud-art-and-religion-meet


10) A guerra entre cérebro e mente, assumida pelos partidários da neurociência e das terapias cognitivo-comportamentais por um lado e pelos psicanalistas e psicoterapeutas em geral do outro parece estar chegando ao fim. Esse artigo, um resumo do livro "Neuroscience at the intersection of mind and brain", procura aplainar o terreno, afirmando que a psicoterapia é uma experiência de vida que muda o funcionamento do cérebro, que há ciência nas psicoterapias.

https://www.psychologytoday.com/intl/blog/denying-the-grave/201811/is-there-science-psychotherapy

 

11) "Cartas a uma jovem psicanalista" é o primeiro livro sobre psicanálise traduzido para o árabe na Argélia. Seu autor é Heitor O´Dwyer de Macedo, psicanalista brasileiro radicado em Paris há muitos anos.

https://www.elwatan.com/edition/culture/premier-ouvrage-de-psychanalyse


12) O Conselho Federal de Psicologia (CFP) muda suas recomendações sobre o tratamento psicoterápico on line. Na Resolução 11, libera o numero de sessões, antes restritas a 20.

https://www.otempo.com.br/interessa/sa%C3%BAde-e-ci%C3%AAncia/terapia-online-

 

13) Sophie Robert, a jovem documentarista que provocou bastante celeuma há poucos anos com seu filme "Le Mur", no qual abordava o tratamento de crianças autistas na França, volta à carga com nova produção. Trata-se do documentário "Le phallus et le néant", onde entrevista 18 psicanalistas e um pediatra sobre sexualidade.

http://blogs.lexpress.fr/the-autist/2018/11/01/le-phallus-et-le-neant-au-cinema-le-balzac-paris-6-nov/

 

14) Uma síntese do livro "Screw Consent: a better politics of sexual justice", a ser lançado no próximo ano, escrita pelo próprio autor Joseph J. Fischel. Neste curioso texto, o autor procura responder a pergunta - "com que se está consentindo no chamado sexo consensual". Levando em conta as novas formas de sexualidade, especificamente homens e mulheres transgênero, o autor mostra as complicadas situações legais que podem aparecer na prática sexual desses sujeitos. Por exemplo: mulheres trans podem ser processadas em termos de abuso sexual pelas parceiras frustradas com a ausência do pênis que esperavam encontrar. Os casos relatados ocorreram no Reino Unido, nos Estados Unidos e em Israel.

https://aeon.co/ideas/what-do-we-consent-to-when-we-consent-to-sex

 

15) Pesquisas mostram que grande parte dos pacientes mente sobre suas dificuldades sexuais e o uso de álcool e drogas, especialmente no início do tratamento. Somente com o progredir da terapia se estabelece uma relação de confiança que possibilita o paciente se expor sem medo.

https://health.usnews.com/wellness/mind/articles/2018-11-29/do-you-


16) A psicanalista Adela Stoppel de Gueller deu uma entrevista em Natal, ao participar da Segunda Jornada de Psicologia e Psicanálise, promovida pelo grupo Percurso Livre em Psicanalise (PLP).

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/sofrimento-psa-quico-na-o


Atualizado em 04/12/2018

 


           

1) Comentários de Luis Carlos Menezes, psicanalista da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, sobre o documentário "Intervenção - O amor não quer dizer grande coisa", de Gustavo Aranda, Tales Ab`Saber e Rubens Rewald.

https://www.febrapsi.org/publicacoes/observatorio/observatorio-psicanalitico

 

2) Psicanalistas brasileiros falam da repercussão na clínica das tensões políticas ligadas às polarizações na disputa dos candidatos à presidência.

https://epoca.globo.com/e-fraude-ou-freud-23149023

 

3) Com o fenômeno MeToo, mulheres americanas passaram a relatar não só assédios sexuais atuais, mas também aqueles acontecidos anos antes. Por terem ocorrido em contextos sociais muito diferentes dos vigentes no momento e dentro de uma moral sexual também mudada, muitos consideram inapropriados e injustos tais relatos e a consequente acusação dos perpetradores.  Nesse interessante artigo, a autora apela para conceitos freudianos e laplanchianos (trauma em dois tempos, après-coup) para rebater tais acusações. Muitas mulheres ao tomarem conhecimentos do que outras passaram, voltam a lembrar antigos episódios e a ressignificá-los.

https://www.nybooks.com/daily/2018/10/11/psychoanalysis-and-metoo

 

4) Pequena resenha do livro "Une histoire érotique de la psychanalyse: de la nourrice de Freud aux amants d´aujourd`hui" (Payot), da escritora e psicanalista Sarah Chiche. Nessa obra ela lembra a relação da psicanálise com o sexo, o amor e a liberdade desde os tempos de Freud até hoje e propõe uma meditação sobre a relação entre as mulheres e o desejo, discorrendo sobre personagens de ficção - como Marnie de Hitchcock, Lol V. Stein de Marguerite Duras - e personalidades conhecidas, como Marilyn Monroe, Lou Andreas Salome, Virginia Woolf, Alice Buxton Winnicott (primeira mulher de Winnicott, com quem manteve um matrimônio sem sexo e cheio de ódio) e Catherine Millet.

https://www.franceculture.fr/emissions/le-journal-de-la-philo/

 

5) A Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro promove debate em torno do filme "A taça de ouro", de James Ivory, baseado no clássico romance de Henry James.

http://radios.ebc.com.br/arte-clube/2018/10/sociedade-brasileirA

 

6) O autor, psiquiatra e psicanalista francês radicado nos Estados Unidos, fala da multifacetada luta da psicanálise contra o DSM, na qual existem excessos, paradoxos e contradições. Mesmo assim, considera tal luta como um trabalho lúcido de cultura e civilização, fiel ao papel atribuído por Freud à psicanálise em seus textos mais antropológicos. 

https://www.madinamerica.com/2018/08/psychoanalytic-struggle-against-dsm/

 

7)  Em "Pais que invejam seus filhos", a autora descreve suas traumáticas experiências com pais narcisistas e fusionais, que não aceitavam seu crescimento e tentavam boicotá-lo sistematicamente.

https://www.huffingtonpost.ca/lenora-thompson/parents-jealous

 

8) Uma entrevista rápida de Elisabeth Roudinesco para um jornal espanhol.

https://www.lavanguardia.com/lacontra/20181024/452530620212

 

9) Para o grande público, o autor fala de pessoas que atuam seus conflitos, fazendo sofrer aqueles com quem convivem, sem nenhuma crítica, sem perceber de suas doenças mentais e a necessidade de procurar tratamento.

 https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2018/10/peopl

 

10)   Luca Guadagnino, o diretor italiano que faz sucesso em Hollywood lança sua nova criação "Suspiria" (um filme de terror), fortemente inspirado em conceitos psicanalíticos referentes às relações familiares e conflitos mãe-filha. A ação se passa na Alemanha dos anos 1970, onde uma moça americana vai estudar dança numa escola famosa, ignorando ser ela dirigida por bruxas.  

https://www.hollywoodreporter.com/news/suspiria-director

 

11) "Eu não sonho porque escrevo", diz o grande escritor japonês Haruki Murakami em entrevista sobre seu novo livro "Killing Commendatore".

https://www.nytimes.com/2018/10/10/books/murakami-killing-commendatore.html

 

12)   Boa resenha de dois livros recém-saídos nos Estados Unidos sobre um assunto que ganha crescente atenção - as políticas da identidade. O primeiro "Identity: contemporary identity politics and the strugle for recognition " de Francis Fukuyama e "The Lies that bind - Rethinking Identity", de Kwame Anthony Appiah. Fukuyama mostra como as políticas de identidade respondem ao desejo de "thymos", o anseio por reconhecimento e dignidade na sociedade humana, partindo especialmente das parcelas marginalizadas, algo que foi desconsiderado pela globalização. Tais políticas podem dividir, na medida em que reforçam valores nacionalistas e étnicos, mas também agregam, fazendo com que grupos dispersos se fortaleçam em torno de uma identidade comum.  Appiah, por sua vez, discorre sobre os equívocos em torno da identidade, na medida em que se lhe atribui  uma condição essencialista que ela não possuiu.

https://www.newstatesman.com/john-gray-identity-politics-contemporary

 

13)  A psicanalista autora do texto fala sobre a transferência erótica, usando duas metáforas para categorizá-la - a "rip tide" (maré com correnteza, rebentação) e a "slippery slope" (ladeira escorregadia, caminho duvidoso). A primeira se apresenta como algo intenso, inesperado, tumultuado e forte, o analista deve saber nadar com a correnteza para não se afogar. A segunda é uma sequência de erros e equívocos que se retroalimentam e levam a um beco sem saída.

https://blogs.psychcentral.com/see-saw-parenting/2018/10/303

 

Atualizado em 31/10/2018

 


          
1) Kwame Anthony Appiah é um intelectual com crescente prestígio na academia e na mídia norte-americana. Nesse ensaio, ele se estende sobre a onipresente questão da identidade e suas políticas, mostrando como esse conceito tem uma dimensão psíquica, interna, referente a modos estáveis de ser que caracterizam uma pessoa, e uma dimensão social, a forma como ela é vista pelos outros, que inevitavelmente a classificarão em grupos e categorias (classe, gênero, sexo, etnia, raça, etc). A questão se amplia com a dimensão "trans". Mal nos acostumamos com os "transexuais" e não é que agora apareceram os "transraciais"! Pode uma mulher caucasiana, loura e de olhos azuis, se dizer "negra"?

https://www.theguardian.com/books/2018/aug/31/who-owns

 
2) Eli Zaretsky, autor do excelente "Political Freud - a history"
, analisa o fenômeno Trump. Ao invés de centrar a atenção na figura do presidente e sua suposta psicopatologia, prefere enfocar o contexto social que o levou ao poder, utilizando o clássico freudiano "O Ego e a psicologia das massas", ou, mais ainda, a releitura daquela obra realizada por Adorno em 1951 - "Teoria Freudiana e o padrão da propaganda fascista". Ali Adorno vê o demagogo não tanto como a figura paterna descrita por Freud e sim como o irmão bem-sucedido, aquele que realiza os sonhos que os demais não conseguiram realizar. Ele repara o narcisismo ferido dos pobres e humilhados, dos marginais do sistema. O gênio de Trump residiria em sua habilidade, como homem de TV, de se comunicar com esse público, que lhe devota irrestrita lealdade.

https://www.lrb.co.uk/blog/2018/09/18/eli-zaretsky/the-mass-psychology-of-trumpism

 

3) Na Argentina, a corrupção que dominava todo o período kirchnerista começa a vir à tona e, algo muito parecido com o que ocorre no Brasil, predomina em muitos setores da sociedade uma atitude de negacionismo, fenômeno examinado por analistas políticos e pensadores como o historiador Esteban Poliponsky e a psicanalista Marta Goldstein, vice-presidente da Associação Psicanalitica Argentina (APA).

http://www.laprensa.com.ar/467655-El-negacionismo-y-la-corr

 

4) Carl Bagnini, psicanalista e terapeuta de casal e crianças, reflete sobre o uso rígido de paradigmas teóricos psicanalíticos em função de ideologias institucionais, com o consequente fechamento para novas abordagens, o que leva ao empobrecimento da prática clínica.

https://www.therapyroute.com/article/are-psychoanalytic-paradigms-for-us-or-for-use-by-cbl-bcd


5) O livro infantil "O menino que espiava para dentro" (1983), de Ana Maria Machado, membro da Academia Brasileira de Letras, movimentou as redes sociais a partir do temor de uma mãe de que o mesmo pudesse induzir crianças ao suicídio. Um psicanalista , Celso Gutfreind, dissipa tais fantasias.

https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia/2018/09/

 

6) Em 1945, o produtor David O. Selznick resolveu investir num filme para divulgar a psicanálise, contando com a assessoria de sua própria analista. Hitchcock foi contratado para dirigi-lo e Salvador Dali ficou encarregado de desenhar uma sequência de sonho, que resultou numa filmagem de 15 minutos. Na montagem final, a sequência ficou reduzida a apenas 2 minutos, que podem ser vistos no vídeo abaixo, onde aparecem Ingrid Bergman e Gregory Peck, os astros de "Spellbound" ("Quando fala o coração")

http://www.anothermag.com/art-photography/11083/when-salva


7) Em 10 de outubro próximo, o Museu de Arte e História do Judaísmo de Paris abre uma exposição sobre Freud. O suplemento de turismo do jornal "Le Parisien" mostra matéria sobre os lugares de Viena frequentados por Freud, tendo como ponto de partida seu apartamento, o atual Museu Freud.

http://www.leparisien.fr/culture-loisirs/tourisme-du-cote-de-chez-freud-a-vienne-


8) Estudos mostram que atualmente 10 % das crianças norte-americanas são tidas como portadoras de distúrbio de atenção e hiperatividade, um evidente abuso e banalização do diagnóstico, tal como ocorre com o de "depressão". O psicanalista que escreve o artigo acha que esse é um diagnóstico de conveniência, que exime os pais de reconhecerem sua responsabilidade no estado do filho e numa dinâmica familiar claramente disfuncional.
https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2018/09/10-of-us-children-have-adhd/


9) O artigo mostra para o público leigo a importância de conversar com o terapeuta sobre ideias suicidas e a forma de avaliar a gravidade da situação.

https://www.psychologytoday.com/us/blog/think-act-be/201809/


10) Christian Dunker comenta o atentado a Jair Bolsonaro em entrevista.

https://www.nexojornal.com.br/entrevista/2018/09/09/O-atentado-a-Bolsonaro-sob-o-olhar-da-psican%C3%A1lise

 

11) Um longo artigo de um jornalista búlgaro que analisa o caso de Julia Kristeva, dando-lhe a devida dimensão. A seu ver, é verdadeiro o dossiê da polícia búlgara que a expõe como agente secreto e é lamentável que Kristeva, ao renegá-lo como "fake news" ou falsificações de funcionários desonestos, desacredite o imenso esforço realizado por aqueles que tentam recuperar a memória dos tempos tenebrosos da Bulgária sob o tacão soviético e as graves distorções perversas nas relações sociais decorrentes das práticas totalitárias que impunha.

https://www.newyorker.com/news/dispatch/was-the-philosopher-julia-kristeva-a-cold-war-collaborator

 
12) Esse texto é parte da introdução do livro "Estimado Doutor Freud - una historia cultural de la psicoanálisis en America Latina"
, de Mariano Ben Plotkin e Mariano Ruperthuz Honotato. Os autores especulam por que, apesar da forte presença da psicanálise na América Latina, especialmente em Buenos Aires, o papel deste continente é praticamente ignorado nos textos sobre o movimento psicanalítico e nas biografias de Freud, inclusive na recentemente lançada por Elisabeth Roudinesco. O fato é mais significativo por ter esta autora vindo com alguma frequência para esta parte do mundo.

https://www.infobae.com/grandes-libros/2018/09/05/por-que-el-


13) No link abaixo, um podcast com entrevista de Contardo Calligaris, que relança seu livro "Hello Brasil!", agora revisto, ampliado e renomeado com o subtítulo "Psicanálise da Estranha Civilização Brasileira".

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2018/09/brasil-

 

14) Está sendo leiloada, nos Estados Unidos, uma carta manuscrita de quatro páginas de Freud para Paul Federn, datada de 1913, na qual fala de sua vida particular e diz "respeitar sua ascendência judaica e desejar compartilhá-la".

https://forward.com/culture/409075/freud-rarely-spoke-about-his-life-but-in-a-rare-letter-he-showed-jewish/

 

15) A única gravação conhecida da voz de Freud, realizada em 1938 pela BBC em sua residência em Londres. Freud fala em inglês um texto que redigiu e que pode ser lido junto com sua fala.

https://forward.com/culture/410162/hear-the-only-recording-of-freuds-voice/


 
Atualizado em 28/09/2018

 


         
 
1) Lisa Job lança livro relatando sua difícil relação com o pai, Steve Job, o gênio da Apple. Já expostas nas diversas biografias e cinebiografias, as atitudes incongruentes e cruéis de Job para com a filha primogênita só podem ser entendidas como um comportamento sintomático a ser interpretado pela psicanálise. O penoso exercício da paternidade por parte de Job teria alguma relação com o fato de ter sido um filho adotivo?   

https://www1.folha.uol.com.br/tec/2018/08/filha-de-steve-jobs-o-retrata

 

2) Muito oportuna entrevista de Betty Milan com Marco Antonio Coutinho Jorge e Natália Pereira Travassos, autores do livro "Transexualidade - O corpo entre o Sujeito e a Ciência", em lançamento da Zahar. Os autores alertam contra os excessos e equívocos alimentados pela mídia, que podem levar a uma perigosa banalização da troca de sexo - uma escolha irreversível com profundas consequências físicas e emocionais. E mais: afirmam que definir uma criança como "transgênero" parece ser fruto da homofobia dos pais.  

https://www.oantagonista.com/internet/nenhuma-crianca-se-define-

 

3) Um curto e belo texto literário da escritora italiana Elena Ferrante abordando sua conflituada relação com a mãe, a luta para se discriminar dela e a final reconciliação.

https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2018/aug/25/elena-ferrante-one-morning

 

4) Em "O que teria levado Freud a escrever uma escandalosa biografia de Woodrow Wilson?", artigo publicado na Smithsonian Magazine, são discutidos a famosa coautoria Bullitt-Freud no livro sobre o Presidente Wilson, os impasses em torno de sua publicação e as reações que ela provocou. Freud teria feito concessões em nome da gratidão que sentia por Bullitt, principal responsável por seu resgate da Viena tomada pelos nazistas. Para não prejudicar a carreira diplomática de Bullitt, Freud suprimiu textos que só mais  recentemente foram  dados à luz, como os que falam de suas hipóteses sobre as relações entre homossexualidade e cristianismo e as que abordam a sexualidade de Wilson.

https://www.smithsonianmag.com/history/what-drove-sigmund-freud-write-scandalous

 

5) "Selfie, logo existo - posts psicanalíticos", livro do psicanalista Marcelo Veras, publicado pela Editora Corrupio, aborda questões ligadas às redes sociais, a incontornável presença do What´sApp, Facebook, Instagram e Twitter na vida cotidiana de todos. Apesar das críticas, Veras não adota a visão catastrofista que demoniza as redes sociais. A seu ver, se Freud fosse vivo, ele as usaria para melhor divulgar a psicanálise.

https://www.uai.com.br/app/noticia/artes-e-livros/2018/08/21/noticias-artes-e-livros

 

6) O documentário "Three Identical Strangers", de Tim Wardle, premiado recentemente no Sundance Festival, baseia-se em fatos reais. Três gêmeos idênticos foram separados e encaminhados para adoção sem conhecimento dos pais adotivos. Anos depois, eles se encontram. Juntamente com mais alguns pares de gêmeos, eles faziam parte de um projeto de pesquisa cientifica visando estabelecer a importância dos fatores genéticos e ambientais na constituição dos sujeitos. Na ocasião, tais pesquisas, que se iniciaram nos anos 50 e se estenderam por mais algum tempo, não levantaram oposições de ordem ética, ao contrário do que ocorreria agora. O filme levanta importantes questões a respeito, inclusive essa - deve-se julgar acontecimentos do passado a partir da visão de hoje? A propósito dos trigêmios, é importante dizer que um deles suicidou-se.   

https://www.psychologytoday.com/us/blog/beyond-freud/201808/three-identical-strangers

 

7) "A voz do silêncio" filme coprodução brasileira-argentina de André Ristum abriu o festival de Gramado, recebendo criticas por seu excessivo pessimismo. O diretor diz não se considerar pessimista e sim realista, posição adquirida nos vinte e cinco tantos anos de psicanalise que fez.

https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/cinema/noticia/2018/08/a-voz-do-silencio

 

8) Quais psicoterapias funcionam melhor para crianças e adolescentes? O autor descreve algumas técnicas de terapias cognitivo-comportamentais, afirmando serem pouco efetivas para pacientes mais jovens, e enfatiza a importância das terapias fundadas na teoria psicanalítica.  

https://www.psychologytoday.com/intl/blog/psychoanalysis-unplugged/20180

 

9) O psicanalista Leopoldo Nosek, fala na revista "Época", sobre as redes sociais e sua presença dominante nas relações interpessoais.

https://epoca.globo.com/as-grandes-infelicidades-nao-aparecem-nas-redes-sociais

 

10)  Vídeo de 24 minutos em que Maria Rita Kehl fala sobre "Bovarismo Brasileiro", seu novo livro de ensaios lançado pela Editora Boitempo.

https://www.nexojornal.com.br/video/video/Bovarismo-Brasileiro-entrevista

 

11) A eutanásia e o suicídio assistido são procedimentos legalmente permitidos na Holanda. Mais frequentemente usados por doentes terminais de câncer, em janeiro o estado holandês permitiu que Aurelia Brouwers, 29 anos, portadora de grave doença psiquiátrica, se beneficiasse da lei, como mostra essa reportagem da BBC.

https://www.bbc.com/news/stories-45117163

 

12) "Otto Gross: por uma psicanálise revolucionária", livro organizado por Marcelo Chechia, Paulo Sérgio de Sousa e Rafael Alves Lima, traz elementos biográficos e textos desse rebelde e excluído discípulo de Freud.

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2018/08/o-retorno-de-otto-gross

 

13) "Dez coisas que as pessoas fazem que de fato significam - "estou pensando em me matar" é o título desse artigo que se volta para a importante questão da prevenção do suicídio. O autor relata comportamentos típicos: isolamento social, sonolência excessiva, comunicar-se de forma vaga, ter comportamento de risco, vender ou dar bens pessoais, fazer piadas sobre suicídio, descuidar da aparência pessoal, dar indicações indiretas sobre suicídio, enviar inesperadas mensagens de amor para amigos e conhecidos, comportar-se de forma excessivamente ativa ou alegre.

https://themighty.com/2018/07/suicide-warning-signs/?utm_source=Facebook

 

14) Texto sobre a Clínica Pública de Psicanálise na Vila Itororó Canteiro Aberto (São Paulo), uma experiência de atendimento a populações carentes. O autor faz um pequeno histórico desse tipo de clinica e se estende sobre a relevância do dinheiro em nossa sociedade e a subsequente questão do pagamento em psicanálise. O autor propõe que ao invés da "dádiva", que coloca aquele que a recebe em posição de devedor frente a generosidade do outro, seja estabelecido o critério de "troca", tendo como modelo o que ocorre em terreiros de pais-de-santo.

https://outraspalavras.net/brasil/baixou-oxossi-na-clinica-de-psicanalise/

 

15)  Os dois links abaixo abordam as comemorações dos 30 anos da morte de Françoise Dolto. Diz o jornal Libèration: Trinta anos depois de sua morte, a célebre psicanalista de crianças é sempre objeto de polêmicas e deformações, voire d´oubli. Entre a supremacia das neurociências e terndências reacionárias, a história de sua herança clínica e intelectual ainda está por ser escrita. 

Que reste-t-il du cas Dolto ? - Libération

Françoise Dolto, trente ans après : «Une boîte à outils formidable 


Atualizado em 29/08/2018

 


         
 
1) Museu israelense exibe anéis dados por Freud para seus discípulos mais íntimos, aqueles que constituíam o famoso "comitê secreto".

https://www.smithsonianmag.com/smart-news/exhibit-reveals-rings-


2) Psicanalista fala sobre as diversas formas pelas quais os novos dispositivos de acesso à internet e às redes sociais interferem nas relações humanas e as modificam.

https://www.gazetaonline.com.br/noticias/cidades/2018/07/estar-conectado-


3) Garcia-Roza fala sobre "Sombras", seu último livro a seu lançado em breve.

http://www.jb.com.br/cultura/noticias/2018/07/15/garcia-roza-conclui-novo-romance


4) "Amar é dar o que não se tem" é um aforismo de Lacan que um psicanalista desdobra ao comentar dois conhecidos filmes.

https:/ /cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte/amar-e-dar-


5) O autor, discipulo de Deleuze e Guatari,
discorre sobre o que considera ser uma despolitização da psicanálise, lembrando as clínicas populares de Viena, Berlim, Londres, Budapest eTrieste sufocadas pela eclosão do fascismo, do nazismo e do stalinismo.

http://next.liberation.fr/livres/2018/07/11/psychanalyse-un-heritage-


6) Claude Lanzmann, recentemente falecido aos 93 anos, foi autor de grandes filmes sobre o Shoah, o mais famoso e extenso deles mostrando uma sequência de depoimentos de seus sobreviventes, uma verdadeira "psicanálise cinematográfica".

https://www.dn.pt/cultura/interior/claude-lanzmann-ou-a-psicanalise-cinematografica

 

7) Trabalhando com os conceitos de "flexibilidade cognitiva" e "inflexibilidade cognitiva", pesquisador valida a teoria de Freud sobre a fixação, mostrando como traumas podem fazer com que os sujeitos percam sua flexibilidade cognitiva, não mais aprendendo com a experiência.

https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2018/07/freuds-theory-has-

 

8) Assim como existem as parteiras, que ajudam o nascimento das crianças, grupos se dispõem a fazer o equivalente no polo oposto - organizam-se para ajudar o moribundo a enfrentar a morte e fazer a travessia.

https://www.esquire.com/lifestyle/health/a21096613/get-over-fear-of-dying


9) A obra do pintor Balthus sempre suscitou controvérsias, dado sua predileção em representar meninas em poses erotizadas, o que pode ser visto como expressão de fantasias pedófilas. Sua recente exposição no Metropolitan Museum of Art, de Nova York, renovou a polêmica, quando uma frequentadora se sentiu incomodada com os quadros expostos e escreveu uma carta aos diretores da instituição, solicitando que fosse feita uma introdução explicativa do trabalho do artista, para evitar compreensão equivocada do mesmo.

https://www.nybooks.com/articles/2018/06/28/balthus-therese-

 

10) Artigo mostra como os pais se mostram muito preocupados com o uso excessivo de smartphones e tablets por suas crianças e adolescentes, sem se aperceberem de que eles mesmos padecem do mesmo mal. É frequente que mães e pais estejam fisicamente presentes com seus filhos mas emocionalmente distantes, na medida em que sua atenção está voltada para os pequenos dispositivos eletrônicos e as redes sociais.

https://www.theatlantic.com/magazine/archive/2018/07/the-dangers-of-distracted


11) Resenha de uma biografia de Asperger, com dados reveladores sobre esse médico nazista, partidário da eugenia e diretamente responsável pela execução de pelo menos três dezenas de pequenos pacientes. A autora do livro amplia sua crítica para a própria noção de autismo e de síndrome de Asperger, questionando até que ponto tais diagnósticos não são fruto de distorções ideológicas e intolerância com a diversidade humana.

https://www.nybooks.com/articles/2018/07/19/hans-asperger-dr-death/


12) Nos Estados Unidos, alguns pais resolvem criar seus filhos sem impor-lhes uma identidade de gênero,
negando-se a seguir a habitual divisão entre "menino" ou "menina" estabelecida no próprio nascimento pelos circunstantes, bem como usar os pronomes sexuados "ele" e "ela" quando se referem a seus rebentos.

https://www.nbcnews.com/feature/nbc-out/boy-or-girl-parents-raising-theybies-let

 

13) Nos Estados Unidos, uma nova tribo aparece com força nas redes sociais. Trata-se dos "incels", forma abreviada de "involutarily celibate", ou seja, celibatário involuntário - homens que desejam encontrar uma companheira e que, por motivos variados, não conseguem, acumulando um grande ressentimento contra as mulheres, pois se sentem rejeitados e desprezados por elas. Um daqueles assassinos em massa que agem em colégios norte-americanos deixou um longo depoimento na internet, declarando-se um "incel" e atribuindo a essa condição sua infelicidade e agressividade, angariando com isso muitos seguidores. O artigo mostra como os "incels" teriam grandes problemas com a imagem corporal, atribuindo-se defeitos físicos e procurando formas de minorá-los, exceto aquelas que efetivamente os ajudaria - uma boa psicoterapia.

https://www.huffpostbrasil.com/entry/incels-looksmaxing-obsession

 

14) Crianças superdotadas são facilmente confundidas com aquelas portadoras de Síndrome de Asperger, forma de autismo altamente funcional. Embora as duas condições não se excluam necessariamente, é importante que o diagnóstico seja estabelecido para que os necessitados de acompanhamento especial não sejam prejudicados.

http://www.psy-ed.com/wpblog/undiagnosed-aspergers-syndrome/



Atualizado em 26/07/2018

 


         
1) O suicídio de celebridades é especialmente chocante, pois é comum se equacionar sucesso, fama e dinheiro com felicidade. Quando alguém que tem tudo isso se mata, vê-se que a coisa é mais complicada. Assim, o suicídio da designer Kate Spade e especialmente o de Anthony Bourdain, ocorridos este mês, provocaram uma onda de perplexidade e lamentação mundo afora. Muitos viam Bourdain como um modelo, um legitimo representante da virilidade tranquila e bem resolvida, um homem simpático, de contato fácil e amistoso, aventureiro, ousado, usufruindo sem culpa dos prazeres da vida, das viagens e da boa comida. Seu suicídio destruiu essa imagem e expôs seu lado sombrio de usuário de drogas pesadas, contra o qual vinha lutando e que terminou por abatê-lo. Nos links abaixo temos uma emocionada homenagem de um psiquiatra norte-americano a Bourdain; o texto de uma jornalista cuja irmã suicidou-se e que lamenta o que chama de "a indignidade do suicídio de celebridades", referindo-se a Bourdain e à Kate Spade, e um outro que fala do aumento da taxa de suicídio nos Estados Unidos e de medidas preventivas a serem tomadas.
http://robertberezin.com/a-psychiatrists-elegy-for-anthony-bourdain/
https://www.theparisreview.org/blog/2018/06/13/the-indignity-of-celebrity

 

2) No final do mês do mês de agosto próximo se completarão trinta anos do falecimento de Françoise Dolto. Preparam-se grandes comemorações na França, com o relançamento de seus livros, palestras e forte exposição na mídia, como a reapresentação de suas entrevistas na televisão e o lançamento de um documentário sobre sua vida e obra. No primeiro dos três links abaixo, vemos uma devastadora crítica desse documentário, desde que a autora o considera eivado de erros grosseiros, mostrando uma imagem completamente equivocada de Dolto. Os outros dois são chamadas da televisão francesa para a exibição de entrevistas da popular psicanalista.

http://www.liberation.fr/debats/2018/05/30/francoise-dolto-n-est

https://www.franceculture.fr/psychanalyse/francoise-dolto

https://www.franceculture.fr/psychanalyse/francoise-dolto-0

 
3) O psicanalista Alexandre Socha resenha o recém-publicado livro "Manuscrito inédito de 1931", com o texto de Freud escrito para livro em parceria com William Bullitt sobre o Presidente Wilson, que foi suprimido na publicação original. O manuscrito foi descoberto em 2004 por Paul Roazen e traz importantes ideias sobre religião e cristianismo

https://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2018/06/manuscrito-de-freud-


4) Com ataques de pânico, o grande escritor irlandês Samuel Beckett procurou um amigo psiquiatra e analista que o orientou para uma psicanálise com Bion. O neto desse homem comenta a correspondência publicada de Beckett, na qual aparecem menções a seu avô e à análise de Bion.

https://www.lrb.co.uk/blog/2018/06/21/sam-thompson/not-a-word-from-geoffrey/

 

5) Texto de psicanalista argentino no jornal "El Clarín" sobre a importância do combate ao "bullying", essa manifestação da agressividade grupal contra um bode expiatório, que ocorre nas escolas e é potencializado com o uso das redes sociais.

https://www.clarin.com/sociedad/bullying-crear-clima-dialogo-chicos-sientan


6) A autora do texto, uma psicanalista norte-americana, faz uma precisa e valiosa síntese dos aspectos mais fundamentais da obra de Melanie Klein e agradece ao psicanalista canadense Donald L. Carveth a releitura e acréscimos que tem feito a esse corpo teórico, especialmente ao propor a troca do termo "posição depressiva" por "posição reparadora", o que evitaria alguns mal-entendidos frequentes. Esta posição, segundo Carveth é a base da moralidade. A esse respeito, Carveth tem opiniões interessantes, como ao criticar a afirmação de que a ética da psicanalise reside apenas na honestidade. Diz ele que outros valores estão necessariamente em jogo na psicanalise, pois "ela valoriza mais a vida que a morte, o amor do que o ódio, a bondade do que a crueldade, a gratidão do que a inveja, a consciência do que a inconsciência".

https://www.psychologytoday.com/us/blog/the-me-in-we/20


7) A Wellcome Library de Londres
guarda um extenso arquivo de notas clínicas, artigos, imagens e outros materiais de Melanie Klein. No site do Melanie Klein Trust (http://www.melanie-klein-trust.org.uk/) há informações mais detalhadas a respeito.

https://klein-archive.tumblr.com/

 

8) Marilia Aisenstein, psicanalista egípcia radicada em Paris, discorre sobre sobre a dor e a psicossomática.

https://oglobo.globo.com/sociedade/conte-algo-que-nao-sei/a-dor-um-

 

9) Vera Iaconelli fala sobre Margarete HIlferding, a primeira mulher (médica) a frequentar os encontros psicanalíticos em 1910 e seu pioneirismo em falar sobre a ambivalência do amor materno e o componente erótico do parto.

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/vera-iaconelli/2018/06

 

10) Através de algumas vinhetas clínicas, o autor do texto fala do abuso emocional, mostrando as manipulações e ataques sádicos realizados por pais psicóticos ou sociopatas contra seus filhos pequenos.

https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2018/06/emotional


11) Na Rodoviária do Plano Piloto,
em Brasília, coletivo de psicanalistas atende gratuitamente interessados que por ali passam ou que foram informados pela internet. Há cerca de 30 grupos de psicanalistas espalhados pelo Brasil praticando esse tipo de atendimento, cuja validade não é uma unanimidade entre os profissionais da área.

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/06/21/


12) Uma resenha do livro "Becoming myself: a psychiatrist´s memoir", autobiografia de Irvin D. Yalom, famoso psicoterapeuta e escritor, autor de "Quando Nietzsche chorou", que a escreveu aos 85 anos e foi publicada no ano passado.

http://thoughtleader.co.za/psyssa/2018/06/15/book-review-yaloms


13) O texto aborda as mudanças e desafios trazidos pela paternidade, descrevendo as mudanças hormonais e psíquicas que ocorrem nessa condição.

https://www.psychologytoday.com/intl/blog/psychoanalysis-unplugged

 

14) "Serei demasiadamente narcisista?" - essa é uma das muitas perguntas feitas ao Google, que seleciona as mais pertinentes e encaminha para profissionais convidados respondê-las. No caso, temos uma sintética e esclarecedora explicação sobre o narcisismo.

https://www.theguardian.com/commentisfree/2018/jun/13/am-i-too

 

15) Um longo artigo analisa o filme "Annihilation", o último de Alex Garland (autor do elogiado "Ex Machina"), um ficção cientifica que o autor do texto acha ilustrativo do conceito de pulsão de morte, citando Sabine Spielrein e Freud.

https://www.popmatters.com/annihilation-fear-and-loathing-2573291244


16) Resenha do livro "On the Couch - A repressed history of the analytic couch from Plato to Freud", de Nathan Kravis of Egremont. Indo além do icônico divã analítico, o autor apresenta em seu livro um vasto panorama a respeito desse móvel através da história, começando com o "simposion" grego e "convivium" romano, seguindo através de outras eras na civilização ocidental até os atuais anúncios modernos e ilustrações de revistas.

http://www.berkshireeagle.com/stories/book-review-egremont-author-delves

 

17) Longa entrevista com Slavoj Zizek, que se inicia com a pergunta do entrevistador - que texto devo ler para entender sua obra?

https://daily.jstor.org/getting-a-grip-on-slavoj-zizek-with-slavoj-


Atualizado em 29/06/2018

 


         
1) O uso terapêutico de drogas alucinógenas como a psilocibina e LSD foi abandonado nos anos 70, mas, surpreendentemente, elas voltam à cena como medicação paliativa para pacientes com doenças crônicas em estágio terminal, proporcionando-lhes conforto e facilitando-lhes a aceitação da morte. Michael Pollan explora o tema em seu último livro, relatando suas experiências com essas drogas, à moda de Aldous Huxley nos anos 60.
https://daily.jstor.org/the-pscience-of-psychedelics
https://www.npr.org/sections/health-shots/2018/05/15/611225541/


2) Entrevista com Laurence Kahn, psicanalista francês, que lança um livro - "O que os nazistas fizeram à psicanalise". No caso, ele se refere à apropriação indébita que os nazistas fizeram do vocabulário psicanalítico, deteriorando-o e petrificando-o. Tal uso, por sua vez, fazia parte de um plano maior de corrupção da língua alemã, com a distorção das falas dos grandes escritores e pensadores, como Goethe e Nietzsche, tema estudado anteriormente por Vitor Klemperer e Cassirer.
http://next.liberation.fr/livres/2018/05/11/le

 

3) Porque somos viciados em histórias? O autor, um escritor inglês, apoia-se numa explicação evolucionária que reivindica a importância fundamental da literatura enquanto forma de transmitir valores sociais para sucessivas gerações de uma determinada cultura ou sociedade.
http://www.bbc.com/culture/story/20180503-our-fiction-addiction-


4) A criatividade humana seria um desenvolvimento evolucionário e não um fenômeno cultural, dizem dois estudiosos. Acreditam que na Idade do Gelo aqueles com características autisticas foram essenciais para a sobrevivência da espécie, em função de sua capacidade de focar e reter percepções que permitiram o acesso à escassa alimentação. A acuidade realística das pinturas rupestres seriam prova disso.
https://news.artnet.com/art-world/autism-ice-age-artists-1286348


5) Alison Bendel, escreveu dois livros em quadrinhos que obteve extraordinário sucesso de público e crítica norte-americanos, Fun House e Are you my mother?, onde fala de sua família disfuncional, na qual a homossexualidade do pai e dela mesma ocupam importante papel. Nesse texto, a autora, discute com a mãe o segundo livro, centrado nas difíceis relação mãe-filha. Assim como Alison Bendel, a autora é lésbica.
https://comicsverse.com/reading-are-you-my-mother-with-my-mother/

 

6) Felipe Pimentel, psicanalista, faz uma afetuosa homenagem póstuma ao psicanalista gaúcho David Zimerman, em crônica de seu blog.
http://cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte/uma-licao-de-psicanalise-da-serie-notas-selvagens/

 

7) Video do L´Express mostra jovem psicanalista lacaniana "youtuber", que tem 40 mil acompanhantes pagantes e que chega a ter 100 mil seguidores de seus programas.
https://www.lexpress.fr/actualite/societe/emmanuelle-laurent-la

 

8) Persistem as disputas em torno da realização de um congresso da International Association for Relational Psychoanalysis and Psychotherapy (IARPP) em Tel-Aviv, em função de correntes politicas discordantes, que censuram a violação dos direitos humanos de palestinos por parte dos israelenses.
https://www.middleeastmonitor.com/20180521-us-psychoanalytic


9) A Amazon planeja um seriado sobre Freud, a ser dirigido por Todd Haynes.

http://www.cineset.com.br/todd-haynes-assume-serie


10) Artigo explica como discutir a morte com as crianças, sugerindo formas de abordagem e mostrando porque outras devem ser evitadas.
http://www.psy-ed.com/wpblog/discuss-death-with-children/

 

11) O jornal L´Express noticia a nova edição do livro de Lydia Flem, "A vida cotidiana de Freud e seus pacientes", aparecido inicialmente em 1986. O livro foi lançado no Brasil pela L&PM em 1988
https://www.lexpress.fr/culture/psychanalyse-de-freud_2006574.html

 

12) Resenha de Tales Ab`Saber do último livro de Maria Rita Kehl, "O Bovarismo Brasileiro"
https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Arte/


13) DeSales Harrison, psicanalista e escritor, mostra como a regra fundamental da psicanálise - a associação livre - é fundamental também para a criatividade de um escritor.
http://www.writersdigest.com/editor-blogs/


14) O autor sugere como a família deve lidar com a depressão de um dos pais causada pelo desemprego, que, às vezes, coincide com a adolescência tumultuada (que geralmente encobre aspectos depressivos) de um dos filhos.
https://workingnation.com/depression-family-coping-strategies/


15) Melissa Broder, conhecida inglesa atuante nas redes sociais populares na Inglaterra, signatária da conta do Twitter @SoSadToday fala de seus 18 anos de terapia e de porque nunca falou efetivamente a verdade do que sentia para seus terapeutas.
https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2018/may


16) Psicanalista turca publica no International Journal of Psychoanalyisis um extenso artigo sobre a filmografia do jovem cineasta canadense Xavier Dolan, enfocando os aspectos incestuosos presentes em sua obra.
https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/00207578.2017.1399069


17) Artigo aponta para a necessidade de os pais entenderem as atitudes de rebeldia e protesto dos filhos, maneira pela qual eles (os filhos) expressam o desejo de autonomia e discriminação, forjando assim sua própria identidade.

https://www.psychologytoday.com/us/blog/contemporary

 

18) Professor de história e "media studies" e membro do conselho editorial da revista eletrônica "Politico", o autor faz um histórico das tentativas de diagnosticar e analisar os presidentes norte-americanos, apontando para os vieses políticos inevitáveis que distorcem tais empreendimentos.
https://www.politico.com/magazine/story/2018/01/13/


19) Comprovadamente, as fake news se espalham mais rapidamente do que as notícias verdadeiras. A autora, uma psicanalista, mostra como as fake news são regidas pelo princípio do prazer, dando vazão a fantasias eróticas, agressivas e voyeristas em relação a determinadas pessoas, quase sempre celebridades, alimentando fantasias que preenchem vazios que a realidade impõe à vida comum da maioria das pessoas.
https://www.psychologytoday.com/us/blog/psychoanalysis-unplugged


20) Artigo de jornal hindu, no qual, a propósito do aniversário de Freud, o autor reflete sobre três livros: Introducing the Freud Wars, a graphic guide (2002), de Stephen Wilson e Oscar Zarate; The Invisible Century - Einstein, Freud and the search of hidden universes (2004), de Richard Panek e Greatness and Limitations of Freud´s thoughts (1979), de Erich Fromm.
https://www.thequint.com/hotwire-text/adherence-denunciation-and-inspiration

 

21) Wil Wheaton, conhecido ator de cinema e atuante na televisão norte-americana, faz longo depoimento em palestra pública com o revelador título - "Sou Wil Wheaton, vivo em depressão crônica e não tenho vergonha de dizer isso". O texto é uma transcrição dessa palestra.
http://wilwheaton.net/2018/05/my-name-is-wil-wheaton-i-live

 

22) Pequena resenha do livro de Andrea Bachner "The Mark of Theory: Inscriptive Figures, Postestruturalist Prehistories", que mostra como o sentido se introduz na matéria, fazendo com que inscrições (tatuagens e circuncisões, por exemplo) funcionem como metáforas.
http://news.cornell.edu/stories/2018/05/tattoos-circumcision-inscription-metaphor

 

23) Uma estátua em grandes dimensões de Freud, idealizada pelo escultor Oscar Nemon em 1936 e que deveria ter sido colocada em Viena, teve sua fundição impedida pela situação política da época. Nos anos 70, por iniciativa de vários psicanalistas ingleses, como Winnicott, a estátua foi concluída, mas, como não foi possível levá-la para Viena, foi colocada em Hampstead (Londres) nas imediações do Museu Freud. Uma cópia da estátua em bronze foi finalizada há pouco tempo e deverá ser descerrada na faculdade de medicina de Viena, no próximo dia 05 de junho. Embora que tardia, uma mais que justa homenagem a um grande benfeitor da humanidade.
https://www.psychologytoday.com/intl/blog/freud-s-world/201805/sigmund-freuds-quiet-return-vienna


Atualizado em 04/06/2018

 


         
1) Impressionante matéria sobre as "famílias de aluguel" existentes no Japão. Com plena aceitação social, tal prática procura corrigir os problemas que a família possui pela substituição por atores contratados dos membros desaparecidos ou "problemáticos". Desta forma são "resolvidas" situações como o luto ou demais situações conflitivas entre seus membros, fazendo com que ela se apresente aos olhos dos demais como modelo a ser seguido.
https://www.newyorker.com/magazine/2018/04/30/japans-rent-a-
 

2) Pequeno artigo explica a teoria de Bowby e os quatro tipos de apegos descritos por ele - seguro, evitativo, ambivalente e desorganizado.
https://blogs.psychcentral.com/psychotherapy-matters/2018/

 

3) O Freud Museum de Londres organizou uma exposição de artes plásticas intitulada "Solitary Pleasures", que tem como tema a masturbação. Diz o material de divulgação: "Em última instância, essa exibição visa celebrar a masturbação como um "prazer solitário", como o oposto do "vício solitário", como um prazer que é universal e particular, coletivo e individual, e que é mútuo; uma troca compartilhada, um encontro íntimo".
https://www.hippocraticpost.com/events/solitary-pleasures-

 

4) Continua o debate sobre o tratamento do autismo na France, dividido entre partidários da psicanálise e os que defendem a linha cognitivo comportamental.
http://www.slate.fr/story/160621/autisme-psychanalyse-france-probo
https://theconversation.com/frances-autism-problem-and-its-roots
https://www.ouest-france.fr/bretagne/brest-29200/c

 

5) "O bullying não ocorre apenas na escola, ele está presente em toda a sociedade", diz o psicanalista Roosevelt Cassorla, em entrevista a jornal chileno na qual muitos outros temas são também abordados, como o suicídio de adolescentes e as mudanças ocorridas recentemente na sociedade.
http://www.theclinic.cl/2018/04/17/roosevelt-cassorla-

 

6) Professora de Nice escreve biografia de Eva, filha de Oliver e neta de Freud, que morreu naquela cidade em circunstâncias pouco claras, aos 20 anos, em 1944, em plena ocupação alemã.
https://www.nicematin.com/vie-locale/75-ans-apres-elle-

 

7) Trecho de uma matéria sobre Gerard Miller, irmão mais novo de Jacques-Allan Miller, genro de Lacan, parte da "máfia" (segundo os opositores, como diz a matéria) que tomou posse do legado lacaniano.
https://www.lexpress.fr/actualite/societe/gerard-miller-le-

 

8) A indústria do sexo no Japão passa por significativas mudanças. Os homens procuram mais a proximidade e o calor humano do que sexo propriamente dito com as prostitutas. O artigo explica aspectos socioeconômicos ligados ao fato.
https://www.economist.com/news/asia/21740042-agein

 

9) Por que as mulheres não são aceitas no sumô? Os esportes sagrados rejeitam as feministas e quase todo mundo.
https://www.economist.com/news/asia/21740458-

 

10) Estatísticas mostram que estudantes norte-americanos bissexuais e pansexuais são muito mais vulneráveis do que gays e heteros no que diz respeito à habitação, saúde e educação. Em parte, por serem provenientes de classes sociais mais carentes, mas também por não receberem apoio financeiro familiar em função da rejeição maior que sofrem.
https://www.huffingtonpost.com/entry/opinion-greenesmith-

 

11) Normas sociais em mudança, competitividade e tecnologia estão forçando modificações num negócio desagradável, monótono e explorador - os serviços fúnebres.
https://www.economist.com/news/leaders/21740406-
https://www.economist.com/news/international/21740399-


12) Maria Rita Kehl e Christian Dunker falam sobre a onda de ódio que dificulta, se não impede, o avanço do debate político entre facções opostas.
https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/politica/

 

13) Artigo mostra como assassinos em massa se apoiam e idolatram aqueles que praticaram atos semelhantes anteriormente. A autora se refere ao jovem canadense de 25 anos, Alek Minassian, que recentemente jogou sua van contra pedestres em Toronto, matando 10 pessoas e ferindo 14, antes de morrer. Ele fazia parte de grupos da internet que se auto intitulam "incels" - cifra para involuntary celibates (celibatários involuntários) - rapazes que continuam virgens por não conseguirem namoradas e se dizia seguidor de Elliot Rodgers, famigerado autor do assassinato de Isla Vista (California) em 2014, onde matou 6, feriu 14 e se suicidou em seguida. Elliot Rodgers deixou extenso documento (quase 120 páginas) responsabilizando as colegas de faculdade que supostamente o ignoravam e preteriam, motivo de sua "vingança".
https://www.psychologytoday.com/us/blog/shadow-boxing/201804/

 

14) O artigo lista 11 sintomas frequentes em vítimas de abuso sexual - 1) dissociação; 2) comportamento auto-agressivo (mutilações, cortes, etc); 3) medo e ansiedade; 4) pesadelos; 5) uso de drogas; 6) comportamento hipersexualizado; 7) sintomas na linha psicótica; 8) flutuações do humor, raiva e irritabilidade: 9) rompimento de antigas relações de amizade; 10) comportamento regressivo e 11) queixas na linha psicossomática.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis/2


 
Atualizado em 03/05/2018

 


        
1) A Bulgária abre seus arquivos dos tempos totalitários do comunismo e Julia Kriteva, importante pensadora e psicanalista radicada na França, fica exposta como agente secreto da polícia política. Kristeva diz ser fake news ou ação de inimigos para comprometê-la. Como resposta, o governo búlgaro publicou na internet seu comprometedor dossiê na íntegra, mostrando muitos dados incriminadores.
https://www.theguardian.com/world/2018/mar/28/julia-kristeva
https://mobile.nytimes.com/2018/04/01/arts/julia-kristeva-bulgaria
 

2) O jornal argentino La Nación mostra como as questões de gênero têm motivado tensões nas relações entre terapeutas e pacientes, pois os últimos questionam posturas teóricas que julgam estar em desacordo com suas pretensões.

https://www.lanacion.com.ar/2114753-la-perspectiva-de-genero-al-divan-


3) O projeto "Clínica Aberta de Psicanálise", mantido por 11 profissionais, funciona no Centro Cultural Casa do Povo no Bom Retiro (São Paulo - SP) e se propõe a oferecer psicanálise grátis à população carente.
https://catracalivre.com.br/geral/saude-bem-estar/indicacao/clinica-de-psicanalise


4) Artista letão provoca polêmica em instalação performática na qual ocorrem atos que foram considerados como de canibalismo.
https://news.artnet.com/art-world/latvian-artist-cannibalism-controversial


5) Elisabeth Roudinesco faz uma conferência na École Normale Superiére, em 22 de março último, sobre o futuro da Europa, abordando os impasses entre a ressurgência dos nacionalismos e busca de uma transcendência que permita uma unidade possível.
https://www.taurillon.org/l-europe-a-la-recherche-de-son-propre-bonheur

 

6) Em entrevista no jornal francês Le Figaro, psicanalista francesa explica porque o psicanalista não pode posar de guru ou sábio para o paciente, bem como não deve estabelecer uma "empatia" protetora com ele. Deve, sim, tirá-lo da zona de conforto, romper suas negações, o que muitas vezes vai contra o espírito das terapias tranquilizadoras que preconizam o "ser cuidado" e o "bem estar" obrigatório.
http://sante.lefigaro.fr/article/-les-psy-ne-sont-pas-la-pour-chouchouter-les


7) Law and the Unconcious - a psychoanalytic perspective é o premiado livro de Anne C. Dailey, publicado agora pela Yale University Press. Nele, a autora - professora de direito - mostra como somente a psicanálise pode iluminar aspectos até então incompreensíveis de atos criminosos, como as falsas confissões, os movimentos auto-destrutivos, os gestos impensados, etc.
https://www.law.com/ctlawtribune/2018/03/22/uconn-law-professors-


8) O autor mostra como a troca de tweets entre Trump e o presidente da Coréia do Norte
ilustram princípios da "psicanálise moderna" - linha teórica preconizada por Hyman Spotnitz (1908-2008).
https://www.americanthinker.com/articles/2018/03

 

9) O principiante Nicolas Gaudemet e o veterano Phillipe Sollers lançam romances nos quais a psicanálise ocupa lugar de destaque.
https://www.causeur.fr/sollers-nicolas-gaudemet-cercle-150029
http://www.europe1.fr/culture/philippe-sollers-on-est-dans-une-societe

 

10) Uma nova antologia com poetas de língua inglesa celebra a grandeza e importância cultural de Freud.
http://www.berkshireeagle.com/stories/book-review-freud-celebrated-in-new-anthology

11) O psicanalista David Levisky dá uma longa entrevista a respeito da adolescência, enfatizando questões ligadas à violência.
https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Idades-da-Vida/

 

12) A casa da moeda da Áustria lança uma moeda de 50 euros com a efígie de Freud. Anteriormente o estado austríaco já havia feito homenagem semelhante, pois Freud ilustrava as cédulas de 50 schilling.
https://coinweek.com/world-mints/austrian-mint/austria-2017-sigmund-freud-50-euro-proof-gold-coin/

 

13) Os opositores da política de expansão territorial de Israel (e discriminação contra os palestinos) continuam a pressionar contra a escolha de Telaviv como sede do congresso da The International Association of Relational Psychoanalysis and Psychotherapy.
http://mondoweiss.net/2018/03/pressure-psychoanalysts-conference/

 

14) "Alenka Zupancic é membro proeminente da Escola de Psicanálise de Liubliana, fundada nos anos 70 por Slavoj Zizek e outros, que usavam o marxismo, o idealismo alemão e a psicanálise lacaniana visando obter um modo de "ouvir" os fenômenos socioculturais", diz a psicanalista Cassandra B. Seltman nessa longa e complexa entrevista, onde aborda o último livro de Zupancic, o "What IS Sex?".
https://lareviewofbooks.org/article/too-much-of-not-enough-an-interview-with-alenka

15) Nessa época de empoderamento da mulher e a tomada de posição contra o poder machista,
a autora discorre sobre os filmes de Woody Allen, mostrando como é difícil conciliar a admiração pela obra e a repulsa pelas condutas abusivas incestuosas que ele teve com duas filhas adotivas.
https://www.theparisreview.org/blog/2017/11/20/art-monstrous-men/


16) Elogiado romance de Jessie Greengrass está recheado de referências a Freud e à história da psicanálise.
https://www.newstatesman.com/culture/books/2018/03/jes

 
Atualizado em 03/04/2018

 


         
1) Doris Lessing, ganhadora do Nobel de Literatura em 2007, abandonou marido e filhos para escrever. A função materna é incompatível com a criação artística? As mães amam incondicionalmente suas crianças ou alimentam uma ambivalência afetiva em relação a elas, como mostrou Winnicott? Qual o preço da liberdade para uma mulher? De que "liberdade" estamos falando? São esses os temas desse artigo do The Guardian.

https://www.theguardian.com/books/2018/feb/24/


2) "Still talking after all these years" é o saboroso título do artigo do New York Times que joga com múltiplos sentidos ao parafrasear a conhecida música dos anos 70 criada por Paul Simon - "Still crazy after all these years". Nele a autora fala do congresso de psicanálise realizado em Nova York, onde constatou a vitalidade e força da psicanálise, apesar de sua morte ser insistente e frequentemente anunciada nos meios de comunicação e no establishment psiquiátrico.

https://www.nytimes.com/2018/02/17/style/american-


3) A polêmica sobre a suposta doença mental de Trump foi abordada no recente congresso norte-americano de psicanalise ocorrida em Nova York (veja noticia acima), quando foi defendida a atuação pública dos analistas em questões que interessem a sociedade como um todo. Um analista adverte para o perigo de centralizar as críticas em Trump, deixando de lado o contexto político que o elegeu e lhe dá suporte.

https://finance.yahoo.com/news/public-role-psy


4) Carlos Vieira, psicanalista do Rio de Janeiro que mantem um blog na plataforma da revista "Veja" comenta o último livro de Silviano Santiago, "Os últimos dias de Machado de Assis".

https://veja.abril.com.br/blog/noblat/os-ultimos-anos-de-machado-de-assis/


5) Estudo que seguiu crianças até a idade adulta mostra que elas mantiveram basicamente os traços de personalidade, confirmando a hipótese de Freud de que eles se organizam na infância, em função das experiências emocionais com os adultos cuidadores - o complexo de édipo. O autor lembra que há quem pense que tais traços são genéticos e independem do meio.

https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2018

 

6) "Freud´s last session" é uma peça de teatro em cartaz em Los Angeles, baseada no livro "The question of God", de Armand M. Nicholi Jr, encenada por Mark St.Germain. Trata-se de um encontro ficcional entre Freud e o pensador C. S. Lewis. Centrado no embate entre o ateísmo de Freud e a recente reconversão religiosa de Lewis, a instigante conversa dos dois se amplia para as grandes questões existenciais da existência humana.

http://www.british-weekly.com/?p=22495

 

7) Artigo simples, orienta o grande público a como escolher uma psicoterapia.

https://www.pourquoidocteur.fr/Articles/Question-d-actu

 

8) Muito a grosso modo, nós psicanalistas entendemos a queer theory como uma abordagem da sexualidade que atende as reivindicações da comunidade LGBTS. Mas o autor indica que as posições queer transcendem a sexualidade na medida em que questionam qualquer tipo de cristalização identitária. O radicalismo por ela proposto foi visto por alguns como expressão da pulsão de morte, enquanto outros julgam ver aí uma expressão construtiva, vital, de não conformismo.

https://lareviewofbooks.org/article/queer-desires-queer


9) A Karnac Book, livraria e editora inglesa independente criada em 1950, ligada àpublicação de livros de psicanálise muda o local de sua sede em Londres. Um de seus funcionários afirma ter crescido significativamente a venda de livros de psicanálise, indicando um interesse maior do público no assunto. A Karnac tem uma parceria com a Blucher, editora que durante muitos anos se dedicou exclusivamente à produção de livros técnicos e mais recentemente incluiu a psicanálise em seu catálogo.

https://www.thebookseller.com/news/karnac-moves


10) Gideon Rubin, artista plástico judeu radicado na Inglaterra, faz uma exposição no Museu Freud de Londres tendo como tema a propaganda nazista, recuperando sua importância na manipulação das massas naquele momento histórico. É um assunto sempre atual, pois a propaganda e a manipulação são armas nunca abandonadas e permanentemente em uso por aqueles que exercem o poder, mesmo nas democracias ocidentais.

http://www.artlyst.com/reviews/gideon-rubin-explores-

 

11) Vídeo de um programa de debates na televisão francesa abordando dois temas palpitantes, o "Caso Ramadan", no qual prestigiado especialista em temas do Islã foi acusado de atentado sexual, e a questão da Corsa, a "Catalunha francesa". Entre os debatedores, Elisabeth Roudinesco.

https://www.franceculture.fr/emissions/lesprit-public/apres


12) "Cinquenta anos de atraso!" - grita a entrevistada pelo jornal inglês The Guardian, numa matéria sobre os partidários da abordagem cognitivo-comportamental que querem descartar a psicanálise no tratamento de autistas na França. Temos aqui a reportagem original e a sua reprodução na França, num blog do jornal L´Express.

http://blogs.lexpress.fr/the-autist/2018/02/09/

https://www.theguardian.com/world/2018/feb/08/

 
Atualizado em 02/03/2018

 


       
1) Numa época em que a psicanálise é vista como peça de museu, Brian Birnbaum a defende com um depoimento sobre sua própria análise, mostrando a profundidade e a amplitude que lhe são próprias e que marcam sua especificidade em relação às demais terapias. Filho de pais surdos, o autor discorre sobre as dificuldades de comunicação com os pais e a limitação da linguagem de sinais, mas não faz uma ligação desse importante fato com a experiências oposta que teve na análise, a de ser escutado, ouvido tão intensamente por um analista. Ao se expor tanto no texto, Birnbaum explicitamente evoca Good Old Neon, o celebrado conto de David Foster Wallace, no qual um paciente se acusa de ser uma fraude, de enganar a todos, sentimento que se instala na própria análise, o que o faz pensar que manipula o analista e que este, portanto, seria incapaz de ajudá-lo a vencer suas ideias suicidas. O conto de David Foster Wallace é extremamente rico e passível de muitas leituras psicanalíticas.
https://thesmartset.com/a-year-in-psychoanalysis/
 

2) Um artigo oportuno neste tempo de radicalismos políticos. Diz o resumo: "As democracias supõem um conhecimento apropriado da população, mas a atração humana por notícias falsas ou pouco confiáveis constituem um problema sério para o funcionamento democrático saudável. Articulamos por que e como as identificações com partidos políticos - conhecidas como partidarismo ou militância - pode enviesar o processo de informação no cérebro humano (...) alterando a memória, a implícita avaliação e até mesmo o julgamento da percepção. Propomos um modelo da crença baseado na identidade para compreender a influência da militância (partisanship) nesses processos cognitivos. Essa moldura ajuda a explicar porque as pessoas colocam a lealdade partidária acima da prudência e mesmo da verdade. Finalmente, discutimos estratégias para enfrentar o problema".
https://psyarxiv.com/ak642/

 

3) Erik Linstrum, professor assistente de História na Universidade de Virginia, em seu livro "Ruling Minds: Psychology in the British Empire", mostra como funcionários do Império Britânico usaram o saber psicanalítico para investigar a mente de povos colonizados, especialmente na Índia. Ao invés de dar elementos para reforçar o poder imperial como pretendido, os estudos levaram à conclusão de que a mente dos povos colonizados em nada diferençava da dos colonizadores, abalando a ideologia racista que afirmava a superioridade dos últimos.
http://www.firstpost.com/living/what-sigmund-

 

4) Um psicanalista norte-americano escreve sobre o que considera um "trágico mito" - o diagnóstico de déficit de atenção e hiperatividade - que leva a medicalização excessiva de crianças e adolescentes, e ignora os distúrbios da dinâmica familiar que são os verdadeiros motivadores do quadro.
https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2018

 

5) O psicanalista Christian Dunker comenta os efeitos da crise que vivemos no momento sobre a vida psíquica.
https://www.nexojornal.com.br/entrevista/

 

6) A International Association for Relacional Psychoanalysis and Psychotherapy (IARPP) uma nova associação psicanalítica fundada em 2001 e formada basicamente por norte-americanos e israelenses, planeja o próximo congresso em 2019 em Israel, o que tem provocada grandes objeções por aqueles que discordam da política interna daquele pais no que diz respeito aos palestinos. É uma surpreendente manifestação política realizada por psicanalistas, que habitualmente não se posicionam nesse campo.
http://www.tabletmag.com/scroll/253767/what
http://www.chroniquepalestine.com/congres
http://www.desinfos.com/spip.php?article60457
http://www.ism-france.org/analyses/Non-

 

7) Mark Ruffalo, professor de psiquiatria e psicanalista norte-americano, lamenta que os jovens psiquiatras em formação atualmente desconheçam quase completamente a extraordinária importância que a psicanálise exerceu sobre a psiquiatria até tão recentemente como os anos 1970 e retoma as sempre citadas causas de seu declínio - a valorização quase que exclusiva do tratamento medicamentoso, as políticas dos seguros de saúde, as terapias baseadas na consciência, cognitivas e comportamentais.
http://www.psychiatrictimes.com/history-psychiatry/

 

8) Abrão Slavutzky escreve sobre Elza Cayat, a psicanalista que escrevia no Charlie Hebdo e que faleceu no ataque realizado por terroristas islamitas àquela revista de humor.
https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia



9) Estudo rebate crença comum de que apenas os homens olham as mulheres de forma sexualizada ("comem com os olhos"), pois as mulheres fazem exatamente o mesmo. O estudo mostra também que esse olhar sexualizado pode ser dirigido para pessoas do mesmo sexo tanto como manifestação de interesse homossexual e também como forma de avaliar o poder de possíveis competidores e concorrentes a serem vencidos.
https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/

 

10) Elza Godart e Clotilde Leguil, duas jovens e belas psicanalistas francesas, em dois livros recém-lançados defendem a psicanálise contra os ataques atuais, mais notadamente os provenientes das terapias cognitivo-comportamentais e da neurociência.
https://mobile.lesinrocks.com/2018/01/13/idees

 

11) Publicado num site LGBT, essa resenha do livro "L´homosexualité de Freud" de Lionel Le Corre mostra como a posição de Freud sobre a homossexualidade é bem mais nuançada e complexa, distante da homofobia mostrada por não poucos de seus seguidores atuais. Levando em conta a relação de Freud com Fliess, o autor diz que "a cena primária da psicanálise é uma cena homossexual".
http://www.heteroclite.org/2018/01/lhomosexualite-de-freud-lionel-le-corre-48471

 

12) As polêmicas sobre a suposta doença mental de Trump continuam produzindo textos de especialistas, que se posicionam contra e a favor da dissecação pública de sua personalidade nos meios de comunicação.
https://www.politico.com/magazine/story/2018/01/13/trump-mental-health-history-216312
https://www.newsmax.com/richardsbernstein/trump-pesidency-goldwater-rule/2018/01/11/id/836653/
https://hotair.com/headlines/archives/2018/01/stop-armchair-psychoanalysis-trump/
http://www.lejdd.fr/international/usa/donald-trump-psychanalyse-par-michel-schneider-3557621

 

13) Autora do livro The Arabic Freud: Psychoanalysis and Islam in Modern Egipt ("O Freud Árabe: Psicanálise e Islã no Egito Moderno"), Omnia Shakri mostra a presença da psicanálise no Egito desde 1930 e especula sobre seus usos na questão pós-colonial.
https://www.nexojornal.com.br/externo/2018/01/27/

 

14) Extenso artigo onde Olivier Douville, antropólogo e psicanalista da Paris-Diderot, discorre sobre a implantação da psicanálise na China
https://histoireetsociete.wordpress.com/2018/02/03/

 
Atualizado em 07/02/2018

 


      
1) Os analistas são melhores pais, sabem cuidar e educar melhor seus filhos do que a maioria das pessoas? Ou é o contrário? Esse é o tema desse interessante artigo, cuja autora é, ela mesma, filha de analistas.
https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2008/apr


2) Há poucos dias foi noticiada a morte de Judith Miller, filha de Lacan. Esse fato me fez lembrar a morte de outra filha de Lacan, a suicida Sybille, que deixou um pequeno e eloquente texto - "A father, puzzle" - no qual relembra sua vida com o famoso pai e as circunstâncias constrangedoras de seu (dele) enterro, que deu motivo para um processo movido por Judith contra Elisabeth Roudinesco. Ver link abaixo.
https://oglobo.globo.com/cultura/morre-aos-76-anos
https://www.asymptotejournal.com/nonfiction/sibylle

 

3) Artigo curioso - Pesquisas recentes mostram como o Império Britânico tentou usar a teoria psicanalítica para melhor controlar e manipular os povos colonizados, registrando e analisando os relatos de sonhos dos nativos.
https://aeon.co/essays/britains-imperial-dream-catcher

 

4) Importante artigo: o diretor do Departamento de Estudos Psicossociais e Psicanalíticos da Universidade de Essex (UK), Matt ffytche, fala da exclusão das experiências históricas do nazismo e da guerra nas narrativas psicanalíticas do social até meados do século XX, e seu retorno nos anos 1980 e 1990, sob a bandeira do novo interesse no trauma histórico, real.
http://www.histhum.com/?p=470

 

5) Vc já conhecia as plataformas da internet que oferecem atendimento psicoterápico on line? No Brasil já existem várias, como a Lüzz (www.luzz.com.br) e nos Estados Unidos a Talkspace (www.talspace.com) - no momento com 500 mil usuários e 1.500 profissionais em atendimento . Dê uma olhada nos sites e nos links abaixo.
http://projetodraft.com/o-luzz-e-uma-plataform
https://chronicleweek.com/2017/12/talkspace

6) Com a crescente divulgação de assédios e abusos sexuais nos Estados Unidos, os acusados logo dizem estar procurando ajuda profissional para tratar as distorções emocionais ou de personalidade que estariam na base de suas condutas. Mas haveria terapias especificas para tal?
https://mobile.nytimes.com/2017/11/27/health/sexual-harassment


7) A forma como se processa o assédio sexual e a cultura machista fazem com que as vítimas se sintam confusas e inseguras, até mesmo responsáveis por eles.
https://www.psychologytoday.com/blog/psychoanalysis-unplugged/201711/am-i-the-problem-sexual-harassment-can-drive-you-crazy


8) Recentemente no Brasil criou-se uma celeuma em torno de duas exposições de arte, que, segundo seus detratores, estariam fazendo a apologia da pedofilia. Algo semelhante ocorreu esse mês em Nova York
, quando duas jovens mulheres se sentiram melindradas com uma exposição no Metropolitan Museum of Art dedicada a Balthus (1908-2001), conhecido por pintar meninas em poses eróticas. Os três links abaixo abordam aspectos da questão. Ainda no tema "pedofilia", artigo mostra que Mark Twain, tal como Lewis Carroll, tinha um especial interesse por meninas.

https://mobile.nytimes.com/2017/12/08/nyregion/we-n

https://www.splicetoday.com/pop-culture/criticizing-balthu

https://news.artnet.com/art-world/met-museumpainting-1169105

https://www.theparisreview.org/blog/2017/11/28/mr-collecting-young-girls/


9) Nesse pequeno vídeo da BBC, Lisa Appignanesi fala sobre aquele que seria o "primeiro casal moderno" do mundo, Sartre e Beauvoir, que é agora nome de praça em Saint Germain, Paris.

http://www.bbc.com/culture/story/20171211-we


10) A autora, uma psicanalista norte-americana, mostra como a leitura de grandes romances podem ajudar as pessoas a se reconectarem com seus próprios sentimentos, especialmente os de luto.

https://www.psychologytoday.com/blog/psychoanalysis


11) Anúncio do lançamento do último número da revista francesa de psicanálise Mental, intitulado L´inconscient intime et politique,
no qual há uma entrevista com o filósofo Frédéric Worms, que postula: "Se a relação com o dinheiro é, tal como é no mundo, um dos mais claros vetores das forças da pulsão de morte, quais são os meios usados pelas instâncias políticas para os conter?"

https://blogs.mediapart.fr/rene-fiori/blog/081217/ls


12) O artigo mostra que distúrbios de alimentação (anorexia, bulimia) e preocupações com a imagem corporal acontecem também com os homens e muitas vezes passam desapercebidas pelos próprios profissionais.

https://www.psychologytoday.com/blog/psychoanalysis-


13) Estudo mostra que crianças educadas com espancamento podem se transformar em adultos violentos.

http://edition.cnn.com/2017/12/05/health/spanking


14) Haveria possibilidade de agir preventivamente para evitar os assassinatos em massa como os que ocorrem nos Estados Unidos?
É o que o artigo tenta responder.

https://www.theatlantic.com/politics/archive/2015/12/


15) O artigo mostra que as variações de gênero ocorrem ao longo da história e nos mais diversos lugares e culturas do mundo.

https://www.teenvogue.com/story/gender-varianc

 

16) Evidenciando a aproximação da psicanálise com as neurociências, a Fundação Breukvlakken, a Associação Holandesa de Psicanálise, a Associação Holandesa de Psicoterapia Psicanalítica e a Fundação de Psicanálise deram a Antonio Damásio a Medalha Freud. Na mesma linha, a revista Aeon publica um texto consistente - "Pode a neurociência reabilitar Freud para a idade do cérebro?".

https://www.publico.pt/2017/11/23/ciencia/noticia/antonio-damasio

https://aeon.co/essays/can-neuroscience-rehabilitate-freud


17) Vc é um adulto e se ressente por seus pais o tratarem com uma criança, desrespeitando sua autonomia. Já se perguntou porque eles agem assim? Será porque vc se comporta mesmo e ainda como uma criança?

https://www.psychologytoday.com/blog/psychoa


18) Mais uma resenha da biografia de Freud escrita por Frederick Crews. O autor segue na mesma toada, atacando Freud como mentiroso, charlatão, fraudulento, etc. Penso que é interessante ler textos como esse para se aferir o nível de ódio que ainda hoje é despertado pelas ideias de Freud.

http://www.nationalreview.com/article/454745/sigmund

 

19) A hipocrisia social ou a mentira piedosa azeitam a engrenagem social, facilitando o fluir das relações, evitando confrontos com realidades/verdades muitas vezes insuportáveis. Essa afirmação se estende para as relações mais intimas e profundas? É possível mentir para o ser amado? Um psicanalista norte-americano consegue dar uma boa resposta sem cair no mero moralismo.

https://www.psychologytoday.com/blog/psychoanalysis

 

20) O Huffington Post publica um dossiê bem ilustrativo sobre esse ilustre desconhecido de muitos homens - o clitóris.

http://projects.huffingtonpost.com/cliteracy?ncid=tweetlnkushpmg00000067

 

21) Nesse podcast (um áudio) da BBC, uma discussão sobre psicanálise e literatura, da qual participam, entre outros, Adam Philip e Lisa Appignanesi.

http://www.bbc.co.uk/programmes/p00546y5


22) A Associação Psicanalítica Argentina completa 75 anos e o jornal La Prensa entrevista sua presidente, Claudia Borenszstejn.

http://www.laprensa.com.ar/460326-Lo-melancolico-al-psic


23) No jornal Clarin, Abel Feinstein fala do livro lançado recentemente - Debates Cruciables em Psicoanálisis
https://www.clarin.com/revista-enie/ideas/discusiones

 
 
Atualizado em 22/12/2017

 


      
1) Uma proeminente autoridade católica norte-americana e um rabino elogiam a psicanálise nos dois artigos dos links abaixo. Como devemos entender esses textos neste ano em que "O Futuro de uma ilusão" completa 90 anos? Claro que é uma evidência de como mudou a opinião do catolicismo e do judaismo em relação à psicanálise, mas como terá ocorrido essa mudança? Dever-se-ia a uma diluição ou deturpação de conceitos fundamentais da psicanálise? O autor católico cita a psicanalista Ana-Maria Rizzuto, psicanalista argentina, que faz aproximações entre a confissão católica e o processo psicanalítico, uma indiscriminação que rebato num artigo - "Psicanálise, uma anti-confissão" - publicado agora no meu último livro, "Posto de Observação". Tal como recentemente fez o Papa, o rabino, por sua vez, diz o quanto a psicanálise o ajudou na juventude e enfatiza o equívoco da atual busca pela rapidez e imediatividade características de nossos tempos internéticos, que se contrapõe ao ritmo próprio da psicanálise.
http://www.catholicherald.co.uk/issues/november-17th
http://www.greenbaypressgazette.com/story/news/
 

2) As antigas bonecas infláveis vendidas em pornoshops ganharam um extraordinário upgrade. A indústria eletrônica as transformou em robôs eróticos que chegam a custar 60 mil dólares. Elas são capazes de imitar o corpo e o comportamento humano, conversando, reagindo ao toque, fingindo orgasmo, etc. O interessante artigo, escrito por um psicanalista norte-americano, especula o que acontecerá quando tais robôs forem produzidos em larga escala e seu consumo massificado. Quais seriam as possíveis consequências psíquicas e sociais?
https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now/2017

 

3) Definitivamente estamos presenciando uma significativa mudança que diz respeito às abordagens eróticas, ficando cada vez mais claro o que pode e deve ser entendido como abuso sexual: a ausência de consentimento de uma das partes envolvidas, que sofre as investidas da outra, que sempre as faz como um exercício de poder. Ou seja, o abuso sexual, seja qual for seu grau ou intensidade, nunca decorre do erotismo e sim das relações de poder, especialmente entre homem e mulher. Nesses três artigos tomamos ciência de que, tal como nos Estados Unidos, na França o mesmo está na ordem do dia.
https://www.nytimes.com/2017/11/19/world/europe/france-sexual-harassment.html
https://www.psychologytoday.com/blog/psychoanalysis-unplugged/
http://www.huffpostbrasil.com/entry/masturbation-sexual-assault

 

4) A ampla divulgação de abusos sexuais realizados por magnatas de Hollywood tem provocado uma avalanche de mulheres aderindo ao movimento #Me Too, rompendo um longo silêncio em torno desses ataques. Tais acontecimentos, por sua vez, trazem à tona a questão do trauma, remetendo às propostas iniciais de Freud em "Estudos sobre Histeria", o acatar o relato do trauma como algo verídico ou produto de fantasias e, assim, desacreditá-lo.
http://www.slate.com/articles/health_and_science/

 

5) Todo dia milhões de usuários da internet fazem ao Google as mais diversas perguntas sobre fatos da vida e do universo, sejam eles irrelevantes ou significativos. Tais indagações são encaminhadas pelo Google para seletos especialistas. Aqui a psicanalista Anoushka Grose responde de forma clara e simples à pergunta enviada por alguém: "Sou narcisista?". O outro link, dentro do mesmo tema, afirma que o narcisismo é a epidemia que hoje assola a sociedade.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/nov/15/
https://www.delitfrancais.com/2017/11/14/le-narcissisme-epidemie-moderne/

 

6) Nosso colega Daniel Delouya escreve sobre um grave problema atual - as hostes de imigrantes que perambulam mundo afora em busca de um lar - inserindo no texto aspectos testemunhais autobiográficos, referentes a sua vivência dessa condição.
http://www.psychoanalysis.today/es-ES/PT-Articles/

 

7) O casal de psicanalistas gaúchos Diana e Mário Corso, que já havia publicado um livro sobre psicanálise das fadas, lança agora "Adolescência em Cartaz - Filmes e Psicanálise para entendê-la". Enfatizam a importância de os pais lembrarem das dificuldades que tiveram em sua própria adolescência para entenderem a dos filhos, advertindo para que não disputem com eles o protagonismo e respeitem seu lugar na sequência das gerações. Citam vários filmes para ilustrar suas orientações.
https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/noticia/2017/
https://gauchazh.clicrbs.com.br/cultura-e-lazer/livros/

 

8) A revista Israel Magazine lembra Erik Erikson, psicanalista que criou a epigenética - que estabelece oito etapas do ciclo vital humano, cada uma com características e crises psicossociais próprias. Erikson aproximou-se da corrente culturalista, enfatizando a importância das relações socioculturais na adolescência e vida adulta, relativizando o biológico-pulsional e a importância da infância e das figuras paternas.
http://israelmagazine.co.il/erik-erikson-pere-de-theorie

 

9) Um quadro que há anos circulava pelas galerias de arte europeias como cópia de Leonardo ou de algum discípulo, recebeu um atestado que supostamente garante ter sido efetivamente pintado por Leonardo, fazendo com que seu preço atingisse 450 milhões de dólares. O acontecimento, amplamente noticiado, levanta questões importantes sobre a confiabilidade do mercado de arte e a possibilidade de que seja usado para lavar dinheiro por aqueles cuja fortuna tem origem pouco clara.
https://news.artnet.com/market/timeline-salvator-mundi-went-

 

10) Ativistas dos grupos LGBTQ ampliam a luta contra as chamadas "terapias de conversão" (conversion therapy) a que são submetidos para abandonarem seus hábitos sexuais. Apenas em três países - Brasil, Malta e Equador - tais terapias são proibidas oficialmente. Nos demais elas são correntes e usam, segundo os ativistas, "psicanálise, injeções e choques elétricos".
https://www.huffingtonpost.com/entry/global-conversion-

 

11) Os jornais franceses Le Monde, Liberation e L´Humanité trazem pequenas resenhas do último livro Elisabeth Roudinesco, Dictionnaire Amoureux de la Psychanalyse, uma pequena volta ao mundo da psicanálise em 89 entradas.
http://www.liberation.fr/debats/2017/11/16/le-t
https://www.humanite.fr/dictionnaire-une-saga-planetaire-en-89
http://www.lemonde.fr/livres/article/2017/11/02/forum-philo

 

12) Em tribunais de Oklahoma, mulher que havia casado com a própria mãe se declara culpada de incesto. Essa notícia bizarra aponta para não só para a severa patologia desse grupo familiar, mas também para uma inesperada complicação possível em casamentos entre pessoas do mesmo sexo.
http://www.huffpostbrasil.com/entry/misty-spann-patricia-

 

13) Sophie Reilly, uma escocesa de 21 anos, suicidou-se em 2016 e seu irmão publica agora seus escritos, elogiados por escritores e artistas. Um pequeno fragmento do livro está no link, onde ela fala de sua condição, suas alucinações e delírios, rebelando-se contra aqueles que só veem nela esse aspecto, ignorando o todo. Sou uma pessoa, não um diagnóstico - diz ela.
https://www.theguardian.com/healthcare-network/2017/nov/09/deserve

 

14) Neste curto texto de uma revista universitária inglesa (York), o jovem autor fala de como a psicanálise, transcendendo os questionamentos sobre sua capacidade terapêutica curativa, jamais será descartada, pois atende à necessidade do homem de ser ouvido e encontrar interpretações que deem sentido à sua vida.
https://thestray.org/2017/11/13/everything-good-about-psychoanalysis/

 

15) Resenha de Sabine Spielrein - the woman and the mith, biografia escrita por Angela Sells. A resenha é de Phylis Chester, famosa psicóloga feminista norte-americana, autora do best-seller Women and Madness (1972). A seu ver, Spielrein é uma pensadora pioneira e original cujas ideias foram usurpadas por seus poderosos colegas homens (Jung e Freud) e foi vítima de um "memoricídio" praticado por um "patriarcado patológico, do stalinismo, do nazismo e de genocídio".
http://www.tabletmag.com/jewish-arts-and-culture/books/

 
Atualizado em 27/10/2017

 


      
1) Evidência da importante relação entre cinema e psicanálise é o Festival de Filme Psicanalítico Europeu (European Psychoanalytic Film Festival) bianual, atualmente em sua nona edição, coordenado por Andrea Sabbadini - psicanalista italiano radicado em Londres, autor de vários livros, entre eles Moving Images, Psychoanalytic REflections on Film (Routledge, 2014).
https://psychoanalysis.org.uk/civicrm/event/info?id=551&
 

2) "Desequilíbrio químico" (chemical imbalance) como explicação definitiva sobre os transtornos psíquicos, o que exigiria como único e efetivo tratamento as drogas psicotrópicas, é um mito criado pela indústria farmacêutica e planos de seguro para descartar as psicoterapias. Os próprios pacientes gostam dessa explicação, pois ela os exime de enfrentar seus conflitos internos ou externos. É o que explica esse conciso e claro artigo da Psychology Today.
https://www.psychologytoday.com/blog/mental-illness

 

3) A questão trans fica particularmente aguda quando focada em crianças e adolescentes. Os pedidos de fazer a chamada "transição" para o outro sexo devem ser encorajados pelos pais e apoiados pelos médicos? E se eles mudam de ideia? O suplemento cultural da revista The Economist publica uma longa matéria acompanhando uma menina que fez a transição e voltou atrás, entrevistando especialistas de vários países.
https://www.1843magazine.com/features/when-girls-

 

4) As condutas intempestivas e inadequadas de Trump continuam levantando polêmicas nos Estados Unidos, como mostram esses artigos da Newsweek, da The New York Review of Books, da Esquire.
https://www.buzzfeed.com/lissandravilla/politicians-
http://www.newsweek.com/president-trump-unstable-
http://www.nybooks.com/daily/2017/10/12/trumps-war-

 

5) Uma lista com 23 novas publicações psicanalíticas em língua inglesa.
http://freudquotes.blogspot.com.br/2017/07/23-


6) O autor do artigo ressalta porque Freud continua relevante hoje, apesar dos ataques contínuos que questionam a psicanálise enquanto ciência e tratamento.
http://nationalpost.com/entertainment/books/


7) Uma visão lacaniana sobre o filme "Mãe!", de Aronofsky.
https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/imprensa


8) A excelente série Mindhunter, recém lançada no Netflix, é baseada no livro Mind Hunter - Inside the FBI´s Elite Serial Crime Unit, de Mark Olshaken e John Douglas, que relata as experiências deste último e seu colega Robert Ressler nos anos 1970, quando iniciaram o trabalho de entrevistar criminosos violentos para traçar um perfil psicológico dos mesmos, visando organizar protocolos de investigação. Baseando-se em conhecimentos psiquiátricos e psicanalíticos, era então uma proposta inovadora, que enfrentou muita oposição até se firmar. Eles cunharam vários termos hoje correntes, como serial killer.
https://www.bustle.com/p/who-is-bill-tench-from-


9) Uma primeira evidência de que o aplicativo Tinder está transformando a sociedade foi mostrada por estudos realizados nas universidades de Essex e Viena, nos quais fica claro como ele tem incrementado casamentos entre pessoas de cor de pele e estratos sociais diferentes. Lançado em 2012, o Tinder teve mais de 100 milhões de downloads e já proporcionou mais de 20.000 milhões de encontros amorosos.
https://www.elespectador.com/noticias/ciencia/la-primera-

 

10) A Sotheby`s coloca em leilão 49 cartas de Lacan para Pierre Soury e Michel Thomé
http://www.sothebys.com/fr/auctions/ecatalogue/2016/livres-et-manuscrits-pf1713/lot.126.html

 

11) Com grande presença na mídia, através de entrevistas para revistas e televisão, Elisabeth Roudinesco lança seu novo livro Dictionaire Amoureux de la Psychanalyse.
http://www.huffingtonpost.fr/jeannine-hayat/ce-que-la-psychanalyse
https://www.franceculture.fr/emissions/linvite-des-matins
http://www.petit-bulletin.fr/lyon/animations-connaitre-article-59160

 

12) Durante anos, Freud esperou por um prêmio Nobel que nunca lhe foi outorgado, como mostra o pequeno artigo.
http://www.lexpress.fr/actualites/1/actualite/freud-et-le-trauma-du-nobel_1948225.html

13) Os acontecimentos em torno do magnata hollywoodiano Harvey Weinstein
ilustram como as mulheres estão dispostas a não mais tolerar o assédio sexual masculino, rompendo com o silêncio habitual e expondo o ofensor.

http://www.independent.co.uk/voices/harvey-weinstein-sexual-harassment-mental-health-women-suffering-anxiety-a7996511.html

 

14) Há cerca de 80 anos, o escultor Oscar Neman realizou em bronze uma estátua de corpo inteiro de Freud, que deveria ser colocada na Sociedade Psicanalítica de Viena, o que, por vários motivos, nunca aconteceu. Nos anos 1960, Winnicott, então presidente da British Psychoanalytic Association, encomendou uma refundição da mesma e a colocou numa praça em Hampstead, próximo da casa de Freud, hoje seu museu. No próximo ano, em 4 de junho, dia em que Freud fora obrigado pelos nazistas a abandonar a cidade oitenta anos atrás - a estátua será colocada nos jardins da Faculdade de Medicina, tal como uma noite Freud sonhara.
https://blog.oup.com/2017/10/reinterpretation-of-dreams-

 

15) Freud como filósofo, um bom texto de um professor de filosofia norte-americano.
https://opinionator.blogs.nytimes.com/2011/10/09/freud-

 

16) "O crescimento da Psicanálise como uma ciência popular no Oriente Médio no período do pós-guerra no Oriente Médio encoraja outra visão dos conceitos classicos islamitas do self", diz Usman Butt, autor desse texto, resenha do livro de um psicanalista árabe, que fala das especificidades da psicanalise na sua cultura.
https://www.alaraby.co.uk/english/comment/2017/10/10/lie-down

 

17) Psicanalista francês vê indícios de solidão na mania atual de se ficar hiperconectado nas redes sociais e nos smart phones.
http://www.liberation.fr/evenements-libe/2017/10/09

 

18) Atualmente em cartaz em Paris, Mrs. Klein, peça de Nicholas Wright (1988), mostra a complexa e doentia relação entre Melanie Klein, sua filha Melitta e a discípula e analisanda Paula Heimann. Melitta acusa a mãe da morte do irmão, suspeitando que o acidente de montanhismo nos Cárpatos que o abatera teria sido, na verdade, um suicídio. Paula Heimann luta para ocupar o lugar de filha querida.
http://www.webtheatre.fr/Mme-Klein-de-Nicholas-Wright

 

19) Nesses tempos em que a psicanálise é tão atacada, um artigo no qual a autora reafirma sua dimensão terapêutica
https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/oct/09/

 

20) A biografia de Freud escrita por Frederich Crews, conhecido Freud basher (denegridor de Freud) continua provocando resenhas fortemente críticas, denunciando sua parcialidade equivocada, como se vê nesse dois excelentes textos.
https://www.irishtimes.com/culture/books/
http://www.nybooks.com/articles/2017/10/26/freuds-clay-feet/

 

21) "Pornografia é prejudicial - a evidência, os mitos e os desconhecidos" - é o título desse necessário artigo sobre tema que gera constrangimento na maioria, impedindo uma avaliação mais objetiva.
http://www.bbc.com/future/story/20170926-is-porn-harmful


Atualizado em 27/10/2017

 


     
1) Clotilde Leguil, filósofa e psicanalista francesa, em curto ensaio, fala das vicissitudes da psicanálise atual, assediada pelo narcisismo das massas e pelo Outro desencarnado mas voraz das redes sociais.
https://www.worldcrunch.com/opinion-analysis/your-ego
 

2) Importante artigo publicado no JAMA (Journal of the American Medical Association), onde é questionada a afirmação de que a terapia cognitiva comportamental é comprovadamente o "padrão ouro" das terapias, em função de suas supostas qualificações "científicas" que não estariam presentes em outras linhas terapêuticas, como a psicanalítica.
http://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2654783

 

3) "Substituímos Édipo por Narciso", diz Elisabeth Roudinesco, em entrevista na inauguração do Centro Argentino de História da Psicanálise, Psicologia e Psiquiatria da Biblioteca Nacional da Argentina.
https://revistacult.uol.com.br/home/a-psicanalise

 

4) Solange Camauër, filósofa e escritora argentina, fala sobre a necessidade de manter a intimidade, um espaço privado e particular, em meio ao maremoto midiático que nos invade com um incessante aporte de informação.
https://www.clarin.com/revista-enie/ideas/mirar-mundo

 

5) Notícia do último livro de Elisabeth Roudinesco, "Dictionaire Amoureux de la Psychanalyse", a ser lançado agora em outubro próximo.
https://www.babelio.com/livres/Roudinesco-Dictionnaire

 

6) Estão cada vez mais insistentes e explicitas as especulações sobre o equilíbrio mental de Trump e sua capacidade para ocupar o cargo da presidência, como mostram a matéria do "Washinton Post" e o texto da "Salon". Neste último, Lance Dodes, professor de psiquiatria em Harvard e psicanalista de Boston, considera a Lei Goldwater ultrapassada e defende que os psiquiatras e analistas denunciem o que considera sintomas graves de Trump, que o deixam impossibilitado de exercer a presidência norte-americana.
http://www.salon.com/2017/09/12/harvard-
https://www.washingtonpost.com/news

 

7) Psicanalista baiano fala da "alienação parental", configurada pela interferência de cuidadores legais de menores que agem no intuito de prejudicar o estabelecimento ou a manutenção de vínculos entre pais e filhos.
https://www.cartacapital.com.br/sociedade/os-efeitos-perversos

 

8) Três links sobre o recente debate sobre a "cura gay". No primeiro, psicanalistas paulistas relançam alentado texto de sua autoria publicado em 2014, tratando da apropriação da homossexualidade pelo discurso moralizante e médico. Os dois outros links são do jornal "El Pais" e falam da repercussão nas redes sociais da polêmica e fazem uma discriminação entre a inviável "cura" e o suporte/apoio que terapeutas podem e devem dar a todos que sofrem as pressões sociais do preconceito e da exclusão que muitas vezes acompanham essa condição.
https://psicanaliseblog.com.br/2017/03/03
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/19/politica/
https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/21/opinion/

 

9) Presidente da Sociedade Psicanalítica do Recife fala sobre a solidão nos dias de hoje, apesar de estarmos mais conectados (via internet) do que nunca uns com os outros.
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/

 

10) Refletindo as mudanças no comportamento sexual, estatísticas mostram que as mulheres norte-americanas atualmente traem tanto quanto os homens e é delas a iniciativa dos divórcios.
https://blogs.psychcentral.com/psychoanalysis-now

 

11) A biografia de Freud escrita por Frederick Crews é criticada por sua pobreza e parcialidade por Michael Roth, curador da grande exposição "Sigmund Freud: Conflito e Cultura", promovida em 1998 pela Biblioteca do Congresso norte-americano e que foi exibida em várias cidades do mundo, inclusive aqui em São Paulo.
https://www.washingtonpost.com/opinions/

 

12) Pesquisa mostra que 700 mil jovens franceses entre 15 e 30 anos vivem em grande isolamento social.
http://www.lefigaro.fr/actualite-france/2017

 

13) Uma curiosidade: a designer Bella Freud, filha do pintor Lucian e bisneta de Sigmund, lança em Londres uma linha de perfumes intitulada "Psychoanalysis"
http://wwd.com/fashion-news/fashion-scoops/

 

14) Todos os dias as pessoas enviam para o Google perguntas específicas sobre determinados problemas, como esse - porque as pessoas se ferem, se machucam, se cortam? Um experiente psicoterapeuta responde.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/

 

15) Em seu último ensaio, a filósofa e psicanalista Hélène L`Heuillet examina a pulsão de morte presente no radicalismo islamita e na postura populista de esquerda e de direita.
http://www.liberation.fr/debats/2017/08/29/psychanalyse-contre-populisme_1592746

 

16) Os jihadistas (militantes muçulmanos) são loucos? A resposta não é nada simples, como mostram o dossiê preparado pelo jornal francês "Le Point", com entrevistas e depoimentos de psicanalistas, e a matéria da "Slate".
http://www.lepoint.fr/justice/terrorisme
http://www.lepoint.fr/dossiers/societe/djihadistes-sont-ils-fous/
http://m.slate.fr/story/150297/psyc

 

17) O psicanalista francês Gerard Miller, que também é ativo produtor/diretor de televisão, lançou agora seu último documentário, comemorando os 20 anos da morte da Princesa Diana.
http://tvmag.lefigaro.fr/programme-tv/gerard-

 

18) Nesses tempos em que o divã quase vira peça de museu, a autor desse artigo fala um pouco da história dessa mobília e do antigo hábito de reclinar-se, como ocorria nos banquetes e simpósios platônicos, além de rememorar de forma nostálgica seu pai, que fez treinamento psicanalítico, e sua própria experiência no divã como paciente.
https://lareviewofbooks.org/article/the-recline

 

19) Carta de Freud para a mãe de um homossexual tem grande circulação nas redes sociais.
https://oglobo.globo.com/sociedade/c

 

20) Psicanalista alemão atribui o sucesso político de Angela Merkel ao complexo materno que ela suscita nos eleitores.
https://sputniknews.com/analysis/

 

21) "Tudo o que eu gostaria que me tivessem dito antes de começar uma terapia" é o divertido mas correto artigo de Hannah Ewens, jornalista inglesa do "Vice", falando de seus 10 anos de psicoterapia no sistema de saúde pública da Inglaterra.
https://www.vice.com/en_uk/article/8xxyj3/

 

22) O seriado "Gipsy", exibido no Netflix, mostra uma psicoterapeuta (interpretada por Naomi Watts) que se envolve de diversas maneiras com seus pacientes, rompendo com a regra de abstenção necessária para que o tratamento tenha um bom andamento. O artigo mostra de forma clara para o grande público porque o psicoterapeuta não pode exercer as funções de um amigo, o que não significa que ele nada sinta em relação ao paciente.
https://www.psychologytoday.com/blog/

 
Atualizado em 28/09/2017

 


    
1) A polêmica em torno de Trump e da Lei Goldwater continua alimentando artigos em publicações norte-americanas, francesas e holandesas, como pode ser visto nos links abaixo. Enquanto uns insistem que Trump não tem condições de governar, como o grupo "Duty to warn" ("Obrigado a avisar"), organizado pelo psiquiatra John Gartner, que já angariou mais de 60.000 assinaturas e planeja eventos no mês de outubro em várias cidades para colher mais apoio, outros defendem a Lei Goldwater, argumentando que atacar Trump como "doente mental", provoca o aumento do preconceito contra as pessoas que efetivamente se enquadram naquela categoria. Na opinião de um dos articulistas, no frigir dos ovos, é verdade que os profissionais de saúde mental não deveriam sair rotulando figuras públicas com patologias psíquicas como justificativas simplistas para o que fazem, bem como é verdade que os profissionais do campo deveriam ter a liberdade para expressar suas opiniões, usando seus conhecimentos quando solicitados, como o fazem outros especialistas, como economistas e peritos da constituição.
http://www.lexpress.fr/actualite/monde/amerique-
 

2) Duas resenhas da nova biografia de Freud escrita por Frederick Crews, um dos mais antigos e ferrenhos "Freud bashers" (inimigos e caluniadores de Freud), retomando suas críticas e restrições à psicanalise e à pessoa de Sigmund. Noutro links, temos um debate via e-mail de Crews com a psicanalista Susie Orbach, que não se mostra à altura da tarefa, não conseguindo rebater de forma convincente e adequada às provocações recebidas.
https://www.theguardian.com/books/2017/aug/20/feel-about
http://www.sfchronicle.com/books/article/Freud-The-Making
https://www.nytimes.com/2017/08/14/books/review/freud-biographyl


3) Oportuna matéria, publicada no jornal argentino "La Nacion", falando sobre o uso do Skype por psicanalistas e psicoterapeutas.
http://www.lanacion.com.ar/2054597-terapia-por-skype-la-tecnologia

4) No jornal "iIberation", o psicanalista francês Jacques André faz breves considerações sobre as reações desencadeadas pelo atentado em Barcelona. A repetição desses atos geraria uma indiferença na população?

http://www.liberation.fr/debats/2017/08/18/attentat-de-barcelone-


5) Pequena resenha do livro "The Psychoanalysis of Career Choice, Job Performance and Satisfaction", do psicanalista Paul Marcus, publicado em Nova York pela Routledge.
Marcus fala das determinações inconscientes na escolha profissional e da importância de que o trabalho proporcione satisfação, de modo a que nele possamos reencontrar os prazeres que o brincar nos dava na infância.
http://www.smh.com.au/business/workplace-relations

 

6) Um artigo inusitado sobre um assunto tabu: que fazer com pedófilos adolescentes que lutam para não atuarem seus impulsos? De forma honesta e clara, o autor entrevistou longamente um desses jovens, que fala das vicissitudes de seus tratamentos psicoterápicos e de como tem organizado grupos de autoajuda na internet para pessoas que têm problemas semelhantes aos seus. São entrevistados também alguns profissionais, que falam da dificuldade de oferecer tratamento para esse tipo de paciente, na medida em que existe a obrigatoriedade de reportar os casos às autoridades policiais.

https://medium.com/matter/youre-16-youre-a-

 

7) Com o reaparecimento dos supremacistas e racistas nos Estados Unidos, que formam os chamados "hate groups" ("grupos de ódio"), impõe-se a necessidade de compreender tais fenômenos, ao invés de demonizá-los. Sem citar Freud ou a psicanálise, nesse artigo o autor aponta para a psicologia das massas e a dinâmica de grupo como determinantes na atuação desses grupos.
https://www.psychologytoday.com/blog/do-the-right-thing

 

8) O artigo afirmaue o pensamento psicanalítico está vivo e passa muito bem, ao contrário do que é afirmado no que é majoritariamente publicado na grande imprensa. O Autor cita algumas experiências que comprovaram alguns conceitos psicanalíticos, como a negação e o conflito.
https://www.psychologytoday.com/blog/freud-lives/201708/

 

9) Duas boas entrevistas de Juan David Nasio, nas quais fala de sua experiencia clínica, da forma como vê a psicanálise e sua função terapêutica, capaz de ajudar aqueles que sofrem.
https://www.pagina12.com.ar/amp/54067-lo-que-cura-es-la-relacion
http://www.infobae.com/sociedad/2017/08/12/juan-david-nasio

 

10) Em curto artigo para o grande público, uma psicanalista fala dos mecanismos usados para fugir da realidade interna, especialmente ativos nas férias, quando surge a obsessão de viajar. Como se nossos problemas não viajassem junto conosco...

http://www.huffingtonpost.com/entry/mental-health


11) Nesse artigo se fala de como informar as crianças sobre o suicídio de pessoas que lhe são próximas. O autor recomenda o uso da verdade e mostra as complicações quando se tenta poupar a criança dessa dura realidade. Num caso relatado, constatou-se que a criança havia sido avisada pelo próprio suicida de que daria cabo de sua vida e a negação do fato fazia com que a criança se imaginasse sendo a portadora do segredo e que lhe cabia poupar a família de saber a verdade.

http://www.thedailybeast.com/how-to-tell-children-the-truth-about-suicide?source

 

12) O texto mostra que não se pode viver dentro dos pressupostos da propaganda e do consumo, que apresentam a vida como um ininterrupto divertimento. É necessário reconhecer a tristeza, as limitações e os lutos e saber integrá-los.
https://elpais.com/elpais/2015/02/08/laboratorio_de_felicidad/

 

13) O psicanalista Fethi Benslama escreve em seu livro sobre o mal-estar na civilização islâmica. Mostra como a radicalização e a queda no terrorismo estão ligadas a graves problemas de identidade sofridos pelos jovens islamitas imigrantes nos países europeus. A religião lhes dá um senso de pertencimento e identidade, restaura uma ferida narcísica, mas a um custo excessivo - o martírio, o suicídio, o atentado. Medidas complexas de integração cultural e no mercado de trabalho devem ser empreendidas para evitar a propagação do problema.

https://en.qantara.de/content/book-review-fethi-benslamas

 

14) A condenação por estupro dada a Gurmeet Ram Rahim Singh, milionário guru indiano, provoca agitação nas multidões que o seguem. Ele tem 50 milhões de fiéis espalhados no mundo. Chamado de "Bling Guru", descobriu-se recentemente que em 2000 induziu 400 homens a cortarem os próprios testículos para se aproximarem de deus.
https://amp.ibtimes.co.uk/india-400-men-cut-off-their-

 

15) Tendo em conta a modificação dos hábitos e da moral e a proximidade social entre os dois sexos, o psicanalista francês Rodolphe Oppenheimer fala sobre uma questão eterna - é possível a amizade entre um homem e uma mulher?
http://www.francesoir.fr/lifestyle-vie-quotidienne/amitie-homme


 Atualizado em 30/08/2017

 


   
1) Nos Estados Unidos, continua o debate sobre a questão ética envolvida no fato de profissionais de saúde mental (psiquiatras, psicanalistas) opinarem sobre o estado psíquico do Presidente Trump. Em 1964, na campanha eleitoral onde Lyndon Johnson e Barry Goldwater concorriam à presidência, cerca de 1.200 psiquiatras assinaram um documento declarando que Goldwater não tinha condições emocionais de exercer a presidência. Goldwater processou a revista que havia publicado o texto e ganhou a causa, que gerou uma lei, batizada com seu nome, estabelecendo que nenhum profissional pode dar diagnósticos sem ter examinado pessoalmente o diagnosticado. A American Psychiatric Association (APA) incorporou a Lei Goldwater em seu código ético e a tem seguido à risca. Isso tem trazido muitos problemas, pois as condutas cada vez mais extravagantes e bizarras de Trump são amplamente comentadas por todos mas justamente aqueles que mais teriam a dizer, e de quem a sociedade esperaria alguma orientação (psiquiatras e psicanalistas), se sentem impedidos de fazê-lo para não ferir o código ético e a lei Goldwater. Reacendendo a polêmica, esta semana a American Psychoanalytic Association (também conhecida como APA, o que favorece a confusão para o público leigo) enviou um e-mail para seus 3.500 associados, lembrando que seu código ético não é o mesmo da associação psiquiátrica, ou seja, não proíbe seus membros de se posicionarem sobre as condutas de Trump. Diz Prudence Gourguechon, psicanalista e psiquiatra, membro das duas associações: "Não aconselhamos nossos membros a desafiar a Lei Goldwater. (...) Penso que nós, psicanalistas, temos um conhecimento imenso e único sobre o comportamento humano. Basicamente acreditamos na liberdade de expressão de nossos membros e não queremos proibi-los de exercê-la, falando em público. Vemos o estado mental de Trump sendo discutido (por todos) e não pensamos que seja necessário ou correto sonegar nossa competência (no assunto)". Sob vários aspectos, é interessante a colocação da associação psicanalítica americana, como o rompimento de um automático alinhamento com a política psiquiátrica além de convidar os psicanalistas a deixarem a torre de marfim dos consultórios e participarem dos grandes debates públicos que envolvem a sociedade. As questões éticas sobre a análise de personalidades públicas e celebridades devem ser revisadas, na medida em que hoje em dia essas pessoas deliberadamente confundem o público e o privado, expondo-se nas diversas mídias de forma mais explicita, esvaziando os conceitos de confidencialidade e privacidade.

http://www.apsa.org/sites/default/files
http://www.gq.com/story/trump-goldwater-rule
http://www.apsa.org/content/american-psychoanalytic-
https://www.theatlantic.com/health/archive/2017/07/a-crack
http://www.latimes.com/opinion/op-ed/la-oe-gourguechon

 

2) A propósito do congresso internacional da IPA, que se inicia no dia 27/07 em Buenos Aires, o jornal "Clarín" entrevista Virginia Ungar, psicanalista argentina, primeira mulher a tomar posse da presidência da instituição criada por Freud. Cristina Ungar fala sobre os desafios da psicanálise nos tempos atuais.
https://www.clarin.com/revista-enie/ideas/argentina-frente

 

3) Uma entrevista com a psicanalista Carol Ganzer, de Chicago, onde ela responde 10 perguntas sobre psicanálise e psicoterapia psicanalítica.
https://blogs.psychcentral.com/practical-psychoanalysis

 

4) "Socorro, meu antidepressivo não está funcionando mais" e " O que aprendi com meus anos no divã" são mais dois artigos para o grande público que refutam o tratamento exclusivamente medicamentoso e enfatizam a importância da psicoterapia de base psicanalítica nos transtornos emocionais.
https://www.psychologytoday.com/blog/psychoanalysis
http://theweek.com/articles/599228/what-ive-learned

5) Nesse vídeo, psicanalistas franceses discutem as questões de gênero e dizem que "a teoria psicanalítica não é politicamente correta; ela insiste na diferença entre homens e mulheres".
http://www.agoravox.tv/tribune-libre/article/les-
https://www.google.com/url?rct=j&sa=t&url=

 

6) Nausicaa Renner, jornalista norte-americana, relata seu inesperado desmaio numa estação de metrô. Ao pesquisar sobre o fenômeno, se depara com os relatos dos dois desmaios de Freud na presença de Jung. O primeiro em 1909, em Bremen, nas vésperas da viagem que ambos fariam para os Estados Unidos e o outro, em 1912, após a leitura em grupo de um trabalho de Abraham sobre Akenaton, o faraó que se rebelou contra a religião do pai e criou a própria, o monoteísmo. Ambos os episódios foram autoanalisados por Freud no contexto dos desejos de morte do filho em relação ao pai, reflexos de sua relação conflituosa com Jung.
https://www.theparisreview.org/blog/2017/07/10/freud-fainting

 

7) "Dicas para aqueles que têm entes queridos em depressão" é o título do artigo. A autora é uma moça na casa dos vinte, que sofre de depressão desde a infância e que dá indicações de como devem agir aqueles que convivem com alguém com esse tipo de transtorno.
http://www.huffingtonpost.com/entry/tips-for-people-whose-loved-

 

8) Leis que favorecem ou constrangem as reivindicações do movimento LGBTS (as "guerras dos banheiros", que permitem pessoas trans escolherem banheiros masculinos ou femininos; a adoção de crianças por casais gays; aceitação ou não de gays em aulas de religião, etc) provocam disputas e desentendimentos entre vários estados norte-americanos.
https://www.economist.com/news/united-states/21724862

 

9) No Canadá, pela primeira vez e por insistência dos pais trans, uma criança é registrada nos serviços previdenciários sem a informação convencional sobre o sexo. Ao invés da habitual opção binária de "masculino" ou "feminino", foi colocada a letra "u", indicadora de "unknown" (desconhecido). Militantes dos movimentos LGBTS daquele país há tempos reivindicavam tal medida.
https://www.theguardian.com/commentisfree/2017/jul/06/

 

10) Ensaio no qual o autor mostra a efervescência cultural e artística vigente em Viena na época de Freud, da qual o pai da psicanálise manteve-se sempre afastado.
https://discursividadanalitica.wordpress.com/freud-y-

 

11) Em depoimento voluntário, um sobrevivente de abuso sexual na infância escreve suas experiencias para o jornal inglês "The Telegraph".
http://www.telegraph.co.uk/men/thinking-man/male-

 

12) O jornal "La Nación" entrevista Julia Kristeva, que fará palestras sobre a adolescência e a contemporaneidade em Buenos Aires.
http://www.lanacion.com.ar/1420668-julia-kristeva-el-joven-

 

13) Recentemente na França foi estendido o direito à inseminação artificial pela previdência a casais homossexuais femininos e mulheres solteiras. Tal fato fez o jornal católico "La croix" lembrar que um grande número de crianças nascidas por esse processo ficaria para sempre impossibilitado de conhecer o pai biológico, o que poderia seria para elas um problema psíquico grave, desde que, naquele país, o doador de sêmen deve permanecer anônimo. A situação pode ser modificada, pois grupos tentam reverter aquela disposição legal, alegando ser um direito da criança conhecer o nome do pai. Uma psicanalista contra-argumenta, alegando que "para a psicanálise, o essencial é que se instale o complexo de édipo, quer dizer, a triangulação da função paterna ao termo de uma dinâmica estruturante marcada por um deslocamento dos investimentos afetivos sobre uma outra personagem que não a mãe. Mas nada é dito que essa função deve ser necessariamente assumida por um homem".
http://www.liberation.fr/debats/2017/07/05/pma-pas-de-

 

14) "Freud´s trip to Orvieto" é um romance recém-lançado de Nicholas Fox Weber, ficcionalizando o famoso episódio de esquecimento de nomes próprios, narrado por Freud no primeiro capítulo de sua "Psicopatologia da vida cotidiana". Ao tentar relatar para um amigo a forte impressão que lhe provocara os afrescos de autoria de um pintor italiano na catedral de Orvieto, o narrador se confunde com três nomes - Signorelli, Botticelli, Boltraffio - derivando daí importantes conclusões sobre o funcionamento do inconsciente e do papel fundamental que nele joga a linguagem.
http://www.winnipegfreepress.com/arts-and-life/

 

15) Já está circulando "Gipsy", um novo seriado no Netflix centrado na vida e na clínica de uma psicoterapeuta. Assim como "Os Sopranos" e "In Treatment", tais séries fazem uma maciça divulgação da importância da psicoterapia (quase todas tributárias da psicanálise, desde que mencionam sempre o inconsciente, a sexualidade, a importância da vida infantil, dos relacionamentos familiares etc), embora muitas vezes distorçam aspectos da prática, mostrando determinadas condutas do terapeuta como habituais e corriqueiras quando, de fato, são erros grosseiros e inaceitáveis. Por exemplo, em "Gipsy", a terapeuta passa a ter um interesse mórbido pela namorada de um paciente, a partir dos relatos que ele lhe faz a respeito dela.
https://www.bustle.com/p/what-kind
https://www.theguardian.com/tv

 

16) Pequeno artigo de Clarin, dando informações sobre os primeiros tempos da psicanálise em Buenos Aires, com bela foto dos primeiros participantes da instituição.
https://www.clarin.com/revista-enie/ideas/

 

17) A revista argentina Psicologia y Mente lista 14 filmes nos quais o transtorno bipolar tem papel importante
https://psicologiaymente.net/cultura/pelicula


 Atualizado em 27/07/2017

 


  
1) Excelente artigo apoiado no livro "Cold War Freud", de Dagmar Herzog, recentemente lançado (dezembro de 2016). O autor segue de perto a análise feita por Herzog do percurso traçado pela psicanálise a partir do final da Segunda Guerra Mundial, lembrando que o Presidente da IPA, no primeiro congresso realizado no pós-guerra, em 1949, conclamou seus colegas a focarem seu trabalho nas "forças primitivas da mente", deixando de lado a "influência dos fatores sociológicos", como a economia, a política, e mesmo a potencial influencia social na sexualidade. A autora mostra como nos Estados Unidos a psicanálise teria sofrido uma "cristianização" (como oposta ao antigo temor de ser excessivamente judaica), pois enquanto o Rabino Joshua Liebman afirmava que psiquiatria e religião não eram incompatível e Freud até mesmo tinha um propósito espiritual, o poderoso Cardeal Fulton J. Sheen atacava a psicanálise como disseminadora do "materialismo, do hedonismo, do infantilismo e do erotismo". Por um lado, a negação dos fatores da realidade externa (politica, economia) no suceder psíquico, por outro um puritanismo que negava a verdadeira dimensão da sexualidade. Esses e vários outros fatores tiveram consequências funestas para a psicanálise, desalojando-a do lugar de proeminência que ocupava então nos Estados Unidos. Panorama completamente diferente ocorreu em outros lugares, como Europa e América Latina, onde a psicanálise manteve-se viva e atuante, desenvolvendo-se teoricamente.
https://newrepublic.com/article/143027/fortunes-freud
 

2) Resenha de "In Writing", último livro do prolífico psicanalista e escritor inglês, Adam Phillips. Diz Tim Adams, o autor do texto: "Todo grande escritor emprega, conscientemente ou não, os hábitos associativos característicos do divã do analista e compreende que, de certa maneira, o movimento progressivo de um fragmento de escrita é uma espécie de viagem de autodescoberta, uma observação do funcionamento de sua própria mente, mas poucos possuem a apreciação fascinada desses impulsos como Phillips".
https://www.theguardian.com/books/2017/jun/05/in-writing-by-adam-phillips

 

3) Os pais de primeira viagem (e mesmo os já veteranos) estão sujeitos a fantasias que os deixam assustados, envergonhados, temerosos, culpados. Eles se isolam e sofrem em silêncio, ignorando o quão frequente tais fantasias são. Num estudo recente a respeito de pensamentos obsessivos entre pais em situação de pós-parto, 45% deles relataram fantasias intrusivas sobre sufocação e morte súbita infantil; 25% sobre agressão propositada e 4% centradas em contatos sexuais. É importante reconhecer essa condição e acolhê-la terapeuticamente.
http://www.inpsyncpsychology.com.au/parenting/hey-new-dads-scary-thoughts-common/

 

4) A reportagem do jornal New York Times mostra texto e vídeos com o depoimento de dois psicólogos funcionários da CIA que monitoravam práticas de tortura contra prisioneiros, contrapondo-os com as declarações dos torturados, em julgamento em está ocorrendo agora nos Estados Unidos.
https://www.nytimes.com/interactive/2017/06/20/us/cia-torture.html

 

5) Como realizar nossos sonhos e atingir nossos objetivos sem boicotá-los preventivamente em função do medo de enlouquecer ao consegui-lo? Segundo o autor, essa é a pergunta mais difícil da psicanálise.
http://cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte/a-pergunta-mais-dificil-da-psicanalise/

 

6) Neste link, a gravação de uma fala de Jacques Lacan, antecedida por comentários de Jacques Alain Miller.
https://www.franceculture.fr/emissions/les-nuits-de-france-culture/jacques

 

7) Luis Fernando Verissimo comenta um texto sobre um dos livros do norte-americano Frederick Crews, conhecido "Freud-basher" (ferrenho opositor de Freud), autor de várias obras de virulento ataque à psicanálise.
https://oglobo.globo.com/opiniao/anti-freud-21514429

 

8) A Wikipedia em língua francesa está abrindo um portal dedicado à psicanalise.
https://fr.wikipedia.org/wiki/Portail:Psychanalyse/Index_th%C3%A9matique
https://fr.wikipedia.org/wiki/Portail:Psychanalyse/Pr%C3%A9sentation


9) Abordando o uso de cocaína feito por Freud numa determinada época de sua vida,
o artigo reflete a forma desrespeitosa e inconsequente com a qual sua figura e a psicanálise são retratadas em grande parte da imprensa norte-americana.
https://www.vice.com/en_us/article/payngv/a-brief-history-of-freuds


10) O filme "A Lula e a Baleia" (2005) de Noah Baumbach serve como disparador de um debate sobre guarda compartilhada e alienação parental, realizada pela Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro.
http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2017/06/22/psicanalise

 

11) Mais uma publicação francesa sobre as questões de gênero, desta vez uma coletânea de artigos coordenada por Jacques André
http://next.liberation.fr/livres/2017/06/21/la-sexualite

 

12) A difícil condição das pessoas "trans" no Brasil, onde sua expectativa de vida não passa de 35 anos. Entre outros profissionais, dois psicanalistas comentam a situação.
http://www.huffpostbrasil.com/2017/06/20/35-anos-e-a-expectativa

 

13) A propósito do lançamento na França do filme alemão "Lou Andreas-Salomé" de Cordula Kablitz-Post (veja o vídeo com o trailer), o autor do artigo relembra a vida rica e produtiva desta mulher que inspirou Rilke, Nietzsche e Freud.
http://theconversation.com/lou-andreas-salome-ou-le-desir-detre-tout-79694

 

14) Um artigo simples e objetivo, mostrando de forma clara as diferenças entre psicoterapia e psicanálise, uma questão muitas vezes trazida por pacientes ao procurarem um tratamento.
https://www.psychologytoday.com/blog/headshrinkers-guide-the-galaxy/

 

15) Jacques van Rillaer, co-autor do famoso "Livro Negro da Psicanálise", continua escrevendo com regularidade na plataforma francesa Mediapart extensas e minuciosas críticas à psicanálise, como essas, sobre nossa prática clinica. Acho interessante que nós, analistas, tenhamos conhecimento delas, para melhor combate-las.
https://blogs.mediapart.fr/jacques-van-rillaer/blog/110617

 

16) Notícia do lançamento do livro "Estilos do cuidado: a psicanálise e o traumático", de Daniel Kupermann.
http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/professor-

 

17) "Política e perversão" é o tema muito atual desse texto.
http://cultura.estadao.com.br/blogs/estado-da-arte

 Atualizado em 28/06/2017

 


 
1) Os cinco links abaixo abordam uma questão muito atual. Devem os líderes políticos ser diagnosticados ou analisados publicamente, como tem ocorrido com Trump, Kim Jong-Un (Coréia do Norte) e Macron? A psiquiatria e a psicanálise têm ou não o dever ético de se fazerem ouvir quando fica questionada a saúde mental de mandatários que ocupam os mais altos postos de poder? Recentemente, nos Estados Unidos, 41 mil trabalhadores da saúde mental assinaram um documento solicitando a deposição de Trump. É uma questão ampla e complexa. Dos artigos listados abaixo, o de Flora Lazar (Huffington Post) é mais teórico e abrangente, na medida em que mostra a importância do pensamento psicanalítico na compreensão da política e lamenta sua ausência nos debates de hoje, o que contraria uma forte prática da psicanálise europeia dos anos 20 e 30. O artigo do Agoravox ("Macron psychopathe?") além do texto mostra um vídeo com mais de um milhão de expectadores no YouTube, no qual um psiquiatra italiano "de direita" garante o diagnóstico de psicopatia para Macron, alegando ter sido ele objeto de um "abuso pedofílico" pela professora 25 anos mais velha que o seduziu e com quem se casou e se mantem casado até o presente, fato que entende como incestuoso e que teria favorecido sua onipotência e suposta homossexualidade. O autor do texto conta o mito grego de Periandre, seduzido pela própria mãe, que era um rei sábio e bom até descobrir o incesto que cometia sem saber, quando se transforma num tirano sanguinário. Seria esse o destino de Macron?


2) A grande ambivalência existente nos Estados Unidos frente a Freud aparece no título do artigo - "porque Freud ainda importa, apesar de estar errado em relação a quase tudo?"
http://www.learnliberty.org/blog/why-freud-still-matters-even-though-

 

3) Mais documentos e desdobramentos da questão do tratamento de crianças autistas na França, onde as práticas psicanalíticas são fortemente contestadas.
https://blogs.mediapart.fr/pierre-laroche/blog/070517/l

 

4) "Três ensaios sobre a teoria da sexualidade", de Freud, acaba de receber nova tradução na Inglaterra. Aqueles que escrevem a introdução do livro e assinam esse artigo listando 10 livros importantes que muito devem à psicanálise, afirmam que em "Três Ensaios" Freud mostra uma surpreendente proximidade com as teorias queer, das quais se afasta em seguida, ao introduzir a "normatização" via complexo de Édipo.
https://www.theguardian.com/books/2017/may/10/top-10-books-about

 

5) Publicação dirigida ao mundo jurídico, o autor discorre sobre a necessidade de diálogos entre direito e psicanálise, necessários à polícia judiciária.
http://www.conjur.com.br/2017-mai-09/academia-policia-dialogos

 

6) O jornal Folha de São Paulo e a Sociedade Brasileira de Psicanalise de São Paulo promovem o debate do filme "Elle", de Paul Verhoeven
http://www.aquinoticias.com/variedades/2017/05/folha-e-sociedade-brasileira

 

7) Em publicação portuguesa, psicanalista explica por que se diz que as mães são as culpadas por tudo.
https://www.noticiasaominuto.com/pais/788436/psicanalise-as-maes

 

8) Nas comemorações dos 161 anos de Freud, a IBTimes publicou algumas citações mais populares de Freud
http://www.ibtimes.com/sigmund-freud-quotes-famous-


9) Notícia do lançamento de "A cura pelo espírito", de Stefan Zweig (Zahar, 2017), no qual o autor traça o perfil de Mesmer, Freud e Mary Baker Eddy, a fundadora da Ciência Cristã
http://www2.uol.com.br/vivermente/noticias/freud_mary_baker_e_franz

 

10) Em 4 postcasts, a Radio France apresenta extensas entrevistas intituladas "O Islã no divã", mostrando as especificidades da prática psicanalítica no mundo muçulmano decorrentes das diferenças culturais.
http://www.telerama.fr/radio/france-culture-allonge-l-islam-sur-le-divan

 

11) Heitor O´Dwyer de Macedo, psicanalista brasileiro radicado na França, publica no Mediapart a terceira parte de sua resenha do livro sobre a Revolução Francesa, da historiadora Sophie Wahnich, onde ela rebate a visão revisionista de François Furet, que a vê como um "mito".
https://blogs.mediapart.fr/heitor-odwyer-de-macedo/blog/240517/

 

12) Uma peça sobre Bion está sendo encenada na India. Baseada em um roteiro que seria filmado trinta anos atrás, em projeto idealizado por um psicanalista indu, a peça conta com o ator inglês Tom Alter, que interpreta tanto Bon como seu pai.
http://www.livemint.com/Leisure/0f7eU01DTtjEs2vmr53tuJ/Tom-Alter-


 Atualizado em 30/05/2017

 


 
1) O presidente da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, Bernardo Tanis, dá entrevista ao jornal "O Estado de São Paulo", onde aborda os desafios da psicanálise no mundo contemporâneo.
phttp://cultura.estadao.com.br/blogs/direto-da-fonte/diferente/
 

2) Christiane Alberti, psicanalista lacaniana de origem italiana diz porque se engajou na política, lutando contra Marine Le Pen e seus projetos de extrema direita, relembrando sua condição de criança imigrante e vítima de preconceitos
http://laregledujeu.org/2017/04/21/31203/

 

3) A ruptura libertária intrínseca às ideias de Freud se equipara à visão anarquista da sociedade e do homem? O autor, militante anarquista e simpatizante da psicanálise, tenta responder afirmativamente à questão, mas não articula os pressupostos da anarquia com os imprescindíveis aspectos da Lei, defendidos pela psicanálise.
http://www.socialisme-libertaire.fr/2017

 

4) Os príncipes ingleses, William e Harry, se engajam numa campanha contra o preconceito em torno da doença mental, falando sobre o trauma sofrido com a morte de sua mãe, Diana, e do acompanhamento psicológico que fizeram na ocasião.
http://www.independent.co.uk/voices/prince-harry-

 

5) Virgínia Bicudo, a primeira negra a se formar como psicanalista no Brasil, teve um trajeto duro e difícil, enfrentando preconceitos mais ou menos explícitos. Esse artigo procura divulgar dados de sua vida e seu legado, pouco conhecidos no Brasil.
http://m.huffpostbrasil.com/2017/04/16/

 

6) Paulo Endo comenta a posição da Rede Globo frente ao abuso sexual e a violência contra a mulher perpetrados pelo ator José Mayer e pelo BBB Marcos Chaves. Contextualiza esses acontecimentos dentro do poder midiático exercido pelo conglomerado da família Marinho.
http://jornalggn.com.br/noticia/a-rede-

 

7) Foi lançado recentemente na França o livro "Mon analyse avec Prof. Freud", editado por Anna Koellreuter, trazendo as anotações que sua avó, a psiquiatra Anna Guggenbühl, fizera de sua curta analise com Freud, que a aceitou como paciente a pedido de Oscar Pfister. Sua neta recolheu esse registro e o publicou juntamente com os comentários de dez analistas. O inimigo de Freud e da psicanalise Jacques van Rillaer, um dos co-autores do "Livre Noir", faz uma resenha do livro, na qual mais uma vez ataca as interpretações e a postura terapêutica de Freud.
https://blogs.mediapart.fr/jacques-van-rillaer

 

8) O papel da verdade na cura psicanalítica é o tema desse curto artigo que traz o depoimento de alguns profissionais norte-americanos.
https://qz.com/689673/psychoanalysts

 

9) Uma leitura dos filmes "Ninfomaniaca I e II", de Lars von Trier, em cuja narrativa o autor julga ver o desenrolar de um processo de psicanálise. Numa interpretação discutível, entende as impactantes cenas finais como uma representação de como o analisando se desprende do analista, por não mais precisar dele.
http://www.aprovincia.com.br/secos-e-molhados


10) Loren Conner é uma artista gráfica que sempre sofreu de ansiedade e ataques de pânico, especialmente em viagens. Nesse texto, ela faz saborosas ilustrações para as entrevistas que realizou com vários viajantes que sofrem do mesmo mal.
http://www.bbc.com/news/disability-39489898

 

11) Pequeno vídeo legendado (cerca de 8 minutos), produzido pelo Museu Freud de Londres, no qual analistas ingleses falam de forma clara sobre a psicanálise, essa prática tão weird (esquisita), explicando sua teoria e contrapondo-a ao cognitivismo. Entre os analistas que dão depoimento, está o excelente Darian Leader.
https://www.youtube.com/watch?

 

12) Qual filme de Disney marcou seu inconsciente? Diga-me seu Disney favorito e dir-te-ei quem és. O jornal parisiense Le Point faz um caderno especial sobre Disney e convida o psicanalista Chistophe Bormans para interpretar os filmes, na trilha aberta por Bruno Bettelheim.
http://www.lepoint.fr/pop-culture/lifestyle

 

13) Contardo Caligaris fala sobre a terceira temporada de seu seriado para a HBO Brasil. Nela, o personagem Carlo Antonini, um terapeuta, se depara com importantes questões, como o direito de morrer, a descoberta do ódio por parte de um religioso, as crises de identidade que levam à decisão de lutar pelo Islã.
http://www.huffpostbrasil.com/2017/04/09/

 

14) A psicanálise de hoje foca não apenas os conflitos internos, mas reconhece a dimensão traumática e patógena dos problemas de injustiça social, como a opressão, a marginalização e o abuso de poder. Especialistas encorajam a abordagem dos problemas sociais através da visão psicanalítica.
http://dailyfreepress.com/2017/04/06/

 

15) A crise européia, que na França toma a feição da ascensão de Marine Le Pen, tem mobilizado os psicanalistas daquele país em defesa dos valores democráticos contra o populismo alienante.
https://www.pipol8.eu/2017/04/04/

 

16) Entrevista com a atriz Robin Weigert que faz o papel de Dra. Amanda Reisman, terapeuta de Celeste, personagem de Nicole Kidman, na muito bem sucedida serie Big Little Lies. Para compor seu personagem, a atriz diz ter-se inspirado em sua própria terapeuta, bem como no pai e na avó paterna, que eram psicanalistas.
http://www.out.com/television/2017/3/31/


Atualizado em 27/04/2017

 


 
1) Nesses tempos em que a maior crítica à psicanalise é sua suposta "não cientificidade", é reconfortante ler este artigo publicado no blog da prestigiosa revista cientifica "Scientific American", explicando porque Freud ainda não morreu.
https://blogs.scientificamerican.com
 

2) Como sobreviver a uma família disfuncional? Tarefa difícil mas não impossível, como diz o psicanalista Gerald Schoenewolf nesse artigo que segue de perto a visão de R.D. Laing, mostrando a loucura familiar instituída por pais muito perturbados, que impõem aos filhos papeis imutáveis, entre eles o do bode expiatório.
https://blogs.psychcentral.com

 

3) Jacques van Rillaer, um dos autores do "Livre Noir" contra a psicanálise, volta à carga no ataque a Freud e Elisabeth Roudinesco, comentando o livro "La Liste de Freud". O livro do escritor macedônico Goce Smilevski ficcionaliza um episódio real da vida de Freud - o fato de não ter levado consigo suas irmãs quando obteve o salvo-conduto para fugir de Viena e se estabelecer em Londres, o que condicionou a prisão e morte delas nos fornos crematórios nazistas, cinco anos depois.
https://blogs.mediapart.fr

 

4) Um pequeno vídeo de 8 minutos realizado em 2013, no qual Otto Kernberg explica o conceito de personalidade borderline.
https://twitter.com

 

5) Os psicanalistas franceses tomam posição contra Marine Le Pen no pleito presidencial que ocorrerá entre 23 de abril e 7 de maio próximos. Acham que a democracia está ameaçada e que urge salvar o estado de direito da onda de populismo direitista que se desenvolve no mundo ocidental. Assinado por 32 psicanalistas e colocado na internet, em dois dias o documento recolheu mais de 7 mil assinaturas de apoio.
http://www.lemonde.fr
http://laregledujeu.org

 

6) Uma longa reportagem escrita por Robert Whitaker, militante autor de livros e artigos contra os abusos da indústria farmacêutica, sobre a polêmica experiência recentemente implantada pelo estado norueguês, facultando aos pacientes psicóticos ou portadores de quadros igualmente graves o direito de recusar tratamento medicamentoso. Quebra-se assim um importante paradigma, pois partia-se do princípio que tais pacientes, por definição, não têm condição de fazer tal escolha.
https://www.madinamerica.com

 

7) Massimo Recalcati, psicanalista italiano que escreveu "Melancolia e criação em Vincent Van Gogh", em entrevista fala sobre sua visão da analise aplicada e do papel da arte como suplência que pode evitar a psicose ao fornecer um substituto do nome-do-pai, como afirma Lacan ter ocorrido com Joyce, ou, pelo contrário, pode precipitá-la, como, na opinião de Recalcati, teria ocorrido com Van Gogh, com sua procura da "nota alta do amarelo".
http://www.nonfiction.fr

 

8) Associações psicanalíticas norte-americanos lutam para que a psicanalise volte a ter a relevância que um dia já teve naquele pais. O autor mostra as várias táticas usadas para tanto, como a participação em debates de questões públicas e a tentativa de aproximação com as neurociências.
https://www.statnews.com

 

9) Um artigo extenso e abrangente escrito por Barry Blackwell, reconhecido psicofarmacologista com 50 anos de vida profissional, mostrando, com dados comprovados, as formas pelas quais a indústria farmacêutica corrompe os políticos, a instituição universitária, a pesquisa cientifica e a prática clínica psiquiátrica. Artigo indispensável para todo trabalhador da área.
http://inhn.org/controversies

 

10) Resenha do livro "Des psychanalystes em séance - Glossaire clinique de psychanalyse contemparaine", livro de 500 páginas, escrito por 58 psicanalistas. São pequenos ensaios sobre conceitos teóricos e situações técnicas da clínica psicanalítica, compondo um bom panorama do legado freudiano e das contribuições contemporâneas.
http://mesmilleetunenuitsalire.over-blog.com/

 

11) Resenha de dois livros lançados agora nos Estados Unidos - "Fantasmas no consultório: ecos do trauma em psicanálise" e "Demônios no consultório: ecos de genocídio, escravidão e extremo trauma na prática psicanalítica". Como explicitam os títulos, são ensaios e relatos de casos clinicos de variados tipos de trauma e de como se dá sua sinuosa transmissão transgeracional.
http://www.huffingtonpost.com

 

12) Yiyun-Li, escritora chinesa radicada no ocidente, fala de cinco livros que tiveram importância fundamental em sua vida, ajudando-a a superar a depressão.
https://www.penguin.co.uk

 

13) Artigo mostra o ostracismo no qual a interpretação dos sonhos e a própria psicanálise caíram a partir dos anos 70, provocado pelos estudos de Allan Hobson. Na ocasião, o governo americano estava interessado em pesquisas sobre o cérebro e o sono, que eventualmente poderiam ser usadas na guerra fria. As opiniões de Hobson - curiosamente as mesmas que Freud enfrentou ao escrever seu livro: de que os sonhos não tinham nenhum significado, eram produtos aleatórios e sem sentido do cérebro adormecido - foram apregoadas com grande estardalhaço e dominaram a cena cientifica por quase 30 anos, sendo desbancadas a partir de 1990 pelas pesquisas de Mark Solms, quando se inicia um novo ciclo e se restaura o respeito pela descoberta freudiana. O autor segue de perto o livro de Andrea Rock, "The mind at night".
http://learntointerpretyourdreams.com

 

14) Texto de Lisa Appignanesi, resenhando duas novas obras sobre Freud - "Cold War Freud" de Dagmar Herzog, respeitada historiadora de religião, gênero e sexualidade, e "Freud, an intelectual biography", do filósofo e psicanalista Joel Whitebook. O primeiro mostras as distorções que o pensamento freudiano sofreu nos Estados Unidos durante a guerra fria, quando o conservadorismo a transformou numa técnica de adaptação à "realidade" - ou seja, as convenções norte-americanas dos anos 50. O segundo mostra as influências intelectuais sofridas por Freud e enfatiza as peculiaridades de sua constelação familiar, que teriam sido decisivas na forma como a posição da mãe fica relegada a um segundo plano em sua teoria, dominada pela figura prevalente do pai.
https://www.theguardian.com



Atualizado em 31/03/2017

 


 

1 ) "Devo procurar no Google meu terapeuta? Devo procurar meu paciente no Google? " 

Artigo extremamente atual do jornal inglês The Guardian sobre o uso do Google e redes sociais por parte de pacientes e terapeutas em busca de informações mútuas. Ao se expor na internet o analista possibilita que os pacientes tomem conhecimento de aspectos de sua vida pessoal e de suas opiniões. Mais ainda, essas ferramentas permitem que o analista acesse dados tornados públicos pelo próprio paciente. Devem os analistas usar tais recursos? Que repercussão na análise terão as informações sobre o analista obtidas pelo paciente e as que o analista soube sobre seu paciente? São situações novas que ultrapassam de longe os padrões convencionais do setting analítico. Ao invés de negá-las ou ignorá-las, são matéria para uma boa reflexão sobre nossa pratica nos dias de hoje. Que sejam matéria de um jornal de grande tiragem como o The Guardian mostra a relevância do tema.

https://www.theguardian.com

 

2 ) "Freud deixa o divã e fala por Skype"

 - Entrevista do jornal argentino Clarin com Stefano Bolognini, atual presidente da IPA, sobre o próximo congresso a ser realizado em Buenos Aires, onde fala de várias questões de nossa prática, inclusive a discutida introdução do uso do Skype no tratamento

http://www.revistaenie.clarin.com

 

3) "Derrida versus racionalistas"

 Artigo muito interessante no qual o autor explica de forma clara e acessível a briga entre Derrida e Searles, que continua até hoje na disputa entre os partidários da  desconstrução e os da filosofia analítica

https://newhumanist.org.uk

 

4) Psicanálise na China

- Enquanto a psicanálise encontra-se assediada por neurocientistas e cognitivistas nos Estados Unidos, encontra uma grande acolhida na China. Nos três links abaixo, notícias desse acontecimento.

O primeiro trata de uma reportagem de 2013 do jornal argentino La Nación, dando conta do boom de psicanálise na China, graças a presença de analistas franceses, argentinos e poloneses.

http://www.lanacion.com.ar

No segundo, vemos a entrevista, publicada no jornal Clarín, de Teresa Yuan, psicanalista argentina de origem chinesa, que se encontra naquele pais desde 1996 exercendo a psicanálise. Nessa reportagem de 2014, ela fala de sua experiência e das diferenças culturais que encontra, especialmente as referentes ao culto dos antepassados e o arraigado respeito filial, que tornam difícil a assimilação do mito edipiano, centrado no parricídio e incesto.

http://www.clarin.com

O último e muito recente (fevereiro de 2017),  publicado no New York Times, fala sobre especificações e dificuldades próprias da pratica da psicanálise naquele pais, onde o poder autoritário segue de forma estrita os preceitos do confucionismo e do comunismo. A revolução tomou o poder em 1949 e provocou a morte de dezenas de milhões de pessoas. O luto por essas mortes ainda estar por ser feito, dado o assunto ser tabu. Além disso, há as questões ligadas à política do filho único imposta pelo estado, que vigorou entre 1979 e 2016, provocando um grande número de aborto de filhos impossibitados de nascer. Mais ainda, o confucionismo prega milenarmente o respeito aos mais velhos e a identidade da pessoa se organiza em função do lugar que ocupa na família, na qual o pai tem poder absoluto. Pensar em termos edipianos é uma absoluta novidade.

https://www.nytimes.com

 

5) "Não diga que Trump é louco" - o risco de patologizar os maus políticos.

Pequena mas significativa entrevista com Allen Frances, psiquiatra norte-americano que desenvolveu a categoria diagnostica Desordem de Personalidade Narcísica, foi chefe da força tarefa do DSM IV e é atualmente critico incisivo dos excessos do DSM V. Afirma que é um insulto para os doentes mentais equipará-los a Trump, pois Trump is bad, not mad".

http://www.truth-out.org/news

 

6) Desde o último dia primeiro de fevereiro encontra-se disponível on line a coleção de documentos de Sigmund Freud depositados na Biblioteca do Congresso norte-americano (Library of Congress, a maior biblioteca do mundo). A digitalização dos documentos foi financiada pela importante "The Polonski Foundation". Veja a notícia no site da própria Library of Congress (LOC) ou na notícia publicada no jornal Washington Post.

https://www.loc.gov

Enormous Sigmund Freud collection available online for the first time - The Washington Post

Ou acesse diretamente os documentos:

https://www.loc.gov

 

7) Antropólogos e especialistas em primatas relatam acontecimento pouco usual num grupo de chimpanzés: o macho alfa é assassinado e comido pelo grupo, após uma disputa em função das fêmeas. Parece uma confirmação da teoria proposta por Freud em "Totem e Tabu", quando, na horda primitiva, os filhos se sublevam, matam e comem o pai, para posteriormente se identificarem com ele, sendo essa a origem da lei, da religião, das normas de convivência social.

https://www.washingtonpost.com

 

8) Pequena resenha do último livro de John Forrester, falecido em 2015. Historiador e filosofo inglês e grande defensor da psicanalise, sobre a qual escreveu vários livros, fala sobre os casos clínicos de Freud e a validade epistemológica de método criado por Freud.

https://www.timeshighereducation.com

 

9) Mais uma diatribe na briga em andamento na França entre partidários do cognitivismo e a psicanálise no tratamento do autismo. Uma mãe dá seu depoimento e de forma articulada e bem informada aponta o que considera erros da psicanalise no tratamento de autistas

 https://blogs.mediapart.fr

 

10) Resenha do recente livro This close to happy, de Daphne Merkin, que, na opinião do autor do texto, se situa entre os maiores relatos pessoais sobre depressão, como os livros Darkness Visible,  de William Styron (em português - "Perto das trevas", Editora Rocco);   An Unquiet Mind, de Kay Redfield Jamison ("Uma mente inquieta", Martins fontes) e The Noonday Demon, de Andrew Salomon ("O demônio do meio-dia", Cia das Letras).

http://www.tabletmag.com

 

11) Narcisistas, psicopatas e outros barras-pesadas

O autor comenta o uso excessivo e equivocado dos termos "narcisista" e "psicopata" na mídia, visando atacar e denegrir pessoas.

https://www.psychologytoday.com

 

12) "Antes dos heteros e gays"

Curiosa resenha do livro A Very Queer Family Indeed, de Simon Goldhill, que mostra como a sexualidade na era vitoriana não corresponde aos estereótipos da repressão sexual que costuma-se lhe atribuir. Ao pesquisar a ilustre família de Edward Benson, descobre uma fluidez e uma liberdade sexual que surpreende e que a aproximaria mais de nossos tempos atuais de questionamento de gêneros do que à estrita divisão hetero-gays.   

 

https://www.theatlantic.com/magazine

 

13) A neurociência será o futuro ou o fim da psicologia, pergunta-se o autor do texto?

https://www.psychologytoday.com

 

14) Estaria o Facebook trabalhando num projeto para desenvolver uma interface cérebro-computador baseado na tecnologia da neuroimagem?

http://www.ibtimes.co.uk/facebook-secretly-developing-mind-reading-communications-platform-1600719

 

15) Radicais políticos e religiosos são loucos?

Curto e inteligente artigo de Frances Allen comentando essa difícil questão, lembrando que as crenças mais prezadas por alguns são tidas como delírios por outros. O diagnóstico termina por não ser médico e sim social. Ao serem julgados por seus atos, preferem ser condenados como criminosos do que considerados inimputáveis como loucos, o que invalidaria suas motivações.  

http://www.huffingtonpost.com

 

16) Publicado no importante site Mad in America (que critica os excessos da psiquiatria submetida à big pharma e tem agora uma edição brasileira), o artigo mostra pesquisa realizada na Inglaterra provando que a terapia psicanalítica é tão eficaz quanto a cognitivo-comportamental no tratamento da depressão em adolescentes.

https://www.madinamerica.com


 
Atualizado em 22/02/2017

 


 
 
1) O filósofo, ensaísta e poeta argentino Santiago Kovadloff critica o desprezo que muitos intelectuais devotam ao trabalho de Lacan e de Heidegger, especialmente pelo estilo que cada um usa, julgado por eles como incompreensível, barroco e maneirista.

 

2) O psicanalista Jacques André faz uma valiosa reflexão sobre o momento atual, dominada pelo nacional-populismo, a demagogia e franco delírio religioso. Que a psicanálise pode fazer a não ser interpretar a loucura coletiva tal como trata a loucura privada?

http://www.liberation.fr

 
3) Elisabeth Roudinesco dá entrevista ao jornal “Times of Israel” sobre seu novo livro, a biografia de Freud lançada há dois anos na França e atualmente traduzida em quinze línguas. Nela reafirma a descrença de Freud na viabilidade de um estado judeu na Palestina.

 

4)  Samuel Moyn, professor de direito em Harvard, faz uma boa resenha para o jornal “The Nation”  da nova biografia de Freud escrita por Elisabeth Roudinesco, especulando sobre os motivos do debilitamento do pensamento freudiano no ocidente ocorrido nos últimos vinte anos, depois do extraordinário sucesso que gozou nas décadas anteriores.
 
5)      Outra alentada resenha da nova biografia de Freud escrita por Elisabeth Roudinesco, publicada na prestigiosa “Times Higher Education”. A autora Janet Sayers compara o livro com as duas outras biografias mais importantes de Freud, a de Ernest Jones e a de Peter Gay, salientando o enforque diferente de Roudinesco e o material novo inacessível aos outros biógrafos.
https://www.timeshighereducation.com

 

6)    Sophie Robert, em 2011 dirigiu o documentário “Le Mur”, no qual tratava de assunto que continua muito polêmico na França – o uso da psicanálise no tratamento do autismo. Três psicanalistas impetraram um mandado de segurança, impedindo sua exibição por dois anos. Em 2013 eles perderam a causa na justiça, foram obrigados a arcar com os custos e ressarcir Sophie Robert dos danos materiais. O filme teve grande repercussão mundial e se encontra em streaming em várias plataformas na internet, como o YouTube. Agora a diretora lança um outro documentário em longa-metragem, “Le Phallus et le Pas Tout”, no qual entrevista dezenas de psicanalistas, tentando mostrar ao grande público a visão da psicanálise sobre a sexualidade. O link é muito rico e informativo das questões acima mencionadas. 

 

7)    A psicanalista escocesa Coline Covington  fala sobre as razões inconscientes que deram vez a fenômenos com o Brexit, a eleição de Trump e a ascenção do populismo em diversas regiões do mundo, enfatizando os conflitos identitários trazidos pela globalização e a projeção do mal no “outro”, no estrangeiro, no imigrante.

 

8) Desde a eleição de Trump, psicoterapeuta nos Estados Unidos passa a ensinar algo mais eficaz para suas pacientes muçulmanas, o jiu-jitsu. Os ataques a elas retomaram o nível de 11 de setembro, quando ocorreu a queda do World Trade Center. 
 
9)  Lançamento em Boston do filme “Seduction Theory”, curta-metragem de autoria de Steven Ascher e Jeanne Jordan,  uma história semiautobiográfica sobre como crescer sendo filho de um psicanalista freudiano. 
 
10)   J.-D. Nasio fala sobre a psicanálise para a popular revista feminina francesa “Elle”.
http://www.femmeactuelle.fr

 

11)   Em vídeo, Christian Dunker discorre sobre a crise brasileira, sob o prisma de sua hipótese sobre a importância do condomínio em nossa organização social.
http://www.infomoney.com.br/mercados

 

12)  Christian Dunker fala a dimensão política das propostas estéticas de Alfredo Jaar e da proximidade das mesmas com seu projeto de escuta e registro psicanalíticos das  populações desalojadas pela usina de Belo Monte (Pará).
 
13)   Em função da disputa Hillary Clinton e Donald Trump, Robert Samuels, psicanalista e professor da Universidade da Califórnia, publicou um livro mostrando a dimensão inconsciente irracional presente na política, elemento que não pode ser desprezado por aqueles que se preocupam com o destino da democracia.

 
Atualizado em 01/12/2016

 


    
1) Conselho Regional de Psicologia do Espírito Santo estabelece normas para site "Divã Virtual", de um psicanalista (?) que oferece atendimento 24 horas por dia, com terapeutas brasileiros e de outros países
http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2016/10/conselho-regional-de-psicologia-notifica-site-que-oferece-consultas-via-internet-no-espirito-santo.html
 

2) Um canal de televisão francês homenageia Françoise Dolto. Veja o vídeo com um pequeno trecho da entrevista.
https://www.franceinter.fr/emissions/affaires-sensibles/affaires-sensibles-06-octobre-2016

 

3) "Psicanalistas que falam" - projeto criado por nossa colega Heidi Tabakoff, entrevista psicanalistas que levam os conceitos da psicanalise ao campo social e humanitário. O primeiro entrevistado é Antonio Lancetti.
http://brasileiros.com.br/2016/10/serie-audiovisual-aborda-psicanalise-como-agente-de-transformacao-social2/

 

4) A Universidade Federal de São Carlos promove encontro intitulado "Psicanalise em foco", do qual participa José Carlos Calich, professor visitante da Universidade de Nova York, que aborda o tema "Tensões Contemporâneas: Por que precisamos de modelos da mente? ".
http://jornaldiadia.com.br/2016/?p=205279

 

5) Gerard Miller - psicanalista, professor universitário, escritor e cronista de jornal e televisão na França - produziu e dirigiu um filme sobre Nicolas Sarkozy, que está no link abaixo.
http://actu.orange.fr/politique/nicolas-sarkozy-la-psychanalyse-ratee-du-docteur-miller-lepoint-CNT000000v3Haj.html

 

6) Curso de Psicanálise e Arte no MAM - SP, dado pela psicanalista e curadora Flavia Corpas
https://diversao.terra.com.br/guiadasemana/mam-lanca-curso-livre-que-une-arte-e-psicanalise,22f16c565ba59143a0b607f12ea7fb753jo79ark.html

 

7) Republicação do artigo "Sorciers et Psychanalyse" ("Feiticeiros e Psicanálise") de Levi-Strauss, inicialmente lançado na revista "Courrier" da Unesco, em 1956
https://histoireetsociete.wordpress.com/2016/10/11/claude-levi-strauss-sorciers-et-psychanalyse-article-paru-dans-la-revue-le-courrier-de-lunesco-paris-juilletaout-1956-pp-8-et-10/

 

8) Phillipe Nassif, um dos "pop philosophes" franceses, fala da importância da psicanálise e de Lacan em suas ideias.
http://frblogs.timesofisrael.com/philippe-nassif-la-pensee-juive-compose-la-ou-la-metaphysique-oppose/

 

9) Suely Rolnik faz conferência de encerramento do evento em torno de psicanálise no mundo contemporâneo, ocorrido em Recife
http://www.folhape.com.br/diversao/diversao/geral/2016/10/20/NWS,3238,71,480,DIVERSAO,2330-ENCONTRO-SOBRE-PSICANALISE-MUNDO-CONTEMPORANEO-CHEGA-RECIFE.aspx

 

10) Excelente artigo do psicanalista inglês David Morgan mostrando como a psicanálise ajuda a entender as crises do mundo moderno, referindo-se especificamente ao medo frente aos emigrantes, que julga ter jogado importante papel no episódio Brexit. Aborda também a importância de terem os psicanalistas uma conscientização da realidade social em que eles e seus pacientes vivem.
http://blogs.lse.ac.uk/businessreview/2016/10/24/psychoanalysis-can-help-us-make-sense-of-brexit/

 

11) Em fevereiro desse ano, Catherine Millot lançou seu livro "Ma vie avec Lacan" (vol.1), no qual relata seu envolvimento sexual com Lacan durante sete anos, no correr do que seria sua análise. O autor do artigo, Michel Rotfus, com muita propriedade aponta a idealização, a negação e a superficialidade com que ela aborda essas graves transgressões da prática psicanalítica.
https://blogs.mediapart.fr/michelrotfus/blog/241016/sur-le-livre-de-catherine-millot-la-vie-avec-lacan-1

 

12) A Sociedade Brasileira de Psicanalise do Rio de Janeiro promove a exibição e a discussão do filme "Os Demônios" de Ken Russell, aberto ao público.
http://mancheteonline.com.br/filme-os-demonios-de-ken-russel-em-sessao-com-debates-no-rio/

 

13) Projeto de lei à Assembleia Nacional francesa, visando interditar definitivamente a psicanálise na clinicas de autistas
https://blogs.mediapart.fr/patrick-landman/blog/281016/psychanalyse-autisme

 

14) Henriette Michaud resgata nesse livro a história dos "Almanaques de Psicanálise", publicados entre 1925 e 1938. Foi uma experiência de Freud enquanto editor que muito o agradava e que via nos "almanaques" a via mais apropriada para fazer a divulgação de suas descobertas para o grande público. Foi ai onde sairam pela primeira vez os capítulos iniciais de "Moisés e o monoteísmo".
http://www.cairn.info/article.php?ID_ARTICLE=ESS_037_0153


Atualizado em 01/11/2016

 


  

1)  Persiste a polêmica sobre o autismo na França, onde se digladiam psicanalise e terapia cognitivo-comportamental

Insinuations et manœuvres autour de l'autisme

 

2)  Pequena entrevista com Virginie Bloch-Lainé, criadora de uma série do canal francês France Culture, mostrando psicanalistas e analisandos que falam sobre suas experiências no divã. Bloch-Lainé é autora de vários outros documentários sobre psicanálise na França.

France Culture met la psychanalyse sur le divan

 

3)  A partir de conceitos freudianos e lacanianos, o autor propõe nesse denso artigo uma abordagem dos restos, aquilo que resta de uma ou numa análise. 

Restes de langage, restes hors langage

 

4)  Dois extratos do livro de Pierre-Henri Castel, no qual descreve longamente o "Caso Paramord", um obsessivo clássico (preso aos padrões infantis, aos conflitos inconscientes) ou alguém que padece de mal de nossos tempos (as pressões para ser um sucesso, autônomo, feliz e produtivo)?   

Après le complexe d'Oedipe

 

5)  Visando o grande público, o texto mostra a importância da psicoterapia para que os pais não repitam com os filhos os mesmos abusos que sofreram de seus próprios pais.

Should Parents Go Into Therapy?

 

6)  Texto poético de Virginia Woolf extraído de seu romance "Orlando", no qual aborda poeticamente a memória, tema tão importante para todos nós, psicanalistas. 

https://www.brainpickings.org/2016/09/26/

 

7)  Vídeo com fragmento de depoimento da psicanalista kleiniana  Elizabeth Spillious, falando sobre sua prática clinica.

https://player.vimeo.com/video/174808824

 

8) "A self compassion exercise" - reconfortante e divertido vídeo legendado falando da auto-compaixão, salutar contraposição a um superego ou ideal do ego sádicos.

https://www.youtube.com/watch?v=-kfUE41-JFw

 
Atualizado em 28/09/2016

 


 
1) Pequena entrevista com Alicia Iaccuzzi, psicanalista argentina, que, há trinta anos, oferece atendimento psicanalítico para detidos num presidio de Buenos Aires.

http://qz.com/762734/freudian

 

 

2) Matéria sobre a prevalência da psicanalise no tratamento de crianças e adolescentes na Argentina, ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos, onde são indicadas outras linhas terapêuticas.

http://qz.com/744850/in-argentina-

 

 

3) Resenha do livro "Wrestling with the angel - Experiments in symbolic life ", de Tracy McNulty, professora da Universidade de Cornell, no qual discorre sobre as ligações entre psicanálise, lei e Liberdade.

http://www.news.cornell.edu/stories

 

 

4) Os dois textos abaixo comentam o livro "Labirinths" de Catrine Clay, uma biografia de Emma Jung, mulher de Carl, mostrando seu papel no início do movimento analítico.

http://www.thetimes.co.uk/article

https://www.theguardian.com/

 

5) Que você faria se soubesse que vai ser acometido de Altzheimer, como o autor desse texto?

http://blogs.bmj.com/bmj

 

6) A casa de Freud em Londres, onde funciona seu museu, foi cedida ao artista inglês Mark Wallinger, que propõe uma instigante instalação sobre o narcisismo com o uso de espelhos, intitulada "Self-reflection" - que pode ser traduzida como "Auto-reflexão" ou "Auto-reflexo"

https://www.theguardian.com/artanddesign


http://www.jpost.com/Opinion/


 
Atualizado em 01/09/2016

 


 
1)  A escritora Jan Morris, uma pioneira do transexualismo, escreve no livro “Conundrum” suas opiniões sobre gênero, identidade e pertencimento.
 
2) Resenha do último livro de François Roustang, “De la psychanalyse à la hipnotherapie”. Roustang  tem um trajeto peculiar no panorama intelectual e terapêutico da Franca. Padre jesuíta nos anos 50, foi destituído por Paulo VI em função de um artigo sobre os efeitos do Concilio do Vaticano II. Tornou-se psicanalista a partir de 1965 e membro da escola lacaniana, quando escreveu dois livros bem divulgados ( “Um destino tão funesto” e “Lacan, do equívoco ao impasse”).  Rompeu com a psicanálise nos anos 80 e se dedicou à hipnose, seguindo a linha de Milton H. Erickson. 
 
3) Contra a equivocada tendência atual de pasteurizar os contos de fada, a poeta polonesa Wislawa Szymborska, ganhadora do Prêmio Nobel, fala da importância do medo nos contos de fada, numa linha semelhante à de Bruno Bettelheim.
 
4) A versão francesa da popular revista feminina “Cosmopolitan” instrui suas leitoras sobre os benefícios da psicoterapia e da psicanálise, afastando seus preconceitos.
 
5) Texto fala da toxicidade dos pais no contato com seus filhos
 
6) Vivian Gornick é reconhecida escritora norte americana especializada em escrita não ficcional autobiográfica, ensaística e memorialística. Discrimina aqui o que chama “situação” e “história” em sua técnica narrativa, ressaltando as dificuldades desse tipo de literatura, na qual o escritor não pode se apoiar em personagens fictícios para expressar aspectos seus e tem de criar uma persona pública para não se expor demasiadamente.  O texto evidencia a proximidade da literatura com a psicanálise, no uso da linguagem como matéria prima para a construção de narrativas que elucidam sentidos até então encobertos.

 

7) Entrevista com psicanalista norte-americano Martin Nass sobre interpretação, música e criatividade

 

8) Há aproximadamente 4 mil homicídios entre familiares por ano nos Estados Unidos. Nada é mais aterrorizante do que temer aqueles que você ama, diz Allen Frances, autor desse texto. Um dos responsáveis pelo DSM-IV, Frances é atualmente um grande critico da medicalização da vida cotidiana e da submissão da medicina à industria farmacêutica.

 

9) Site do psicanalista canadense Patrick Mahony, autor de muitos livros de psicanálise, onde mantém um blog interessante.

 

10)  Jacques Derrida faria 86 anos no dia 15 de julho. Comemorando a data, site americano cita vários de seus livros, um deles o “Resistances of Psychoanalysis”, no qual Derrida explicita as questões que o colocaram em oposição aos dois maiores ícones da inteligentzia francesa, Lacan e Foucault.  http://freudquotes.blogspot.com.br/


11) Quase todo mundo faz análise em Buenos Aires, diz esse artigo de uma revista norte-americana, trazendo entrevistas com profissionais e pacientes sobre esse fato.

 

12)  Psicanalista russo fala do perigo dos “lobos solitários” no terrorismo em solo europeu.

 

13) Publicada em 2013, a biografia de Freud em quadrinhos, de autoria da escritora, economista, historiadora e psicanalista suiça Corinne Maier e ilustratada pela cartunista Frances Anne Simon, continua recebendo elogios
 
Atualizado em 29/07/2016

 


 
1) Terapeutas de Bordeaux (França) usam cinema para orientar o público sobre psicoterapias e como escolher um bom profissional.

 

2) A psicanálise é um ciência?  Esse é o tema da conferência (1 hora 6 minutos) de Jacques Van Rillaer, pronunciada em Lille. Apesar de ter se formado como psicanalista, Rillaer se voltou contra Freud e Lacan, aderindo a TCC e é um dos opositores de Elisabeth Roudinesco.

 

3) Uma extensa resenha de Adam Shatz do livro “Gilles Deleuze and Felix Guattari: Intersecting Lives” de François Dosse, publicada  na London Review of Books

 

4) Assim como os gays saíram do armário, movimento norte-americano propõe que os que sofrem de transtornos psíquicos façam o mesmo, falando abertamente de suas dificuldades, sem escondê-las dos demais.

 

5) Curto texto do jornal “Libèration”,  no qual Elisabeth Roudinesco se posiciona sobre a polêmica situação criada pelo Islã na França, pelas  questões colonialistas e diferenças culturais.

 

6) Entrevista com Galit Atlas, psicanalista israelense residindo nos Estados Unidos, sobre seu último livro -  “The Enigma of Desire – Sex, Longing and Belonging in Psychoanalysis”, no qual relata casos clínicos.

 

7) A tecnologia (realidade virtual), juntamente com a psicanálise e TCC podem ajudar pacientes fóbicos, como mostra psicanalista francês

http://www.lexpress.fr/styles/psycho

 

8) Artigo para o grande público, intitulado “O psicopata em cada um de nós”,  mostra que a diferença entre “normalidade” e “patologia” é uma questão quantitativa.

 

9) Estudo mostra grandes diferenças entre pobres e ricos no que diz respeito a oferta de tratamentos psicológicos nos Estados Unidos.

 

10)  Continua debate sobre autismo e psicanálise na França, com o novo livro de Laurent Mottron

 

11)  Notícia do livro do psicanalista francês Eric Bidaud sobre psicanálise e pornografia

 

12)  Clement Freud, neto de Sigmund e conhecida personalidade na Inglaterra, falecido em 2009,  está sendo acusado de pedofilia por atos praticados os anos 40 e 70.

http://www.freepressjournal.in/world

http://www.independent.ie

 

13)  Como entender o ódio que homens e mulheres dos dois partidos políticos norte-americanos dedicam a Hillary Clinton? Um analista norte-americano explica as raízes do ódio às mulheres e do machismo.

 

14)  O que é o mal? Na opinião de alguns, uma maligna combinação de narcisismo, psicopatia, maquiavelismo e sadismo.

 

15)  Neste link, uma coletânea com seis excelentes artigos publicados no “New Yorker” sobre psicanálise

 

16)  Notícia de recente encontro da APA (Associação Psicanalítica Americana) sobre gênero e psicanálise.

 

17)  A masturbação continua sendo um tema incômodo e cercado de preconceitos e tabus.

 

18)  Susan Faludi, escritora e jornalista norte-americana ganhadora do Premio Pulitzer, escreve sobre o impacto que sofreu ao saber que seu pai, de quem estava distanciada por muitos anos, aos 76 anos havia mudado de sexo.
 

Atualizado em 29/06/2016

 


  

1) Um texto cômico em torno da disputa entre psicanálise e terapia cognitivo comportamental, vistos como um casal em terapia para resolver seus conflitos
http://www.huffingtonpost.com/

 

2) Resenha do livro Une maison natale - Psychanalyse de l'intimité (Edition Dunod, 2016, 156 p., 13,90 euros) de Albert Eigher psicanalista argentino radicado em Paris e terapeuta familiar
http://www.la-croix.com/Famille

 

3) Artigo afirma que os jovens portadores de distúrbio da atenção e hiperatividade melhoram com terapia. Não a deles e sim a dos pais!
http://www.nbcnews.com/health/kids-health

 

4) Os 160 anos do nascimento de Freud (06/maio/1856) foram comemorados de várias formas na imprensa internacional, a começar com o "doodle" (assim se chama as pequenas ilustrações que aparecem no Google comemorando datas especiais) e vinhetas lembrando anedotas em torno de sua vida e obra, como se pode ver nos links abaixo.
http://tech.firstpost.com
http://searchengineland.com
http://www.express.co.uk/
http://www.lepoint.fr/societe
http://www.inquisitr.com/3068772
http://www.business-standard.com

 

5) Breves comentários sobre um escândalo em andamento na França, em torno do "monsenhor psicanalista" Tony Arabella, um padre que se diz psicanalista e ocupa importantes postos da Igreja Católica na França e no próprio Vaticano e acusado de abuso sexual de homens jovens.
https://blogs.mediapart.fr/

 

6) O islamismo abre muitas questões para a psicanálise, como se pode ver nos dois artigos abaixo. Ambos tratam de Fethi Benslama, psicanalista de origem árabe, autor e professor da Paris-Diderot, cujo artigo Um furieux desir de sacrifice. Le surmusulman estuda o que chama de o "super-muçulmano", movido pelo desejo de autoimolação sacrificial numa missão divina, culpado por não ser suficientemente muçulmano . Benslama compartilha as ideias de Gilles Kepel, que sustenta ser o fundamentalismo basicamente uma reação negativa à modernidade, entendida como uma corrupção a ser erradicada visando a restauração de um era anterior de pureza religiosa. Esse fenômeno se instala desde os anos 70 não só no Islã, mas também entre protestantes, católicos e judeus. O tema envolve questões geopolíticas e identitárias. São os "religionários", diz Benslama, resgatando um termo do século XVIII. Que aconteceria se os fundamentalistas evangélicos vivessem em circunstâncias mais adversas e se armassem? Também fariam atentados?
http://www.telerama.fr/idees
http://www.lemonde.fr/religions

 

7) A inveja do penis continua gerando perplexidades.
http://www.livescience.com/54682

 

8) Resenha de Unforbidden Pleasures, ultimo livro de Adam Phillip, psicanalista inglês autor de inúmeros livros de sucesso nos quais a psicanálise é o pano de fundo de suas reflexões. Nessa série de ensaios, o tema gira em torno da ideia de que os prazeres proibidos - tabus, proibições, desejos constrangedores - tendem a obscurecer a importância dos prazeres não proibidos.
http://www.nytimes.com/2016

 

9) O último número da revista The Psychonalytic Quarterly está dedicado ao tema "a importância da verdade na terapia", o que motivou os comentários e as entrevistas realizadas nesse artigo de uma revista leiga.
http://qz.com/689673/

 

Atualizado em 23/05/2016

 


 

Nesta seleção se encontram três links que talvez interessem os que pretendem participar do evento "Entretantos II", que tem como tema "psicanálise e política". São os de número 1, 3 e 5:

 

1) “Psychoanalysis”, de James Raue, é uma comédia australiana que tem como personagem principal um psicólogo especialista em suicídio investigado pela policia por terem vários de seus pacientes cometido suicídio numa mesma semana. Sucesso de público e crítica, o filme foi elogiado pela British Psychoanalytic Association.

https://www.victoriaadvocate.com/news

 

2) Resenha do livro “Pulsions pasoliniennes” do psicanalista e filósofo francês Fabrice Bourlez, no qual o autor estabelece ligações entre o pensamento de Pasolini e a queer theory.

http://www.nonfiction.fr/

 

3) Como mostra da lenta penetração do pensamento lacaniano nos Estados Unidos, o filósofo Peter Caws critica a ininteligibilidade e obscurantismo da escrita de Lacan ao resenhar a tradução agora ali lançada do seminário “Angústia”.

 

https://philosophynow.org/

 

4) Publicado no Scientific American, uma descrente da psicanálise reconhece como termos psicanalíticos criados por Freud foram definitivamente incorporados na linguagem

 

http://www.salon.com/2016

 

 

5) Informe sobre o livro Des psychanalystes en séance . Glossaire clinique de psychanalyste contemporaine, no qual 54 analistas relatam uma sessão, compondo um interessante panorama da clinica atual, no qual ressalta a importância da contratransferência

http://next.liberation.fr/livres/2016

 

6) O debate sobre o autismo continua fervendo na França e os psicanalistas são os vilões da história. Nesse link, Segolen Neuville, alta funcionaria do ministério de saúde daquele país, diz em vídeo que a psicanálise não é indicada para o tratamento de autismo

 

http://www.lcp.fr/la-politique-en-video

 

 

7) Ainda sobre o autismo, continuação do debate com políticos

https://blogs.mediapart.fr/pierre-laroche

 

 

8) O psicanalista francês Serge Tisseron lança livro (Comment l’esprit vient aux objets) onde fala sobre a paixão que temos por nossos objetos, como, por exemplo, o telefone celular

http://www.lesinrocks.com/

 

9) Um longo e complexo artigo sobre a sexualidade do palhaço, personagem arquetípico aqui estudado nas caracterizações dos grandes comediantes do cinema mudo, como Keaton, Langdon e Chaplin

 

http://brightlightsfilm.com/

 

 

10) Noticia sobre a publicação em inglês de textos de Lacan sobre a religião, na qual diz que a religião católica é a única verdadeira – o que não deve ser entendido literalmente e sim no contexto de seu pensamento irônico. Há também uma curiosa anedota sobre um comentário de Lacan a respeito do ‘mobiliário’ do quarto de hotel onde se hospedava

http://www.patheos.com/blogs/

 

11) Texto sobre as relações entre psicanálise e neurociencias

 

http://www.sfu-paris.fr/blog/item

 

12) Gas Light é um filme clássico onde o marido tenta enlouquecer a mulher fazendo-a não confiar em suas próprias percepções. A autora usa o filme como metáfora da manipulação política, na qual a propaganda tenta impor uma realidade diferente daquela que percebemos diretamente, um tema muito atual entre nós nos dias de hoje.

http://www.slate.com/

 

13) Por que negros norte-americanos não procuram psicoterapia? Em parte por preconceito e por motivos religiosos, pois isso seria considerado como falta de fé em Deus. A desconfiança dos negros com os tratamentos oferecidos pelo estado decorrem também da experiência Tuskegee, iniciada em 1932 e finalizada apenas em 1972, quando eles foram usados como cobaia num estudo sobre a sífilis.

http://www.attn.com/stories/6814

 

14) Interessante troca de cartas para a editoria do New York Times sobre a ética envolvida no ato de interpretar psicanaliticamente homens públicos. Enquanto a presidente da Associação Americana de Psicologia reprova tal prática, Juntin Frank, psiquiatra autor de livros sobre Bush e Obama “no divã”, discorda, lembrando que o próprio Freud “analisou”Leonardo e o Presidente Wilson.

 

 http://www.nytimes.com/2016

 

15)  Entrevista com Daniel Defert, ativista francês companheiro de Michel Foucault por décadas.

 

http://www.revistaenie.clarin.com/ideas

 

 

16)  Elisabeth Roudinesco fala sobre seu novo livro, a biografia de Freud – Freud, em su tiempo y en el nuestro ainda não traduzido no Brasil.

 

http://cultura.elpais.com/cultura/2015

 

17) Comemorando os 400 anos da morte de Shakespeare, o texto fala da grande importância do Bardo no pensamento freudiano

http://freudquotes.blogspot.com.br/2016

 

Atualizado em 26/04/2016

 


 

1) Os protestos estudantis podem ser considerados meras manifestações de acting out? Um articulista da África do Sul usa conceitos psicanalíticos (acting out e transferência) para refletir sobre uma manifestação política estudantil recente naquele país.

http://thoughtleader.co.za/bertolivier

 

2) Quiet drawings from a life lost in mental institutions - livro que conta a história da descoberta dos delicados desenhos de um paciente que passou 37 anos internado no  State Hospital no. 3, em Nevada, Estados Unidos, onde sofreu os tratamentos então oferecidos, como ECT.

http://hyperallergic.com/274054

 

3) Uma reflexão lacaniana sobre psicanálise na política

https://blogs.mediapart.fr/rene-fiori/

 

4) Interessantes filmes curtos (média de 3-5 min) sobre Freud, Melanie Klein, Winnicott, Anna Freud e John Balby produzidos pela The School of Life, instituição criada pelo escritor e filósofo francês Allan de Botton, autor de "Como Proust pode mudar sua vida" (Ed. Rocco, 1999)

http://freudquotes.blogspot.com.br/

 

5) Consistente entrevista com Erin Linstrum, autor do recentemente lançado Ruling Minds, Psychology in the British Empire, onde analisa as relações entre psicologia e colonialismo

 

http://libeafrica4.blogs.liberation.fr

 

6) Número de crianças medicadas com antidepressivos no Reino Unido aumenta 50% em 7 anos

http://www.independent.co.uk/

 

7) Crianças excessivamente diagnosticadas e medicadas como ADHD

http://www.telegraph.co.uk/news


Atualizado em 28/03/2016

 


 

1) Perversions and Paraphilias: Sergio Bevenuto asks what the concept of "perversion" means today

A psiquiatria rebatizou as "perversões" como "parafilias" devido às pressões do politicamente correto, desde que chamar alguém de "perverso" é um insulto. Entretanto, em grego, "parafilia" significa "amor errado". É melhor insultar um perverso em grego do que em inglês moderno?  - pergunta o analista italiano Sergio Bevenuto nesse consistente texto.

https://karnacology.com/2016/02/16/

 

2) Recordações de Umberto Eco de um breve encontro com Lacan nos anos 70

http://freudquotes.blogspot.com.br

 

3) Um analista norte-americano pontua 7 itens sobre amor e sexo segundo Freud

http://blogs.psychcentral.com/

 

4) Interessante entrevista com psicanalista hindu formada em Nova York e clinicando em Bombaim, falando do amor depois dos 50

http://www.livemint.com/Leisure

 

5) Notícia sobre disputa judicial entre Judith Miller (filha de Lacan) e Elisabeth Roudinesco.

Judith Miller perde definitivamente o processo de calunia e difamação que havia aberto contra Elisabeth Roudinesco e a editora Le Seuil, por seu livro "Lacan, a despeito de tudo e de todos"(Zahaar). Judith Miller achou que a seguinte frase era ofensiva: "Apesar de ter Lacan expressado o desejo de terminar seus dias na Italia, em Roma ou Veneza, e que dito que queria funerais católicos, foi enterrado sem cerimônias e na intimidade no cemiterio de Guitrancourt".

https://blogs.mediapart.fr/michelrotfus/

 

6) "The Therapy Wars - the revenge of Freud"

Importante e bem informado artigo publicado no jornal britânico The Guardian, falando das "guerras das terapias", tendo vista a disputa entre psicanálise e  terapias cognitivo comportamentais,  dando noticia do retorno da psicanálise ( "a vingança de Freud").

 

Atualizado em 23/02/2016

 


 
1) Duas resenhas sobre o lançamento do livro "Hysteria", uma graphic novel (novela em quadrinhos) de Richard Appignanesi e Oscar Zarate, baseado nos casos de Freud

2) "Pourquoi la psychanalyse est une science. Freud épistemologue" - de Guénaël Visentini
Um artigo denso explorando a mais importante questão epistemológica que a psicanálise enfrenta.
http://lectures.revues.org/19591
 

3) A intensa relação de Freud com sua filha Anna e sua peculiar psicanálise teriam-na levado à homossexualidade vivida com Dorothy Burlingham, herdeira da Tiffanny's ?
https://www.psychologytoday.com/blog

 

4) Temos de desconstruir os mitos que cercam a psicanalise », diz Roudinesco em entrevista ao jornal mexicano La Nacion, em entrevista na qual fala da biografia de Freud de sua autoria.
http://www.lanacion.com.ar

 

5) Quando se sabe que na China, o novo continente que está sendo colonizado pela psicanálise (formulação propositadamente provocativa de uma importante questão) , muitos candidatos se analisam via skype com analistas nos Estados Unidos, é interessante ver as normas da IPA sobre o assunto, o que é muito pertinente,

http://www.ipa.org.uk/en

 

6) Dois interessantes artigos do jornal ingles The Guardian defendendo ardorosamente a psicanálise

http://www.theguardian.com/commentisfree/2015
http://www.theguardian.com/commentisfree/2006

 

7) Stanton Renshon é um psicanalista norte-americano autor de psicobiografias de presidentes dos Estados Unidos. Um jornalista pede que ele faca um perfil de Donald Trump, um possivel candidato a presidencia daquele país.
http://www.buzzfeed.com/bensmith

 

8) Duas resenhas do ultimo livro do psicanalista francês Jacques André, « Psychanalyse, vie quotidienne », publicadas nos jornais francese Liberation e Le Nouvel Observateur.
http://next.liberation.fr/livres/2015

http://rue89.nouvelobs.com


9) No site da editora Karnac, uma entrevista em video com Darian Leader, psicanalista ingles, falando do marketing da depressao e sua ligacao com a big pharma (as grandes indústrias farmaceuticas).
http://karnacology.com/resources

Atualizado em 09/12/2015


1) Why Slavoj Zizek is wrong about the Syrian Refugee Crisis - and Psychoanalysis
É uma réplica a um artigo de Zizek sobre a crise síria
http://inthesetimes.com/article

2) "L'Inconscient expliqué a mon petit-fils"
Resenha do último livro de Elisabeth Roudinesco, dirigido a crianças e adolescentes, no qual lhes explica o conceito do inconsciente.
http://www.nonfiction.fr/article

 

3) "La medicine sauve des vies, la psychanalyse des existences"
Entrevista de Elisabeth Roudinesco, discorrendo sobre as vicissitudes atuais da psicanálise, a partir da nova biografia de Freud que escreveu
http://www.levif.be/

 

4) "America is an incredibly Freudian culture that doesn't believe in Freud anymore"
Interessante comentário sobre a posição da psicanálise nos Estados Unidos, "uma cultura inacreditavelmente freudiana que não acredita mais em Freud"
http://qz.com/538482/

 

5) "Bad Freudian Fathers"
"Maus pais freudianos" trata de uma biografia de Franz Alexander, escrita por sua neta Ilonka
http://www.newyorker.com/books

 

6) "Why the pressure to be happy is driving people mad"
Entrevista com o psicanalista e escritor inglês Adam Philips sobre seu 20º. Livro recém-lançado - "Unforbidden Pleasures"
http://www.telegraph.co.uk/books

 

7) Por que os homens são raivosos?
Seriam os homens mais violentos atualmente por estarem perdendo seus privilégios em função das conquistas do feminismo ou a coisa é mais complicada?
http://blogs.psychcentral.com

 

8) O que acontece com as crianças espancadas quando elas crescem?

Estudos mostram a ineficácia do uso da violência física com fins punitivos educacionais, sempre próxima do abuso, provocando efeitos negativos no futuro.
http://www.upworthy.com

 

9) "Sobre adição à pornografia"
Uma compreensiva reflexão sobre a compulsão a ver pornografia, que acomete cerca de 35% dos homens com idade até 50 anos nos Estados Unidos e Reino Unido.

http://www.thebookoflife.org

 

Atualizado em 23/11/2015

 



 

 

   
Departamento de Psicanálise - Sedes Sapientiae
Rua Ministro Godoi, 1484 - 05015-900 - Perdizes - São Paulo - Tel:(11) 3866-2753
As informações deste site podem ser utilizadas desde que incluídos os créditos ao Depto de Psicanálise e aos seus autores.
id09192020091532180248226003